sábado, 14 de abril de 2012

O que eu gosto da minha vizinha!...


Claro que tenho várias. Esta é por acaso, a mais antiga. Por várias razões, sempre embirrei com ela. Primeiro tentou meter-se-me em casa, local onde só entra quem eu gosto. Segundo é cusca e não tem vergonha disso. É a chamada “Cusca Assumida”. Tem a lata de me vir perguntar quem veio na véspera a minha casa. Ela espreita na janela da frente, ela espreita na janela de trás, ela espreita no óculo da porta, tudo sem o menor pudor. Chega ao ponto de abrir a porta e meter conversa com os meus filhos quando cá vêm, tem a lata, quando não conhece alguém que vem cá casa, de me tentar fazer um interrogatório pidesco. Ao princípio eu escorregava. Agora resolvi fazer de conta que não ouço.
A senhora diz que é comunista. Nada contra. Cada um é o que quer.
Só que o comunismo dela é estranho. Eu tenho uma empregada há muitos anos. É o meu braço direito e o braço esquerdo, desde que os meus ossos não me deixam fazer tudo. Além de empregada é amiga.
Ora a vizinha deu-lhe para engalinhar com a senhora e esta paga-lhe na mesma moeda. Não se gramam e estão no seu direito. Quando se cruzam na escada nem os bons-dias trocam. A vizinha resmunga, a outra sensatamente não diz nada.
Hoje a vizinha queixou-se ao meu marido que a outra não lhe falava. O meu marido não respondeu. Então veio a explicação: “Ela é que tem obrigação de me falar porque ela é que é a empregada.”
Deu com o meu marido e foi pena. Se tivesse sido comigo, teria que me explicar, porque é que o facto da outra ser empregada (ainda por cima minha e não dela), a obrigava a cumprimentar a “Camarada”. Eu sei que os comunistas não são todos assim. Tenho grandes amigos do PCP. Também sei, que nos outros partidos, incluindo o meu, há pessoas mais iguais que outras (ver o “Triunfo dos Porcos” de Orwell). Mas estou no meu pleno direito de não gostar deles. Ou não?
O que eu gosto da minha vizinha e de pessoas como ela!..
Até um dia destes

Nota: Esta história já tinha sido publicada na Travessa. Fui hoje buscá-la, porque mais uma vez, a fera voltou a atacar.
A imagem é da Net e está assinada.
Maria

29 comentários:

Maria disse...

Minha amiga há pessoas intragáveis. Graças a Deus que os meus vizinhos não são assim, cada um tem a sua vida e não se mete na vida alheia.
Um domingo maravilhoso.
Beijinhos
Maria

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Primeiro achei estranho a charge que representa a "velha surda" do programa de tv a "Praça é Nossa",está aqui. Sei que é da NET...está perfeito o desenho.
Quanto à vizinha, o "privilégio" de ter vizinhas assim, não é só seu.

Adorei, Maria, não conhecia esse lado cheio de humor de minha irmã portuguesa. MUITO BOM!!!

Bom domingo, mana
Beijinhos,
da Lúcia

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Tire o acento agudo e veja um "r" depois do "a"...estar, em vez de está...rsrs...é que estou rindo...até agora!

Maria disse...

Maria amiga:
Vivo num prédio de oito inquilinos há 44 anos. Os vizinhos vão mudando, mas salvo uma, que já morreu, e outra que saiu e de quem sou muito amiga, nunca houve intimidades. Não entram na minha casa, nem eu na delas. Prezo muito a minha intimidade. Cumprimento todos, troco as palavras, a que a minha educação obriga e, parou.
Esta, veio para aqui, pouco depois de mim. Ninguém gostava dela, mas ela tentava forçar a entrada nas casas. Comigo, deu-se mal. Nunca lhe dei confiança. Chego a ter pena dela, porque deve ter uma vida muito vazia. Arranja problemas com toda a gente. Quer saber tudo, e não se acanha de perguntar o que quer saber.
Eu, que oiço muito bem, faço-me surda, passo por ela a 100, e finjo que não oiço.
Por causa da bisbilhotice, (anda na rua, sempre a olhar para tudo, chega a baixar-se para espreitar as caves) já partiu as pernas e uma anca. Nem isso a sossegou. Na rua, dá 2 passos pára, olha para todos os lados, repete isto vezes sem conta.
Chova ou faça sol, sai duas vezes por dia, para saber as tricas do bairro. Ninguém a suporta.
Coitada! no fundo, deve ser muito infeliz, e eu aqui a dizer mal dela.
Às vezes sou torta, confesso.
Beijinho
Maria

Maria disse...

