sexta-feira, 2 de abril de 2010

Queres uma Amêndoa, Mãe?


Habituei-me a ver estas de licor desde que me conheço. Todas as Páscoas, o meu pai as oferecia à minha mãe em bonitas caixinhas, juntamente com uma moeda de dez escudos, daquelas da caravela. Os da minha idade sabem do que falo. Aos outros só direi que, nesse tempo, dez escudos era algum dinheiro. Foi juntando estas da Páscoa e mais umas tantas que arranjou, que minha mãe comprou a mobília do meu quarto e da minha irmã. Mas voltemos às amêndoas. A minha mãe, que tudo repartia com os filhos, era avara com as “suas” amêndoas. Uma por dia e já gozávamos.
Um dia estávamos a ver fotos antigas, guardadas nesta caixa grande, e perguntei-lhe de que era a caixa. Então soube a história toda das caixinhas e das amêndoas. O padrinho, todos os anos na Páscoa, lhe enviava uma, juntamente com uma libra de cavalinho. Já não sou do tempo dessas moedas, mas valiam bastante.
Um dia contou ao meu pai, e ele prometeu-lhe que teria todos os anos as “suas” amêndoas e uma moeda, não de libra, mas o que ele pudesse. Assim foi até quase ao fim. Morreu na véspera do Domingo de Ramos, não chegou a ter amêndoas nesse ano.
Depois de casar, contei isto ao meu marido. Agora sou eu a dona das figurinhas de açúcar e licor. Já não vêm em caixinhas bonitas, mas sabem ao mesmo licor, açúcar, infância e mimo de mãe.
Tudo na minha vida sabe e cheira a passado.
Queres uma amêndoa, mãe? Vá lá, tira uma pombinha.
Até um dia destes e boa Páscoa para todos.
Maria

34 comentários:

Corvo disse...

Foi preciso ler este "post" para saber essa história que não conhecia. Conheço bem essa caixinha, mas não sabia a história.
Dez escudos nesse tempo equivaleria a mais de cinquenta euros agora!?
Bicadinhas do Corvo.

Green Knight disse...

O melhor legado que podemos deixar aos nossos filhos, são os valores que nos foram já deixados a nós,pela família.
São estes docinhos que servem sempre para adocicar os momentos
mais amargos que a vida nos dá.
Quem não recebe essa amendoa?Estarei na fila da frente,como amigo de mão estendida, para apanhar uma figurinha.
Feliz Páscoa para a Maria e seus familiares.
Bjs
jrom

Maria disse...

Meu Corvo
Não seria tanto, mas era dinheiro.
A avó juntou algumas dentro do mealheiro que hoje é teu.
A mobilia custou 650 escudos.
Até logo Pato Bravo de adopção.
Beijinhos da Pata Brava
Maria

Maria disse...

Green Knigth
Claro que haverá amêndoas virtuais para todos.
Este filho é o que conheces. É dos três o que mais histórias sabe.
Beijinho e boa Páscoa para ti e familia,da
Maria

Paixão Lima disse...

Lembro-me bem dessas moedas de prata de dez escudos. Tanta coisa boa que poderíamos comprar com uma só dessas moedas. Recordo-me também, das amêndoas de licor com açúcar. Chamavam a essas amêndoas, não sei porquê, de amêndoas francesas. Quanto às libras de cavalinho, nem cheirá-las.
«Tudo na minha vida sabe e cheira a passado». Pode dizê-lo mil vezes minha Amiga, que não acredito.
Boa Páscoa para a Maria e Família. Com muitas amêndoas (doces), com licor ou sem licor, francesas ou portuguesas. Já agora, também com um coelhinho da Páscoa de chocolate, de dois palmos.
Um beijo.

Maria disse...

Paixão Lima
As amêndoas de licor, já cá estão.
Das outras não gosto. Gostava de saber o "cheiro" das Libras, mas já as não conheci.
Obrigada, meu amigo. Boa Páscoa para si e Família com tudo o que têm direito.
Beijinho
Maria

Je Vois la Vie en Vert disse...

Sorte tua, querida Maria, porque desde que saí da infância - na idade porque na cabeça ainda estou... - nunca mais recebi nada na Páscoa. Eu continuei a tradição da minha mãe como contei no meu blog. Se eu quiser amêndoas, tenho que as comprar....

Hoje vou almoçar com amigos, é como se fosse uma prenda da Páscoa !

