sábado, 19 de janeiro de 2013

Aniversário


                                            


                                     Minha irmã, minha amiga
                                     Foste-te embora sem dizer adeus.
                                     Fechaste os olhos doces num momento
                                     Abriste-os junto a Deus.


Hoje seria o dia dos teus anos.
Os Lírios do costume, a saudade cada vez maior, uma lágrima, um beijo.
Maga 

Até um dia destes
Maria  

16 comentários:

Maria Eduardo disse...

Olá Maria,
É muito doloroso quando perdemos alguém que muito amamos, é como se fosse um alicerce de nós que se desmoronou para sempre! Bonita homenagem a sua Irmã e onde quer que esteja, estará a sorrir para si e a agradecer-lhe o lindo bouquet de lírios brancos que lhe ofereceu. Também perdi a minha irmã mais velha, há muitos anos atrás, estava na flor da vida, na idade dos sonhos e projectos por realizar. Partiram para sempre mas ficaram no nosso coração.
Um beijinho de amizade, Maria
maria eduardo

elvira carvalho disse...

SEM REMÉDIO QUE POSSA MITIGAR ESSA DOR, DEIXO UM ABRAÇO.

Maria disse...

Obrigada, Maria Eduardo:
Era minha cunhada, mas amava-a como irmã. Conheci-a muito nova, fomos sempre amigas e foi a madrinha do meu filho mais novo.
O tempo passa, mas continua a sentir muito a falta dela. Era muito boa, muito pura, por isso será sempre o meu lírio branco.
As suas palavras são sempre tão doces, minha amiga!
Um beijinhos e a ternura da
Maria

Maria disse...

Amiga Mariana:
Definiu bem o que se sente, quando se perde alguém querido.
Ela era minha cunhada, mas gostava dela, como de uma irmã. Era um ser de excepção.
Num momento muito mau da minha vida, faz-me muita falta. Aqueles olhos doces, davam-me alento.
Obrigada querida. Tem sempre uma palavra meiga para mim.
Beijinhos para os dois da
Maria

Maria disse...

Querida Elvirinha:
A sua frase diz tudo. Obrigada,minha amiga.
Um abraço grande da
Maria

Olinda Melo disse...


Querida Maria

Uma cunhada, uma irmã, uma amiga:Doces recordações, grande saudade.

Guardo no meu Xaile as palavras que um dia lhe dedicou, ao seu Lírio Branco.

E agradeço-lhe de todo o coração mas ter levado, vai fazer agora um ano, prestigiando assim a minha 'Quinzena do Amor'.

Minha amiga, desejo-lhe muita saúde.

Beijos

Olinda

Maria disse...

Querida Olinda:
Ela foi tudo isso para mim. Nunca lhe vi um olhar de crítica, uma palavra dura, um gesto. Doce, meiga, tinha sempre uma carícia para quem sofria, um sorriso franco para todos. Tive um grande choque com a morte estúpida que teve e lembro-me muito dela, quando alguma coisa me aflige.
Sei que está em Paz e que, olha por nós.
Obrigada, amiga. Beijinhos da
Maria

Tété disse...

Querida Maria,
Percebo-a perfeitamente e devo dizer-lhe que sinto o mesmo em relação à minha mãe que partiu faz 3 anos em Março. É horrível não estarmos preparados para o que todos temos de mais certo.
Mas vamos lá ver se ultrapassamos a nostalgia e tentamos ver as coisas mais de levezinho? Eu, por mim estou disposta a dar-lhe todo o meu apoio para o conseguir porque eu tenho força e lá vou conseguindo. Vamos tentar? Bora lá, porque a vida é muito curta para não a tentarmos amenizar com melhor disposição. Por mim tenho limado os problemas de saude(e olhe que não têm sido pequenos) da melhor maneira e lá vou conseguindo viver mais em cima.
Em frente Mariazinha, vamos a VIVER.
Um beijo grande e um abraço apertado.

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Que bom ter saudades assim de uma uinhada! Não é costume, mas acho natural. Eu também tenho uma e se ela se fosse ia sentir como se de uma irmã se tratasse. Lamento muito por ti, amiga e deixo-te os parabéns pela bela mensagem que lhe fizeste.Espero que estejas bem, apesar deste tempo cinzento e chuvoso que não nos larga. Estou com saudades do sol. Um beijinho e, podes ter a certeza que a tua amiga está a olhar por ti lá no outro lado.
Emília

Maria disse...

Querida Tété:
Muito obrigada pelas suas palavras amigas.
Tenho andado desmotivada, deve ser o tempo que me põe assim. Preciso de sol e luz. Este tempo faz-me mal.
Um dia destes, volto.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Querida Emilía;
É mesmo este tempo, que me faz mal. Tal como já disse, ando a precisar de sol e luz. Este tempo de chuva, dá-me cabo dos nervos. Há-de passar.
Obrigada e beijinhos
Maria

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Venho revê-la, Maria querida, após uma grande ausência, e encontro tristeza, em forma de homenagem. A vida nos traz situações assim, e nada se pode fazer, para evitar. Dói muito, só nos resta aceitar e seguir...

Um abraço, cheio de sentimentos,
da Lúcia.

Maria disse...

Obrigada Lucinha.
Por motivos vários, tenho andado muito em baixo. Não tenho vontade de escrever, nem ler.
Vamos ver se melhoro.
Beijinhos, minha irmã do Brasil.
Maria

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Olá! Ressuscitei,como sabes... Agora éke vão ser elas!!!...

Entretanto,vou rogar a Sua Insolênca Sr. Silva de Belém, para interceder junto do genro que lhe meta, salvo seja, uma kunha para utilizar de borla o Pavilhão Atlântico para as comemorações das bodas de oiro que espero decorram animadas e populares no dia 26 de dezembro.

Para já espero fixar as entradas em €1.47,8, com 2,7% de desconto para crianças até aos dois meses de idade e idosos entre os 91 e 99 anos.

Oportunamente seguirão os convites, a tempo e horas.

Aguardo lotação esgotada. Se o Tony Carreira o consegue, por que bulas eu conseguireio-lei?

Riquinhamigo

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Olá. Cátou

Maria disse...

Henriquamigo:
Até que enfim te vejo aqui. Isso vai-me abanar de certeza.
Tenho andado a pôr os cornos ao blogue, porque me alistei no Facebook e fiquei viciada.
Vou voltar, juro. Mais dia, menos hora. Já me faz falta escrever aqui.
Quanto às bodas de oiro, acho que vai encher o Pavilhão.
Abraço do João, beijo à Raquel e queijnhos para tu da
Maria