Por mais que procurasse, foi a imagem mais fiel da fulana.
Eu sei que não tenho o exclusivo das vizinhas chatas. Mas esta abusa. Nem a idade a amansou. Tem oitenta e tal anos, e continua na mesma. Quando não sabe, inventa.
Eu, que até sou um bocadinho cusca, embirro com este tipo de cusquice.
Até o desgraçado do marido, é vítima dela. Por mal dele, a maior. Grita com o pobre velhinho, que é simpático e afável com todos. Ela vai passear, ele é que vai buscar a comida ao pronto-a-comer. Passa horas, sentado num banco de rua, para não a ouvir.
Etá mulherzinha chata, mana Lúcia.
Às vezes, a Maria gosta de brincar.
Beijinhos da sua irmã portuguesa
Maria

Olinda Melo disse...

Querida Maria

A imagem, vem mesmo a propósito. ilustra muito bem o tema.

Hihihi...eu também já tive uma assim cusca, mas acho que não é má pessoa. A curiosidade dela é que a mata e me mata a mim também. Mesmo de longe,(entretanto mudei de casa) telefona-me muito e então é um 'deus nos acuda', os assuntos nunca mais acabam, e quer saber de tudo, enfim...

Minha amiga, este fim-de-semana está mesmo friozinho. Mesmo assim fui ontem a Badajoz, quase a bater o dente, o vento é que piorava tudo, voltamos quase enregelados.

Desejo-lhe um bom resto de domingo.

Beijos

Olinda

elvira carvalho disse...

Tive uma vizinha assim. Há uns 40 anos em África. Não sei se era de algum partido, nessa altura a PIDE andava em cima das pessoas, não se falava de politica. Era testemunha de Jeová. E atormentava-me se eu vestia calças que era pecado, se dançava, se me reunia com outras vizinhas para uma partida de cartas, Nessa altura não havia TV, e estavamos longe da família. Foi de tal ordem que hoje basta ouvir falar numa testemunha de jeová para dar corda aos patins e me pôr longe dela.
Não sei se são todas assim, mas não quero correr o risco de saber.
Um abraço e bom Domingo

Maria disse...

Querida Olinda:
A criatura é mesmo assim. Por isso escolhi a imagem.
É pior que sarna. Hoje, o meu filho mais novo, esteve que tempos dentro do carro, para ela sair da janela e não o maçar. Está a ver a força da bicha.
Embirra com toda a gente.
Enfim! Parece que há muitas assim.
Porque é que ela não faz malha, em vez de nos enredar a nós, nas malhas da maldita bisbilhotice?
Tem razão, está mesmo frio. Bom para estar em casa. De manhã, ainda fiz uma boa caminhada. Depois veio o meu filho, almoçamos e estivemos a pôr a conversa em dia.
Beijinhos amiga
Maria

Maria disse...

Querida Elvirinha:
Lá vem mais uma cusca.
Eu referi-me ao PCP, porque ela é, ou diz ser, comunista. A sua era jeová. Também não tenho paciência para elas.
Acho que todos têm direito a ser o que quiserem,mas não me queiram impingir nada.
Clube, religião e partido, são à vontade de cada um. Nunca pergunto a ninguém o que é, destas três coisas.
Beijinhos amiga
Maria

Kim disse...

Petite Marie!
A tua vizinha não é melhor que a minha!
Em todas as ruas, todos os prédio, há vizinhas assim. Provavelmente são ordens do partido, que nem deve saber que ela existe.
Um beijinho grande amiguita

Vasco disse...

Livrei-me da sarna, mas não me livrei da psoríase.
Sem querer generalizar, tenho ideia que a cuscuvelhice nas mulheres é irritante, mas quando os homens dão para ser cuscos ainda são piores que as mulheres. Livrei-me da peçonha da Sarna, mas apanhei duas psoríases. Castigo de ter evitado os interrogatórios da PIDE.

Ritinha disse...

Ai que esta história já me fez dar uma gargalhada!
A sua vizinha, querida Maria, é daquelas pessoas com quem eu não gostaria mesmo de conviver. Não consigo gostar de gente metida e ridícula. Infelizmente conheço uma pessoa que é mesmo parecida, excepto no partido político.

Beijinho

Maria disse...

