quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Gente da minha Terra 2

  Lionel Carvalhais





Houve figuras na minha infância que nunca deixarei de lembrar, com imenso carinho.
Um deles, foi precisamente Leonel Carvalhais, conhecido como Nené Cebola. Muitos o lembraram ainda.
Quem viu o filme "Encontro de Irmãos" e tiver tido o privilégio de conhecer o nosso Nené, saberá que, em Tomar houve um Rainman. Dava pelo nome de Senhor Lionel ( com i mesmo) Carvalhais.
Era um homem pequeno, magro, de óculos grossos, cabelo curtinho, com alguns tiques, extremamente educado e delicado. Vivia com a irmã, que fazia umas deliciosas bonecas, que eu cobiçava e nunca tive. Do que ganhavam com as bonecas e da enorme memória dele, viviam.
Nesse tempo, os telefones eram raros e não havia listas telefónicas. Em Tomar havia.
O Senhor Carvalhais, sabia de cor, todos os nomes, moradas, números telefónicos, de Tomar e Ferreira do Zêzere.  Fazia umas listas à máquina e, vendi-as.
Tinha mais surpresas, este amigo. Se lhe dissessem o nome completo, de imediato ele dizia quantas letras tinha o nome. Fazia contas de cabeça, mais depressa que qualquer máquina.
Vendia as listas a 7$50 cada. Não sei se isso lhe melhorou a vida. Aos tomarenses dava muito jeito.
A última vez que o vi, num café em Tomar, tinham passado mais de 30 anos da minha saída de lá. Conheci-o e não resisti ao impulso de me aproximar dele. Disse-lhe apenas o nome do meu pai e, prontamente, sem hesitar, disse o local de trabalho, a morada e os números de telefone dos dois locais. Comovi-me. Um café partilhado, um longo aperto de mão, uma vénia respeitosa dele. E foi a última vez que o vi.
Rainman de Tomar? Não. Apenas o nosso, muito nosso, Nené Cebola, Lionel ( com i, volto a dizer) Carvalhais.
Até um dia destes.









21 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Lembrança bonita, de um personagem muito interessante. Personagem da vida real, da sua Terra, Tomar. Que extraordinária memória, a de Nené Cebola. Se ficou na sua memória, certamente muitos, que com ele conviveram, lembram também...Isso, se valorizam a memória da terra mãe.

Gosto, Maria, desse "gênero" de matéria;.
Meu carinho, irmãzinha, num forte abraço.
Lúcia

Maria disse...

Muito bonita, Lucinha. Guardo da minha terra lembranças muito lindas. De lugares, factos e pessoas, sobretudo pessoas. Gente de quem gostei e me acarinhou muito. Nesta altura da minha vida, são eles ainda, que me amparam. É o meu cofre de lembranças boas e bonitas. A cabeça vai para onde o coração: A minha Tomar de há muitos anos.
E sabe? com a entrada no Facebook, arranjei muitos amigos lá. Por isso tenho abandonado um pouco o blog.
Daqui a pouco farei uma visita no seu.
Beijinho grande
Maria

Olinda Melo disse...


Querida Maria

Um Cofre de recordações cheio de preciosidades.

Tantas e tantas pessoas como o Senhor Lionel (com i) com excelentes capacidades, se perdem na voragem do tempo, não é? Muitas nunca foram à escola, tudo o que fazem e dizem é um dom.

Muito obrigada por não deixar cair no esquecimento figuras tão belas, com uma riqueza imensa e que compõem o tecido vivo de cada terra, neste caso de Tomar.

Beijinhos

Olinda

Maria disse...

Querida Olinda:
Sempre tão doce comigo, que ultimamente ando tão fugida das amigas! Desculpe. Estou farta deste tempo que mexe comigo. Preciso da Primavera, de sol, de calor. Devia ter nascido ursa. Assim hibernava, que aliás, é quase o que faço.
Beijinhos amiga
Maria

Kim disse...

