sábado, 12 de junho de 2010

Adeus Tuca


Esta é a segunda cadelinha dos meus filhos e neto.
A Tuca, foi encontrada na estrada que liga Lamego à linda Igreja de Nossa Senhora dos Remédios. Era pequenina, estava suja, ferida e com fome. O irmão da minha nora levou-a para casa e a mãe lavou-a, tratou-a, deu-lhe comida e uma casa para morar. Ela gostava daqueles donos, da vida que levava, dos passeios pela rua. Tinha uma amiga, a Chula, que morreu muito velhinha. Teve filhotes, que um belo “Collie”, chamado Fangue mesmo sem ser pai dos cachorrinhos, a ajudou a criar. Enfim, a vida corria-lhe bem e era feliz. Mas havia uma coisa estranha. Quando o meu filho e a mulher iam a Lamego, a Tuca ficava muito contente e quando eles vinham embora, ela arranjava maneira de entrar para o carro, assim como se quisesse boleia. Quando o meu neto foi baptizado, os avós de Lamego vieram a Lisboa e trouxeram a Tuca. Foi um dia lindo e bem passado, de que tenho saudades. Mas vamos à Tuca. No dia seguinte eles voltaram para Lamego, sem a Tuca. Tinham combinado, deixar a cadela escolher. Abriram a porta do carro, ela foi fazer festas aos donos, mas não entrou. Foi direitinha aos novos donos, aqueles que ela escolheu. Aqui há uma coisa muito bonita, feita por duas pessoas boas e amigas dos animais. Os pais da minha nora gostavam muito da Tuca, tanto que a deixaram escolher o sítio onde queria ser feliz.
Agora vive com a Duna e os outros, com os donos. É muito meiga, afectiva, mas gosta de ser independente. Gosta de apanhar ratos do campo e pássaros, gosta de vadiar, mas também gosta de se aninhar no colo dos donos e receber festas e mimos. É a mais pequenina de tamanho, mas é muito esperta.
Este post é repetido. A Tuca partiu hoje, velhinha e doente. Perder um animal querido, é sempre triste. Os donos, sobretudo o mais pequeno, estão tristes. Eu também. Só nos consola que enquanto viveu, foi um bichinho feliz e amado.
Beijinhos para os donos e o meu adeus cheio de saudades da Tuca.
Até um dia destes.

26 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Máxima que admiro: quanto mais conheço os homens, mais gosto dos cães. Em catraio, tive (mos) quatro cocker spaniel. Todos pretos e todos chamados Chicuelos, que era um toureiro famoso e como os meus pais eram aficionadérrimos...

Morreram todos de morte macaca, entre o atropelamento e o envenenamento com carne criminosa. O último foi o... último. Eu e os meus dois irmãos choravamos baba e ranho de todo o tamanho com cada desgraça.

O meu Pai, um homem bom, calmo e um tanto introvertido (a quem não saí...) por isso decidiu pôr fim a tal despautério. Por isso sei bem o que o pessoal sente.

Abs homi..cidas (???) e qjs para tu

Osvaldo disse...

Maria;

Aproveitando a "boleia" do Henrique, acrescento;... Quanto mais conheço os animais, mais aprecio e admiro os que que lhes dão bons tratos, os que sabem que um animal tem sentimentos, os que vêm num animal uma excelente companhia, os que sabem que um animal é fiel, amigo, bom companheiro e pronto a ajudar o(s) dono(s) em todas as situações.
Já tive um St-Bernard que o recebi quando ele tinha 3 meses e que viveu 11 anos e sei o que representou para nós a sua vida e o quanto sofremos com a sua partida.
Ficou a saudade como para a Tuca ficará a saudade de todos que com ela partilharam momentos de alegria.
bjs, Maria e um abração para o João e Vasco.
da Anita e Osvaldo

Maria disse...