Como dizes, feliz sou eu por ter a Fé - que me veio tarde -, é uma Fé simples, pura mas fortíssima porque estive atenta à vários sinais que Jesus me enviou e entendi-os. Afinal, como sabes - ou não fizeste talvez ainda a ligação, pensa bem em certos detalhes da minha identidade - estou fortemente ligada ao Cristo desde o meu nascimento.
Ontem à noite, participei numa Via Sacra. Era a primeira vez e fui, junto ao coro da igreja cantando durante muito tempo. Foi cansativo mas foi belo na união com os outros e na sua simplicidade sem excesso. É assim que vejo a minha religião mais em actos do que em palavras.

Feliz Páscoa junto aos teus !

Beijinhos

Verdinha

jrom disse...

Que bom!Esta partilha das pequenas grandes coisas.
Será que a mensagem da Páscoa, é isto mesmo?
Afortunados os que possuem os valores da partilha.
Feliz Páscoa
Um beijinho para ti Maria e abraços para o marido e filho.
jrom

Paula Raposo disse...

Era o meu avô materno que me oferecia estas amêndoas de licor. Gosto tanto!!
Boa Páscoa, Maria. Beijos.

Laura disse...

Menina, voltei atrás no tempo e lembrei que as amendoas que mais gostava, eram pequeninas carregadinhas de licor e todas ás cores...
O pai comprava sempre na Páscoa, ehhh era um nunca mais acabar de mastigar tanto açúcar que fazia tão mal aos dentes e a tudo, mas,sabia bem...e agora mantém-se a tradição, amendoas na mesa, sempre...eu bem passo o solhos de lado, mas...
Aquele abraço apertadinho da laura

Andre Moa disse...

Não posso comer amêndoas,
porque sou muito malandro.
Se for preciso encomendo-as
para te oferecer. Camandro!

Sana e alegre páscoa.

Só vale olhar para o pasado se ele nos servir de trampolim que nos guinde para um futuro risonho.É o que vos desejo. Parabéns, corvo, pelo pai corvo e mãe corvina que te calharam na caixinha da Vida.
Abreijos
André Moa

Maria disse...

Jrom
Deve ser bom acreditar assim, pura e simplesmente, como a Verdinha.
Eu faço muitas perguuntas. Tenho a cabeça cheia de dúvidas, de interrogações. Não sou capaz de acreditar porque sim.
Boa Páscoa para ti e família.
Beijinho
Maria

Maria disse...

Querida Verdinha
Era bom acreditar assim. Talvez fosse mais feliz.
Para mim a Páscoa é triste. Mataram Jesus, que, dizem morreu para nos salvar, e afinal de quê? deste mundo de desgraça e tristeza? Ele pregou o amor, e só vejo ódio por todo o lado. Pobre Jesus que morreu em vão.
Hoje vou almoçar fora. Não sei o quê. Entretanto vou ouvindo música de Bach, roendo uma amêndoa de vez em quando, e pensando nas Páscoas antigas, quando os meus olhos de menina se extasiavam com as cerimónias da Semana Santa. Então sim, era bonito. Ou fui eu, que perdi a inocência e os olhos de criança.
Boa Páscoa para ti, Leo e família.
Um abraço grande meu e do João para vós.
Maria

Maria disse...

Querida Paulinha
Abre uma das caixas e tira uma amêndoa. Mas abre as de cartão, porque as outras só têm recordações.
Não tires as pombinhas. São da minha mãe.
Beijinhos e Boa Páscoa.
Maria

Maria disse...

Flor de linho
Na Páscoa as amêndoas de licor não engordam, mulher de pouca fé. Sabem tão bem! Come lá uma, nem que seja em nome do passado.
Boa Páscoa, querida amiga.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Querido André

Destas tu podes comer.
Algumas são de horaliça,
São rabanetes, tremoços,
Cenouras, é só saber
Escolher uma. Mas que chiça!
Que vão ser nossos almoços?

Olhar para o passado é reviver, amigo. É ver aqueles que perdemos e tudo o que amámos. O futuro é já hoje.
Tenho saudades tuas.
Um abraço do João e do Corvo e beijinhos meus para todos vós, com muitas amêndoas e chocolates para o pequenino.
Maria

P.S. Diz à Teresinha que a rendinha que ela me deu, está numa moldura, mesmo à entrada da minha sala, onde guardo todas as lembranças dos meus amigos.
Maria

Kim disse...

As pombinhas eram lindas.
A tua mãe iria querer uma. Um dia terás oportunidade de lha dar, assim queira a imaginação.
um beijinho à Petite Marie

Estrela d'Alva disse...

Maria,

Não me podia esquecer de ti e de te desejar uma óptima Páscoa!

Quanto ás amêndoas, são doutro tempo... daquele tempo em que eu gostava de lá ter vivido!

