quarta-feira, 12 de maio de 2010

O Avô do Século


Falo-vos de um papa já esquecido por muitos. Quando foi eleito Papa, achei-lhe um ar terreno, diferente das figuras ascéticas de Pio XII e Paulo VI. Como nunca conheci os meus dois avós, nomeei-o meu avô. Quando estive no Vaticano, estive sentada perto da urna de vidro onde dorme o último sono. Comovi-me, como se fosse mesmo o meu avô. E lembrei, um pequeno poema de Manuel Alegre, que fiz meu, logo que o conheci. Disse-lho baixinho, como quem reza.
O poema é lindo e aqui está.

De Deus não sei! Mas quase creio
Que Deus poisou nas mãos cheias de terra
De um jovem camponês de Sotto il Monte.
Por isso mando à Praça de São Pedro
Não uma prece
Mas a minha canção fraterna e livre
Esta canção
Que vai pedir-te a humana benção
João XXIII, o avô do século.

Manuel Alegre

Este Papa, eu não queria para avô.
Até um dia destes.

17 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Lá tenho de concordar contigo, naturalmente com ressalvas. Achei o Bom Papa o que menos me deu motivos para não gostar dos bispos de Roma na generalidez...

Este João XXIII não o considerei meu avô, mas não disse mal dele, nem o critiquei. Deixei-o andar à vontade, com o benefício da dúvida, ou seja, de pé atrás.

Porém, não nos podemos esquecer que ouve, com h, um montão de gajos que diziam mal dele, porque aparentemente não estava com o establishment.

Por isso, aqui fica a minha opinião que lhe foi, é e será menos pesada comparada com a que tenho sobre a matilha que os outros foram, são e continuam a ser.

Abs machos e barbados e qjs para tu

Maria disse...

Henriquamigo
Como homem deve ter tido os seus defeitos. Mas o seu ar terra-a-terra, as feições rudes e humanas, fazia lembrar aqueles avôzinhos das histórias. Era miúda e à falta de um avô verdadeiro, fiz dele essa imagem. Deste não gosto nem um bocadinho. Os olhos dele gelam-me. Talvez porque não vou à bola com os alemães, na generalidade.
Tenho medo deles.
A Raquel como está?
Eu cá estou, com o raio do estômago a doer permanentemente. Porque teremos nós tantas peças? E avariam com a idade.
Abraços dos homens, beijinho e as melhoras da Raquel e queijinhos para tu.
Maria

Kim disse...

Estou como tu! No entanto acho que tanto ele como João Paulo II fizeram toda a diferença na hitória dos papados.
Alguém disse que a chegada de João XXIII à cátedra foi o fim da Idade Média em que havia mergulhado a Igreja.
Um beijinho à Petite Marie e ao seu avô (da bondade).

Laura disse...

Maria, ahhhh este novo papa parece que papa mais do que dá... porque o vaticano é a maior fortuna do mundo, e, os pobres continuama existir seja na Itália ou noutro lado qualquer e não é isso que jesus queria e quer!...

Não conheci esse papa da foto mas tem um ar amoroso..beijinho da flor de linho, laura

Paixão Lima disse...

Estimada Maria,
João XXIII e João Paulo II. Dois papas carismáticos. O Bento talvez sofra um pouco do aspecto. Pertenceu à Juventude Hitleriana ao que dizem. O que não quer dizer nada. Também pertenci à Mocidade Potuguesa. Temos de partir a noz para ver o que está dentro.
Beijinho.

Laura disse...

Então parta-se a noz como diz o Paixão, pois eu acredito piamente que estará podre por dentro e por fora será o que vemos, isso memso!...O que nãoq uer dizer que o deteste, não senhora, passa-me ao lado e venha o outro que os escolhem tão tarde e caducos...devia ser proibido, o homem mal se segura de pé de cansaço...
Maria, querida Maria, tens um email para responder ou o João ainda açambarca o pc? pede-lhe tempo... Beijinho da flor de linho, laura

Maria disse...