Também conheci uma pessoa assim. É incrível e julgo que a própria ciência desconhece o fenómeno.
O Lionel é (era?) uma pessoa interessantíssima para desvendar a vida. Adoro falr com essas pessoas.
Beijinho ma Petite Marie

Maria disse...

Kim: Vou escrever pouco, porque tenho o dedo com que escrevo, tem um golpe enorme, não consigo escrever com os outros.`
Este Senhor era fora de série. Nunca o esquecerei.
Beijinhos.
Petite Marie

elvira carvalho disse...

Uma comovente história. Sabe há pouco dizia à São Banza, a propósito de um post que ela fez sobre Tomar. Fui a Tomar numa excursão com meus pais, tinha uns 7 ou 8 anos. Nunca mais lá voltei, mas guardo na memória imagem de um belo jardim com uma grande nora.
Para mim Tomar é essa imagem.
Um abraço e uma boa semana

Maria disse...

É o Mouchão, Elvirinha. A nossa ilha maravilhosa, que os senhores autarcas têm tentado estragar com obras estúpidas.
Beijinhos, amiga
Maria

Maria Eduardo disse...

Olá Maria,
O Sr. Nené Cebola tinha uma memória extraordinária e uma postura muito curiosa. O meu marido lembra-se bem dele e das listas telefónicas que ele escrevia nas velhas máquinas de escrever. Recorda-se da "Artop"(?) era aí que ele ia escrever as listas.
Gostei muito de a rever nestas lides da blogosfera!

P.S. Li numa das suas respostas que arranjou muitos amigos no Facebook. Rever velhos amigos e fazer novas amizades ajuda a ver a vida numa nova dimensão. Ainda bem que está mais acompanhada e distraída.
Um beijinho grande
maria eduardo

Maria disse...

Minha Amiga Maria Eduardo:
É claro que o seu marido se deve lembrar! Era uma figura inesquecível, que deixou saudades.
Sabe? O Feceboock, tem-me dado um certo gozo, por causa das fotos de Tomar e outras terras que me dizem muito.
Mando-lhe o meu mail, porque tenho pensado muito, quem será o pai do seu marido. O meu pai, dava-se com os médicos de Tomar.
O meu mail é: magaejoao@gmail.com.
Lá falaremos mais à vontade.
Obrigada, amiga.
Beijinhos
Maria

Maria Eduardo disse...

Olá Amiga Maria,
As recordações perseguem-nos e aqui andamos a dar conta delas. A minha memória também anda muito laboriosa...
Obrigada por me ter dado o seu e-mail, assim estamos mais à vontade, sem dúvida. Vou-lhe escrever.
Um beijinho Amiga Maria.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariazinhamiga

20 de Fevereiro? Desde então ficaste muda e queda. Keçekiçepáça? Eu, como sabes estive, infelizmente com a cabeça... a de cima, ao peito, por mor da recaída da maldita depressão bipolar. E tu?

Não escreves aqui (aliás como devias fazê-lo), não vais à nossa Travessa muito menos ao bebé pulhiticooupolitica.blospot.com, recém nascido para substituir o inverso proporcional que um Gaspar qualquer mo roubou, sem dúvida nenhuma.

O Santo João Artista, esse, normalmente está calado que é o melhor. Mas tu? Tu, poeta? Tu escritora? Tu, Maria?. Porque no escribes, coño?

A ver se te emendas e bem depressa kisto sem ti - e já agora sem mim, que sou o melhor do Mundo e arredores, incluindo Tomar e a Porcalhota - é uma pepineira de baixo quilate.

E por Tomar, escreve coisas, porra!!! Ninguém te vai mandar - nem o Francisco José Viegas - tomar no cu!!!...

3abçs, bjs da Kel e сыры para tu

H

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Tenho saudades de você, mana querida. Este Alcatruzes da Roda, é onde posso (e devo) deixar meu abraço apertado.
Vá à Cadeirinha, dizer-me como está essa minha irmãzinha portuguesa.
Bom final de semana.
Beijos,
da Lúcia

Maria disse...