Beijinhos enormes para ti,
Da tua pequenina

Maria disse...

Kim
Boa Páscoa para ti, Luisa e todos.
As pombinhas, lembram-me a paz que tão arredia anda do nosso mundo.
Abraços do João e do Vasco e beijinhos para todos da
Maria

Maria disse...

Obrigada minha Pequenina. Esse tempo em que gostavas de ter vivido, também tinha defeitos, mas era belo sim.
Boa Páscoa minha Estrelinha querida.
Muitos beijos da
Maria

Je Vois la Vie en Vert disse...

Obrigada, querida Maria, por teres passado logo de manhã pelo meu cantinho onde tinha manifestado a minha Fé, simplesmente com aquela linda música.
Tens razão, tenho sorte em ter encontrado a Fé porque ela me ajuda neste caminho onde, como toda a gente, encontro pedras e às vezes bem grandes. Foi-me dada através duma amiga da minha mãe que estava desde o nascimento do filho mais novo numa cadeira de roda, sempre bem-disposta, sempre sorridente.
Também há muitas coisas que não entendo mas não questiono cada passo que dou em frente senão não ia a lado nenhum !
Normalmente almoço fora também mas desta vez, decidi fazer o almoço em casa - e mais requintado - e a música que ouviste mais a missa me deram forças para fazer tudo o que tinha a fazer. No entanto, ontem à noite, deitei-me tarde por ter passado uma óptima tarde junto de amigos queridos e não dormi muito.
Um resto de Feliz dia da Páscoa!

Beijinhos

Verdinha

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Cá estou eu, em pleno domingo, e com amêndoas de chikulate. Também gosto das com licor, (parece que já as há com uisque, mas ainda não as apaladei) porem as primeiras são as eleitas do meu c'ração. E, por mais incrível e impensável que pareça, a Raquel até sabe disto...

Quando era puto, as amêndoas francesas eram as mais finas. (As outras, mais gordas e duras, eram para a arraia miúda) Só a malta apessoada é que as consomia. Oferta-las era prova de estatuto e, por vezes, raras, de Amizade.

As mais das vezes eram graxa pura que se dava aos Senhores Chefes na esperança de retribuição. Ou seja, de promoção. Eram uma forma de lamber as botas ao Poder.

Hoje, vendem-se de todas as qualidades, feitios, sabores e até já encontrei umas sem açúcar. E, possivelmente, com farinha de alfarroba a fingir de chikulate. A maior parte em saquinhos de plástico. Algumas, mesmo em plástico.

Caloricamente falando, vou-me às amêndoas, salvo seja. Visto isso,
abs para a malandragem a começar peela artística e amêndoas para tu

Maria disse...

Henriquamigo
Tu não me fales do Xico Late, que eu não gosto nada dele. Lá as amêndoas de licor, vou roendo, mas o cheiro do dito cujo, bole-me com o estômago. O artista é que gosta.
Ontem comi cabritinho e sericaia com ameixa de Elvas, doce da minha predilecção. Os docinhos conventuais são muito do meu gosto. As reverendas Madres não brincavam em serviço. Faziam doces, adoçavam a vida a reis e fidalgos... Santas criaturas, benza-as Deus. A Madre Paula, minha vizinha, adoçou a vida ao D. João V, com marmelada. Ele era marmelada para todos os gostos. Até lhe deu os "Meninos de Palhavã" que deviam ser uns doces, acho eu.
Vou-me deixar de heresias, senão ainda me acontece como a um homem da minha terra a quem o senhor prior ameaçou com a excumunhão. Sabes o que esse pato bravo desalmado e ateu, ainda por cima, lhe respondeu? Olhe lá, senhor padre, faça lá isso, a ver como fico. Parece que ficou na mesma. Mas eu não me astrevo a tanto.
Abraços do maralhal, beijinho e as melhoras da tua Raquel e queijinhos de Tomar para tu.

Laura disse...

Maria; o que é a sericaia? doce? ensina aí... calahr conheço ma so nome nada me diz, logo, deve ser coisa de gemas açúcares e só isso, já é bom..Beijinho da laura

Maria disse...

Laurinha
A sericaia é um doce alentejano. Não sei a receita de cor, mas quando a encontrar, mando.
Beijinhos
Maria

Maria Soledade disse...

Ah Maria, que saudades dessas amêndoas. O meu Pai dava sempre uma caixinha a cada um de nós.Eu adorava os bebés e as cestinhas redondas com um fiozinho dourado.O Jorge só gostava e aínda gosta das ervilhas.Lá em casa entravam também as amêndoas torradas porque a minha Mãe adorava...