Henriquamigo
Em solteira tive 3 cães. Uma perdigueira linda e meiga, um Serra da Estrela maluco e feroz, que só de mim gostava e um rafeiro esperto e doce, a quem tirava a comida da boca, sem que me mordesse. Só o vi atirar-se a alguém no dia em que o meu filho mais velho (dono da Tuca) nasceu. Ele nasceu em casa, e o cão pensou que era a parteira que me estava a fazer mal. Atirou-se ao rabo da mulher e tive que lhe dizer que ela era amiga, para que parasse.
Quando morreu, jurei não querer mais bichos. Foi assim até há quase 12 anos, quando na boca do Inferno vi o meu Nabão. Apaixonei-me por ele e ele por mim. A tendência que eu tenho para me apaixonar em Cascais é quase doentia. Foi o dono, o cão etc...
Era uma bolinha castanha, brincalhona, com olhos redondos e tive que o alimentar a biberão. Agora está velhote, gordo, convencido que eu sou mãe dele e que manda em nós. Ontem tive a percepção de que qualquer dia será ele a partir. Nem quero pensar nisso.
Os três donos da Tuca ainda ficaram com 4, uma já velhinha, mas sei que não vão esquecer aquela rafeirinha doce que os escolheu para donos. O meu neto está magoado, triste, mas valente como sempre. É aquilo que o meu pai chamava "um gajo rijo". Engole as lágrimas e o desgosto.
A maioria das pessoas não dá valor aos animais. São meros objectos. Os meus e por arrasto, os dos meus filhos são companheiros de vida, fieis e leais. Quando se leva um para casa, é para ter tudo o que precisa, até amor, sobretudo amor.
Estou um bocadinho triste, ainda.
Obrigada pelas tuas palavras amigas.
Abraços dos homens, beijinhos para a Raquel e queijinhos para tu.
Maria

Maria disse...

Osvaldo
As tuas palavras fizeram-me bem. É bom saber que há mais pessoas a sentir o mesmo que eu.
Quando se tem um animal, deve saber-se que temos responsabilidades para com ele. Quem não entende isto, não devia tê-los. Como dizes, eles sentem, sofrem, dão alegrias e desgostos.
Meu pai dizia que são seres viventes como nós. Não me envergonho de ter chorado pela Tuca, não me envergonho de dizer que fico angustiada quando ou meu Nabão adoece e que um dia vai partir. São anos de vida partilhada, de alegrias e brincadeiras. O Nabão ontem quando me viu triste, lambeu-me as lágrimas e parecia que chorava baixinho. Se me vê doente, fica dias ao pé de mim, olha-me triste como se percebesse que estou a sofrer. Só sai de ao pé de mim para comer.
Não me envergonho de dizer que os nossos animais fazem parte da familia. Partilham tudo connosco.
Obrigada amigo. Abraço do João e do Vasco, beijinhos para a Anita e para ti.
Maria

Anónimo disse...

Obrigado Mãe,
beijinhos para os 2
João, Sílvia e Rafael

Maria disse...

Beijinhos meus amores.
Eu também gostava muito da Tuquinha.
Mãe e Avó

Kim disse...

Petite Marie
Não há nada que te não aconteça. Esta nã foi certamente a melhor altura para a Tuca partir. Debilitada como andas qualquer imponderável te abana. E um cão é algo maior que um amigo. Como nada é eterno só temos de aceitar esta triste realidade.
Beijinho

Maria disse...

Kim
Custou-me um bocado, sim. Sobretudo ver lágrimas de desgosto nos olhos do meu neto. Começou muito cedo a saber o que é a dor de perder algo que se ama. Os pais também estão tristes. Com a paixão que todos temos por animais, foi mais um desgosto a juntar aos muitos que ultimamente temos tido.
Tudo acaba um dia. Mas fica-se mais pobre e mais só.
Obrigada pelas tuas palavras amigas e beijinhos para os dois
Maria

Laura disse...

Sei o que é esse amor,sei e sinto, já os perdi pela vida...
O shaka é um amor é um cão melhor que muitos seres humanos, a nossa relação é de amor carinho, ele adora a todos mas mais a mim, sabe que não ouço e protege-me seja lá de quem for...não deixa que me gritem ou falem alto... (rosna e eles afastam-se) e se preciso for morde mesmo...rotweiller traçado d
e labradora...é meigo como a mãe mas...o pai era bem rebelde. tem as duas coisas.

E como diz o kim, nem precisavas disto agora, só que a vida é como é.

Um xi para a cadelinha linda e para os donos que sofrem, mas há-de passar...
beijinho da laura

Maria disse...

Querida Laura
É verdade que os cães são os nossos maiores e mais fieis amigos.
Há muita gente que não entende isso, mas o desgosto pela morte de um amiguinho de 4 patas é muito grande e marca-nos para sempre. Claro que o tempo, como sempre, adoça esse desgosto, mas fica a ferida e as recordacções.
Para ela foi um alívio, porque estava a sofrer muito. Mas dói.
Beijinhos
Maria

Laura disse...