Maria Eduardo:
Continuo atacada de preguiça e sem vontade de escrever.
Fico à espera do seu Mail.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Henriquamigo:
Enquanto estiveste doente, muita água correu no Nabão e muitos problemas me aconteceram. Até fui parar ao hospital, onde estive dois dias a soro. Os sais minerais, que fazm parte do nosso organismo, acharam que eu não precisava deles e quase desapareceram. Quer dizer: faltavam-me os temperos. Sódio, potássio, magnésio e os outros, foram-se. " Não sei se os perdi ou mos levaram". Se calhar foi o Gaspar. E continuando em verso: "Não possa eu contar as desventuras, àqueles que inda em vida não choraram". Aqui, não te posso contar mais nada. Sei, que a depressão voltou a atacar em força e não tenho ânimo para nada. Daqui a uns dias vou para fora com o João e o Vasco, e espero voltar melhor.
Entretanto, ontem mandei-te um mail, porque a Travessa tinha desaparecido e assim continuava hoje de manhã.
Desculpa, mas acho que já nem sei escrever. Tenho-me entretido no Faceboock. Tu não botas nada na tua página.
Abraço do João, beijinhos para a Raquel e para tu.
Maria.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariazitamiga

Nem só os postais, mas também o esquecimento. Não vejo uma só letra tua há mais de um mês--- É muita fruta!?!?!?

Estás doente, mulher?

Arriba-te que também me arrebitei

Se ainda te lembrares de mim, porra!!!, aparece

3abçs & 1 qj

Do muito teu amigo e ainda mais (se é possível)H

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Fiquei comovida com este teu texto, Maria. também eu guardo lembranças de pessoas da minha aldeia que de algum modo me marcaram; estão velhinhas algumas, mas no meu coração continuam iguais. Também como tu, hoje estou mais contente, pois a nossa Primavera parece que finalmente deixou o calendário e nos acarinhou com a sua presença. Estava a sentir tanta falta do sol!!! Um beijinho, Maria e obrigada por este momento tão terno. Fica bem e boa noite.
Emília

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariazinhamiga

Tive uma tremenda complicação, perdi a fala, perdi os movimentos, perdia a consciência. A Raquel teve de chamar o INEM, fui para o Santa Maria. Foi um horrível pesadelo, uma confusão dos diabos. Se quiseres telefonar-me conto-te todo pelo menos do que lembro. Felizmente agora estou normal.

Muitos queijinhos do Henrique e da Raquel e muitos abrações para os três João, Vasco e Ápio

Olinda Melo disse...


Querida Maria


Venho desejar-lhe um Feliz Dia da Mãe, ao lado dos seus.

Beijinhos

Olinda

Maria disse...

Meus amigos:
Um problema de saúde, tem-me impedido de vir aqui e aos vossos blogues. Além da úlcera e da hérnia, que há muito me apoquentam há muito, parece que há mais qualquer coisa. Ando a comer papas de bebé e mesmo assim em pouca quantidade. Como não sou muito forte e a idade não ajuda, estou muito fraca e debilitada. Depois de amanhã, vou fazer uma biopsia e veremos o que é. Tenho os nervos em farrapos e estou sem forças nem vontade, para nada.
Vamos a ver quando e se, voltarei. Tenho saudades de todos e a todos envio um grande abraço. Desculpem responder a todos ao mesmo tempo, mas estou mesmo sem forças.
Maria

Maria disse...

Meus amigos:
Um problema de saúde, tem-me impedido de vir aqui e aos vossos blogues. Além da úlcera e da hérnia, que há muito me apoquentam há muito, parece que há mais qualquer coisa. Ando a comer papas de bebé e mesmo assim em pouca quantidade. Como não sou muito forte e a idade não ajuda, estou muito fraca e debilitada. Depois de amanhã, vou fazer uma biopsia e veremos o que é. Tenho os nervos em farrapos e estou sem forças nem vontade, para nada.
Vamos a ver quando e se, voltarei. Tenho saudades de todos e a todos envio um grande abraço. Desculpem responder a todos ao mesmo tempo, mas estou mesmo sem forças.
Maria