Kim amigo
A mulher tem para aí oitenta e tais, já partiu as pernas e uma anca, porque é tão minuciosa a cuscar, que nem vê os buracos da rua.
O João ainda a atura, eu fujo dela.
Não sei como ela ouve as pessoas na escada, porque é surda como uma porta. O facto, é que o óculo da porta escurece, quando passamos na porta dela.
Coitada! Se calhar não tem nada que fazer.
Beijinho
Petite Marie

Maria disse...

Corvo Vasco:
Ah pois! Esses dois, também mereciam uma boa história, mas é demais para mim.
O pai, passa a vida a regar as anémicas sardinheiras e a atirar folhas, em cima dos carros dos outros. Entretanto, não perde pitada do que se passa na vizinhança. O filho, conheço-o mal.
Não sabes, que eu só sei as últimas do bairro, pela D.Tina? Ela é que me informa. De outra maneira, nem sabia quem era quem. A verdade, é que conheço muito mal os vizinhos, quer do prédio, quer do bairro.
Beijinhos
Mãe

Maria disse...

Ritinha:
Eu nunca fui cusca, desta forma.
Gosto de saber, que os meus amigos e familiares estão bem, mas nem a eles faço perguntas.
No entanto, quando alguma coisa, como história, literatura, ou pessoa que tenha feito algo pela humanidade, me interessa, sou cusca. Procuro, pergunto, até saciar a curiosidade. Agora, esta cusquice urbana, as revistas cor-de-rosa, as horriveis conversas de alguns cabeleireiros, irritam-me.
Será que as pessoas não têm vida própria, para se preocuparem?
Cá por mim, desde que não me obriguem a ouvir coisas que nada me interessam, tudo bem.
Um dos meus lemas é: Vive e deixa viver.
Não desejo mal nenhum à criatura, mas não gosto dela.
Beijinho Ritinha
Maria

Green Knight disse...

Querida Maria.
Este seu post deu motivo para fazer-mos algumas observações engraçadas,cá em casa!Até vervio para"risota".Penso que todos já tivemos uma vizinha assim ou parecida!.E quando já, estamos mais tempo em casa;é complicado.Pois pelo que leio, a diversão desta senhora é a vida dos outros;e assim se distrai.
(Sabe-se lá porquê!?)
Beijocas.
Mariana

Maria disse...

Querida Mariana:
Eu gozo com ela, mas no fundo, até me dá pena...do desgraçado do marido. Ela grita com ele, que se ouve na minha casa, 3 andares acima. O pobre do homem vai para a rua, só para não a aturar. Não houve ou, há vizinho, com quem a mulher não embirre.
Comigo nunca discutiu, mas tentou. Só que eu deixei-a a falar sózinha.
Ninguém a grama, as pessoas fogem dela, como se fosse a peste.
Sabe o que eu acho? no fundo, deve ser uma pessoa muito infeliz.
Há quase 43 anos que a conheço e, foi sempre igual.
Agora, sem saber, deu origem a algumas gargalhadas. Sempre foi útil, uma vez na vida.
É bom rir.
Beijinhos para os dois da
Maria

Mariazita disse...

Querida Maria
É muito patusca, essa imagem, e muito sugestiva.
Meus pais costumavam dizer: "Deus nos livre das más línguas e de maus vizinhos ao pé da porta".
De facto são duas pestes, cada qual a pior.
Eu vivo num prédio de 10 andares, e a maior parte dos vizinhos, que mal conheço de vista, nem sei em que andar moram.
Houve aqui um período com umas quantas confusões do "diz que disse", mas eu mantive-me sempre aparte. Detesto confusões. Conheço e falo com algumas pessoas que moram cá, mas não são muitas.
A verdade é que, de vizinhas como a tua, minha querida, eu quero é distância. Não suporto coscuvilhices, apesar de gostar muito de "histórias" - ler e escrever. Mas isso é outra conversa... :)

Tudo de bom para ti na semana que agora começa.
Beijinhos

Maria disse...

Querida Mariazita:
Esta, reúne as duas "qualidades": má língua e má vizinha.
Só ela é perfeita. Diz cobras e lagartos de toda a gente. Intromete-se na vida de toda a gente.
Não deve ter nada que fazer, nem se entretém com mais nada, senão cuscar, dizer mal e discutir. A mulher deve ter pancada.
Vive só com o marido, nem os filhos e netos a visitam.
Acaba só. É o fim de todos os que não se regozijam, com os males alheios.
É triste, mas há gente assim.
Beijinhos, amiga.
Maria

DAD disse...