Que saudades da Páscoa desse tempo!Eu enfeitava a nossa rua, com a ajuda de todos os vizinhos com flores.Tapetes lindos de flores, que ninguém se atrevia calcar até passar a procissão.Colchas que enfeitavam as varandas e tantas outras coisas que tornavam o dia numa grande festa.Ah,nesse dia estreava-se roupa nova ahahahah,que giro!Eu não poupava a compra de um novo par de sapatinho de verniz,hoje uma grande piroseira!Lembras-te dos saiotes de goma(faziam barulho)que usava-mos para armar os vestidinhos?Xiiiii...que saudades!!Hoje,nem me lembro se é Páscoa ou não.Perdeu-se toda a tradição e o Domingo de Páscoa para mim não passa de um qualquer dia comum...

Amêndoas para te oferecer não tenho,mas amizade sim. Muita para te DAR...

Beijinhos ENORMES

MUUUUUUUUAAAAAAAAAAHHHHHHH*********

Laura disse...

Bom diaaaaaaaaaaaaaa! Amei ver por aqui a nossa Soledade a nossa nina que me levou ao tempo dos saiotes de tule e popelina engomada, ah saias pregueadas, blusinhas, meias calça ja no meu tempo, e ia eu a caminho d amissa de Domingo de páscoa, e, nem cheguei ao destino!...tanta recordação..
Maria,a quele abraço de um lindo dia...a tua flor de linho...

Je Vois la Vie en Vert disse...

Olá Maria,

Então não há estrangeira mais portuguesa do que a Verdinha que até sabe o que é sericaia ! Leste isso, Laurinha ?
A irmã do Leo ofereceu-lhe uma caixinha destes amêndoas com licor mas a caixa é verde (!!!) e o "título" é "legumes", quer dizer que as amêndoas são em forma de legumes... Ele ainda não a abriu, por isso não conheço ainda o sabor....Mas se tiver licor, eu nem lhe toco porque não gosto de álcool.
As amêndoas que mais gosto são as torradas. As amêndoas de chocolate, não aprecio muito, primeiro porque o chocolate por mais caro que seja nunca chega aos calcanhares do chocolate belga ( :-D LOL) e porque na Bélgica estas amêndoas (que não têm amêndoas, que se lhe diga !!!) são chamadas dragées e são oferecidas aos convidados na altura do baptismo, comunhão ou casamento na Bélgica ver aqui. Por esta razão, elas não têm sentido nenhum de Páscoa para mim.
Aprendeste mais um pouco sobre tradições comigo ?

Beijinhos da Verdinha

Maria disse...

Querida Sol
Tem graça que as minhas preferidas são os bebés. Dizer neste tempo que se comem bebés não é políticamente correcto, mas estou-me nas tintas.
Sapatos de verniz de salto alto e saiotes com goma, que nos faziam parecer bonecas, cinturinhas adelgaçadas por largos cintos, cabelos bem penteados... Ai Sol que saudades me fizeste!
No Carregal, ali perto de Ovar, a rua que ia da porta de casa ao portão, era atapetada de flores, palmas e alfazema. Só o sr prior as pisava, quando vinha à quinta com o compasso. Onde tudo já vai...
As melhores amêndoas no Porto eram as da Arcádia, na Praça. O que tu foste acordar dentro de mim, Kida.
Vai um chásinho na Villares, em frente ao Bolhão? Se calhar já nem existe.
Saudades desse tempo, de ti, que nunca vi e estimo tanto, de mim, nesse tempo.
Beijinhos e um abraço grande da
Maria

Maria disse...

Flor de linho
No meu tempo ainda não havia meia calça. Meias de risca e cinto de ligas, era a moda. De vez em quando, saltava um elástico e era um sarilho para voltar a prendê-lo.
Muito sexy e muito chato. Mas eram lindos.
Beijinho
Maria

Maria disse...

Querida Verdinha
Aprendi contigo e gostei.
Sabes aquele provérbio português qu diz: "Cada terra com seu uso, cada roca com seu fuso"? Ora aì está.
Beijinhos, linda
Maria

Laura disse...

Maria, devia ter 8 anos quando estreei as minhas primeiras meias de musse amarelinhas riscadas da própria malha, ah..que tombo levei com elas e os sapatinhos de verniz..depois conto...beijinhos, lembro das meias que precisavam de ligas ehhhh que horror...mas, era o que havia..beijinhos..laura

Corvo disse...

Eu estou a ficar doido, ou esta fotografia está em negativo?!

Laura disse...

Olha o que o corvo descobriu!...

Beijinhos e post novo as amendoas muito tempo, engordam que sei lá..Aquele apertadinho abraço da laura