O meu avôzinho, João XXIII, ocupou um espaço tão grande no meu coração, que não deixou lugar para mais nenhum. Quando o vi no Vaticano, na sua urna de vidro, foi como se visse um grande amigo morto. Impressionou-me mesmo muito.
Este é duro, distante, com uns olhos frios. Não há comparação possível.
De João Paulo II, tenho uma queixa pessoal, que um dia talvez conte.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Laurinha
Papa o papa, papam os políticos, pagamos nós as contas. Não tenho mexido no pc, porque além do estômago, doem-me as costas e não consigo estar aqui muito tempo.
Vou ver o teu Email.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Paixão Lima, amigo
Tem razão. Quem vê caras não vê corações. Mas nós temos as nossas simpatias. Este Papa é alemão e eu não gosto deles. É injusto? Claro que é. Estou a culpar os actuais alemães, por coisas passadas há muito tempo.
Sou assim: Quando me dá para não gostar, não gosto mesmo. Sou um bocado de extremos.
Abraço
Maria

Je Vois la Vie en Vert disse...

Como não concordo convosco, meus amigos, retirar-me-ei sem comentar nada mas não sem tristeza de ver julgar as pessoas sem as conhecer.

Beijinhos
Verdinha

Maria disse...

Querida Verdinha

Se reparares bem, eu própria me recrimino, por fazer julgamentos só porque simpstizo ou antipatizo com alguém. A minha antipatia estúpida pelos alemães vem do tempo dos nazis. Os de hoje, que não fizeram nada, pagam, estúpidamente, repito, pelos crimes dos outros. O teu país Natal, sentiu muito mais do que o meu, as maldades do senhor Hitler e seus seguidores. Aqui, tirando o racionamento, mais perseguições políticas, mas não foi varrido pela onda de destruíção, que varreu o resto da Europa. Os actuais, coitados, não são culpados de nada.
Quanto ao Papa, metem-me medo aqueles olhos gelados e duros.
O meu Jesus era doce como Joâo XXIII. Amai-vos uns aos outros, disse ele. Viveu na pobreza, amou os pequeninos, os pobres, os desvalidos. Não precisou de guarda-costas, foi vendido e morreu numa cruz tosca, perdoando a todos e pedindo a paz. É esse que eu amo, embora às vezes, me custe a perdoar.
Desculpa se te feri. Era a última coisa que queria. Respeito toda a fé verdadeira como a tua.
Não fiques zangada.
Abraço grande
Maria

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Maria,
Não estou zangada, não !
O blog é teu e tens todo o direito de escrever o que pensas. Reparei que recriminaste-te o que é bonito e tem a ver com o post que escrevi sobre os defeitos.
Como também podes reparar, escrevi "com os meus amigos" e preferi retirar-me porque o assunto me feria. Sabes, quando tive um sinal do próprio Jesus através duma amiga paralítica da minha mãe, prometi-Lhe que nunca ia ter vergonha Dele. Não sou beata, até nem rezo muito mas vou à missa todos os domingos porque é a minha visita semanal ao meu Pai (é engraçado como Bento XVI falou em visitar a Mãe em Fátima), onde posso recolher-me melhor uma vez por semana, ouvir as palavras de Jesus, comungar e sentir todo o calor humano que se viu entre os cristãos nessa visita papal. E como sou fui educada assim, respeito o Chefe da minha Igreja, sucessor de Pedro. Até te confessarei que nem tinha grande simpatia por este Papa, por ter amado demais o Papa João Paulo II e aqui em Portugal, através das imagens que vi, ele conseguiu conquistar-me !
Quanto ao Papa João XXIII, tinha 10 anos quando faleceu e não podia ter grande opinião nele.Não conheci os meus avôs, não podia transferir o que (não)sentia para eles para outra pessoa.
Beijinhos, querida amiga, nunca me podia zangar por isso, até porque não seria um acto
cristão...;)) LOL

Beijinhos
Verdinha

P.S. Na Bélgica, as pessoas que ajudaram os nazis foram castigados e o povo belga nunca teve raiva dos alemães nem ressentimento. A maior parte das pessoas foi levada numa engrenagem do que não podiam sair e os filhos não são culpados dos actos dos pais.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Amiga Maria,

Há outra diferença entre nós mas que não impede a nossa amizade : és uma revolucionáriazinha e eu sou uma pacifista mas nunca fui hippie nem aderi ao movimento do ano 68 ... :))

Beijinhos
Verdinha

Maria disse...