Olá Maria!
Essa da vizinha foi muito boa! Até parece uma história de ficção, mas a verdade é que a ficção acaba por nos acontecer muitas vezes.
A mulher tem de certeza uma "pancada grande" !
É preciso muita paciência para aturar alguns seres...
Beijinho amiga,

Maria disse...

Querida Dad:
A mulher existe e não é única. Eu e os outros, só temos que a aturar de vez em quando. Tenho pena é do marido. Há 50 anos a aturar a bicha, é dose. Ele, é uma pessoa afável, de trato fácil. Está muito velhinho, mas todos os dias, vai buscar o almoço e o jantar para a dama, que só sai, para ir para o café, cuscar. Deve ficar estafada. Cusca na rua, cusca no café, cusca em casa e ainda arranja tempo, para embirrar com toda a gente e gritar com o marido. Tem oitenta anos, mas resiste. Nunca abandona o trabalho.
Aquela cabeça, deve ser oca, ou então, só tem maldade.
Beijinhos querida.
Maria

Anequim disse...

Esta vizinha que bem conheço (e devo dizer que o desenho a favorece bastante) é na verdade um prodígio. Ela não deve dormir há mais de 40 anos. A verdade é que seja a que horas eu chegasse a casa tinha sempre o controlo dela. E tem faculdades de um verdadeira super-heroína. Senão vejamos:
- Não dorme - vigilância 7/24 - melhor que qualquer sistema ligado à central.
- Está em vários sítios ao mesmo tempo. Consegue ter um olho atrás do óculo da porta e ao mesmo tempo vigia Varanda a Leste e Cozinha a Oeste.
- Tem capacidade de memória ilimitada, sem necessidade de disco externo!
- Faz perguntas que mais ninguém tem coragem de fazer.
- Consegue registar não só presença como também ausências. Disso se servia para perguntar se tinha estado uma semana de férias, para onde tinha ido e com quem!
- Melhor que a PIDE, pois conseguia obter informação de muita gente sem arrancar unhas, nem dar choques eléctricos.
bjs
João

Maria disse...

Anequim meu filho:
Tu conheces bem a peça. Foste vítima dela, várias vezes.
A tipa não arranca unhas, mas dá socos, enquanto fala. Já uma vez, tive que lhe chamar a atenção, porque me desequilibrei e ia caindo.
Ainda por cima cheira a naftalina, cheiro com que embirro.
com estes defeitos todos, tem uma grande qualidade: Tem feito rir a malta, que tem poucas razões para rir.
Fartei-me de rir com o teu comentário. A velha dupla, ainda continua a resultar. O melhor, é que já temos um parceiro à altura. Tem 13 anos e dá pelo nome de Rafa.
Beijinhos para os 3 da
Mãe e avó

Verdinha disse...

Olá Maria !
Eu, vivendo numa vivenda geminada, só tenho uns vizinhos do lado esquerdo com quem me entendo muito bem - bom dia, boa tarde, empreste-me um ovo ou sal - resuma-se a isso da parte deles, sempre ficando atrás do portão.
Do lado direito vivem 2 senhoras - irmãs - pensamos - que vivem com um jardim zoológico em casa o que me traz de vez em quando visitas e "prendas" que não aprecio...Nem sabemos o nome delas !Elas gritavam muito ou falavam muito alto até o meu filho colocar a música bem alta e eu cantar com a minha voz de soprano (o Arpa d'Oro do Vá Pensiero de verdi, por exemplo)...Acho que entenderam que as paredes não são blindadas...
Há um hábito aqui em Portugal que não se faz na minha terra : mostrar a casa às visitas. Eu o faço porque vivo em Portugal mas acho tb uma cusquice ou então um esbanjar daquilo que temos. Não é bem o meu estilo mas tenho que seguir as tradições do país onde me instalei - definitivamente, acho eu...
Os vizinhos da frente são muito queridos e até no outro dia me deram uns ovinhos das suas galinhas da india. Não falo do jovem casal que alugou uma parte da casa do vizinho da frente que tem cenas de violência doméstica, pelas quais o meu filho um dia chamou a polícia e a primeira cena que eu vi, eu estava na minha varanda a regar as plantas e pelo facto de ter olhado, sem dizer uma palavra, tive direito a palavrões. Não lhe dei conversa, claro.Pode ser o meu filho. Só me apetecia dizer-lhe "Miúdo, cresce e aparece !"

Beijinhos, minha amiga
Vês que eu te visito de vez em quando.
Ainda estou à espera que me venhas ouvir cantar um dia deste...

Verdinha

Maria disse...