Pronto, a tuqinha já foi e estará bem onde está por ser uma cadelinha querida.
Muitos beijinhos e tu arriba, arriba que Setembro daqui nada está a bater à porta...
laura

Corvo disse...

Só hoje faço um comentário, porque tenho fugido de pensar no assunto.

Pelo facto de ter sido ela a escolher os donos, gostava mesmo muito dela.
Custou-me por isso, mas muito por saber o que o dono (João) tanto gostava dela. E também os outros donos que de certeza muito sentiram com a sua partida.

Pergunto-me se estes animais, que têm sentimentos e "personalidade" acabam assim sem mais nem menos. (É que, sobre as pessoas, diz-se que "vão para o céu"...)

Beijinhos para ti e festinhas para a Tuca

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Maria,

O "partir" dum amigo é sempre doloroso e quando este amigo ainda por cima fazia parte da família, mais ainda custa, mas tendo ele morrido de velhice, é a lei da vida. A consolação foi que viveu feliz e com carinho.

Beijinhos da Verdinha

Maria disse...

Vasco
A Tuca talvez corra agora num grande campo atrás dos gatos que detestava.
Com todos os azares foi feliz.
Sabes que a Duna agora dorme na casinha dela com a manta dela? Quem disse que os animais não têm sentimentos? São mais amigos do que os Homens.
Eles ainda continuam tristes.
Beijinhos
Mãe

Maria disse...

Obrigada Verdinha pelo teu carinho.
Os donos ainda estão tristes, mas o tempo tudo cura.
Beijinhos
Maria

Estrela d'Alva disse...

São as despedidas de quem amamos que custam...
...muito...

Beijinhos da tua pequenina

Rosé disse...

Isto não tem nada a ver, mas gostava muito de saber se estás melhor, sou a Maria das Caldas o meu mail é msaosimao@hotmail.com, escreve para lá. Beijinhos.

Maria disse...

Pequenina
Quando se perde um animal de estimação a dor é grande. Foram anos de vida partilhada. Mesmo não sendo minha, gostava muito dela e tenho-me sentido triste. Ao contrário do que dizem, a idade não nos endurece, pelo menos a mim.
Beijinho
Maria

Maria disse...

Rosé, minha amiga.
Estou ainda muito em baixo. Os problemas sucedem-se. Quando julgo ter resolvido um, aparecem dez. É a vida.
Obrigada pelo endereço.
O nosso mudou há pouco, mas vou mandar-to por Email
Abraço do João para o teu marido e beijinhos para ti da sempre amiga
Maria

Estrela d'Alva disse...

Maria,

Vim apenas deixar um beijinho de serenidade... tem calma, tudo vai melhorar, tenho a certeza disso.

Gosto muito de ti,
A tua pequenina

P.S - (Desculpa a ausência... tal como tu eu também não tenho andado lá muito bem.)

Maria disse...

Pequenina
Deixaste-me preocupada. Que se passa?
Beijinhos
Maria

Estrela d'Alva disse...

Maria,

Não te preocupes.
"Apenas" tenho tido algumas coisas na minha vida que foram acontecendo e que a viraram de pernas para o ar... só isso.

Beijinhos da tua Pequenina

Andre Moa disse...

Querida Maria,

Não sou, como julgo que sabes, um apaixonado por cães. Mas sou um apaixonado por almas sensíveis como a tua. Por isso sofro com o teu sofrimento, tenha ele a origem que tiver.
Um beijinho solidário e força para arribares.
André Moa

Maria disse...

André
Obrigada pelas tuas palavras.
Ando moralmente em baixo. Não tenho tido vontade de escrever, o que é mau sinal. Estou com um raio de uma gripe, que não me larga.
Como te tens sentido?
Beijinhos para ti, Teresinha, Susana e Campeão.
Maria

Laura disse...

Maria, a menina vai abaixo com tudo...ai, ai e ai...
vamos a arribar, houve Tabuaço para o GTinho...pequenininho, mas foi surpresa..
Beijinho da laura e força..

Laura disse...

Ainda não foste ver as fotos? ai que marota...
Vamos lá que o S. João anima a todos..
Um dia bom..laura