É verdade, minha querida. Sou da era das grandes revoluções, espirituais e mais terrenas. Sou um pouco revolucionária, também.
Acredito em Jesus e em todos os seus actos e palavras. Respeito todas as religiões, desde que não interfiram com a Liberdade, palavra sagrada para mim. Já disse várias vezes, que gostava de ter a tua fé cega. Não consigo. Faço demasiadas perguntas a que não tenho respostas que me convençam.
Na minha família, quase todos são católicos fervorosos e praticante. Eu sou o patinho feio do grupo.
Abraço como sempre. Amigas para sempre?!
Maria

Laura disse...

Maria patinha feia, hum, não senhora a Maria é mais uma diabinha revoltada com a sinjustiças que se praticam no mundo, claro, eu também ou nãos eriamos Sagitarianas... mas, a cada um as suas obras os eu bem fazer...
Em primeiro lugar, Jesus,s empre jesus, e a Mãe maria,s empre sempre,depois há Anjos arcanjos e por aí fora, e todos são almas boas que ajudam quando o podem fazer...
Beijinho da flor de linho e nánaninánão, a verdinha e a Maria amuadas, never, never, são grandes amigas mas acho bem que cada um diga o que sente e o outro respeita e tá dito...tudo na maior.. laura

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Maria,

Amiga para sempre ????
Amigas para sempre !!!
:))

Sabes porque tenho uma Fé cega ? Porque não me foi imposta por ninguém. Fui educada catolicamente pelos meus pais praticantes mas não beatos e que nunca impuseram nada aos filhos. Fico enternecida quando vejo os meus "velhotes" (com todo o respeito) de 90 e 92 anos assistirem à missa na televisão e se levantarem na consagração, vejo a Fé nos olhos deles quando lhes trago e lhes dou uma hóstia consagrada.
Quando vim para Portugal, deixei de ir à missa por não conhecer a língua dum lado e do outro por comodismo, confesso, mas não deixei de educar os meus filhos com os valores cristãos.
Há uns 10 anos para cá, a minha mãe me levou a visitar uma amiga paralítica que me mostrou (e me ofereceu) uma prova divina sem eu estar à espera disso e foi como um raio de luz que recebi abrindo completamente o meu coração que estava um pouco fechado. Foi muito emocionante e percebo agora porque esta senhora que estava numa cadeira de roda há 50 anos estava sempre sorridente e formava um casal lindíssimo com o seu marido.
Mais tarde, às várias perguntas que fiz a Jesus, recebi sempre respostas e eram estas que me importavam. Agora as outras perguntas "porquê?", "será?" "quando?", são perguntas que nunca poderemos resolver aqui na terra, então porque "infernizar" a nossa vida com dúvidas. Haverá um dia em que perceberei, entretanto, não tentando saber a todo o custo porquê, tornei a minha vida mais feliz. Aliás, quando, às vezes me assolam algumas perguntas do tipo destes em cima, digo "Vade retro satanás" e não penso mais no assunto. Esquecemo-nos, muitas vezes, que satanás existe...

Tu que tens muito amor pelo "teu" Jesus, se Lhe fizeres perguntas concretas em certas circunstâncias, em certos lugares, não tentado saber do "inexplicável", e que estiveres bem atenta, receberás as respostas. Eu as recebi 2 ou 3 vezes nas palavras doutras pessoas e fez-se luz quando as ouvi !
Gostava tanto que todas as pessoas tivessem a minha Fé, cega como dizes, porque assim o mundo seria melhor.

Muitos beijinhos, querida amiga, e obrigada pela tua paciência para ouvir a minha "homelia".... :))

Verdinha

Andre Moa disse...

Só hoje cheguei até aqui. Tive pena de não ter seguido o decorrer desta troca de impressões sobre o Bom João XXIII. A ter que gostar de algum papa, sem dúvida que a minha escolha recairia no Bom Papa João. Gostei tanto dele quanto detestei o santarrão,o tetral João Paulo Segundo. A ponto de detestar, mas mais suavemente, este bento hipócrata e fariseu.
Sabem esta que na altura correu mundo? Um dia a Sofia Loren foi visitar João XXIII. À saída, pediram-lhe uma opinião ia sobre o papa. Disse a Sofia: gostei muito do papa João XX. Os jornalistas riram-se e apressaram-se a corrigi-la: João XX não, Sofia, João XXIII. João XXIII antes de eu entrar. Depois de eu ter estado com ele, passou a ser apenas João XX.
E disse.
André Moa