Verdinha, minha Verdinha, que saudades!
Já fiquei a dever um favor à minha vizinha, a tua visita.
Isto de vizinhos é um problema. Então em prédios, pioro. Ora fazem barulho, seja obras, música muito alta e barulhenta, discussões, que não me interessam e a cusquice da mulher.
Olha sabes? Estou a fazer acupunctura, no Pedro Choy. Estou a dar-me muito bem. Já quase não fumo, sinto-me melhor, tenho andado muito a pé. Comecei a fazer há 15 dias, já fiz duas sessões, ando com umas sementinhas na orelha, tomo umas gotas e umas cápsulas, tudo natural. Hoje, já só posso fumar 2 cigarros, para a semana, adeus tabaco. Não tem custado quase nada.
E tu, como estás?
Qualquer dia, vou mesmo ouvir-te.
Abraço, minha amiga
Maria

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Aproveitaste-te de eu estar longe e feliz e - zás!!! - vá de recuperar crónica na nossa Travessa. Não se faz. E ainda criticas o Santo Artista, que é, como todos sabemos e podemos atestar, uma pessoa amável, sensata, inteligente e barbuda.

O pobre desinfeliz só cometeu um erro durante toda a sua vida abençoada. Mas, não se fale aqui de matrimónios e afins; um passo errado foi dado. Gabe-se a resignação do digno Senhor. E o seu estoicismo face à fdp da vizinha. Ámen.

Um marido como esse ékeu gostaria de ter, ops, uma esposa com as qualidades dele ékeu gostaria de ter. Corrigenda feita, um pedido:

Em vez de andares a desviar testículos com x da nossa Travessa, deves é produzir outros para efeitos de contribuição - a 23%.

E valha-nos Santa Ingrácia do Pau, kisto está mesmo muito mau!!!! Vou voltar para Goa, garanto-te.

2abçs bjs da Kel e qjs de soja para tu

Maria disse...

Henriquamigo:
Peço-te desculpa, de ter ido roubar o testo à Travessa. A Gaja, está cada vez mais irritante. No Domingo o Corvo, esteve 10 minutos enfiado no carro, à espera que a mulher desaparecesse. Teve azar, porque não a aturou, mas de castigo, aturou um outro, tão ou mais chato do que ela.
Homem cusco é dose. Este, a quem eu chamo "O Fiel Jardineiro", onde destes dias explico porquê, fez-lhe um interrogatório daqueles.
Faziam-me uma falta danada, os teus comentários.
O Santo Artista, voltou a desenhar, graças à teimosia do neto. Já fez um retrato meu, está a fazer os dos netos.
Tens razão, amigo. Tivemos uma sorte enorme, com os "sensortes" que arranjámos. São Santinhos mesmo.
Aturar gente como nós. não é fácil.
Há dias, que tenho o Diabo no corpo.
Neste momento, ando numa felicidade só. Parece que tudo me corre bem. Até estou a largar o tabaco. Tive que procurar ajuda. Espetam-me agulhas na cara, metem-me sementes nas orelhas, mas está tudo a correr bem.
Estão-me a chamar. Depois conto o resto.
Abraços dos homens, beijinho à Raquel e um queijinho para ti
Maria

Alva disse...

Olá Maria

Quanto a vizinhos não posso reclamar. Vivo num prédio com demasiados andares para poder conhecer todos os vizinhos. Nem metade conheço. Contento-me com o educado "Bom dia, boa tarde".
Há vantagens em não conheceres os vizinhos: cada um está na sua vida, não se interessando pela alheia.

Fizeste-me rir com a tua vizinha. Há pessoas que não se dão conta que estão a ser mal-educadas com tanta cusquice. É um fenómeno frequente em Portugal!

Mil beijinhos,
Da tua Pequenina

Maria disse...

Querida Pequenina,
Tens razão. A cusquice é, a seguir ao futebol, o desporto predilecto dos portugueses.
Como vivo num bairro, quase toda a gente se conhece. Eu saio pouco, só conheço as pessoas que vieram para aqui, na mesma altura que eu, isto é, há quarenta e tal anos. Vejo-as da janela, em grupinhos, e logo penso: Quem será a vítima, desta vez. Isto é quase uma aldeia. Já calculo, quando estão duas juntas, que deve haver alguém, com as orelhas a arder.
Esta, é a abelha mestra, Sabe tudo, pergunta tudo, mete-se em tudo.
Coitada! Dos pobres de espírito é o reino de Deus. Ela vai para o céu.
Beijinho, querida
Maria