segunda-feira, 20 de julho de 2009

Lua


Desde que há homens no mundo, até há quarenta anos, a Lua foi a Deusa inacessível, a vestal intocada, que fazia sonhar amantes, inspirava poetas e pintores, tinha um fascínio que tocava todos.
Atribuem-lhe poderes imensos, podia fazer e desfazer sonhos, manda nas marés, no nascimento das crianças. Ela, sempre diferente e sempre igual, olha-nos lá do alto, convencida da sua beleza, espargindo a sua luz suave e calma, nas horas em que o Sol ia dormir. Diziam que o Sol e a Lua eram namorados, mas nunca se encontravam.
Sob o seu luar, fizeram-se poemas, fizeram-se serenatas, houve namoros, mais ou menos secretos.
Ela acompanhou, lá do alto, o longo funeral da Linda Inês, Rainha depois de morta, de Coimbra a Alcobaça. Assistiu à última noite dos dois eternos amantes, viu as lágrimas de desespero de Pedro.
Quantos amores impossíveis tu velaste, Lua? Quantos crimes encobriste? Quantas crianças nasceram sob a tua luz?
Um dia os homens quiseram-te mais perto. Estudaram, inventaram, tentaram. E naquela noite, pela primeira vez, foste pisada, analisada, trouxeram para a terra pedaços teus. E naquela noite os homens olharam-te de forma diferente. Olhos presos em ti, nos televisores, eles viram dois homens pisar-te pela primeira vez.
E foram lá mais vezes, desistiram e agora vão voltar.
A Ciência avança, os homens hoje sabem mais do que há quarenta anos. Talvez vão descobrir alguns dos teus segredos, talvez te dispam mais do mistério que te envolve.
Mas tu vais ser sempre a Deusa inspiradora dos poetas. Tu vais continuar sempre a ser de todos e de ninguém. Eterna namorada do Sol, que nunca viste, mas te dá essa luz que tu nos mostras.
Há quarenta anos já! Eu vi os homens lá e vibrei. Continuo a vibrar se lembro o que vi. Eles vão lá, pousam, voltam com mais amostras, mais pedras. Mas conquistar-te, Lua, como se nem o Sol te conquistou?
Até um dia destes.

32 comentários:

Laura disse...

Divina Lua!...


Lua
Divina lua
Nasces na noite
E vens iluminar
Toda a gente
Que por ti vai a passar…

É a tua sombra
Que se estende
Pelas madrugadas
Para proteger
Os amantes
E o amor…

É com eles que ficas
Até chegar a alvorada
E os ocultas
No manto negro
Da noite
Até ser dia…

Divina lua
Que vieste
Para proteger
Aqueles que se amam
E não podem ou não sabem
Enfrentar o mundo…

Pois nem todos os que se amam
Se pertencem…

E nem todos os que se pertencem
Se amam!...


Querida Maria, Ainda tenho outro, vou ver se o encontro, trata-se de que o Sol e a Lua se amam, mas, nunca se podem encontrar!...Isso pensamos nós, mas, o amor tudo vence e...quando der com ele, colo-o aqui..beijinhos.

Laura disse...

Lua misteriosa...



Misteriosa Lua
De onde vens tu?
Que surges do nada
E, sem darmos conta
Já estás lá, plantada.

Moves-te misteriosamente
Procuro-te, vejo-te sempre.
Será que dormes, descansas?
Ou simplesmente andas
Em mudanças?

Sei que o mundo é enorme
Faz-me confusão seres capaz
De levar a luz onde há escuridão
Chegar sempre a horas certas,
Iluminas e dás brilho.

E, ainda há quem diga
Que és a feiticeira da noite,
Que mudas e aluas os seres
Que perturbas as mentes
Com as tuas estrelas cadentes.

Mas, olho-te, vejo-te,
Tão pura e bela, feminina
Num corpo de menina,


Que arrasta suas vestes
Pelo céu de estrelas,
Que quando chega a manhã
Já ninguém sabe delas...


Mais um, mas aind anão é este...beijinhos.

Laura disse...

Hoje leva sum banho de luas e de sol...É este o poema de que falei. beijinhos e tem um dia bom, eu vou para a escola...ver quando começo as aulas, ah, oxalá consiga..beijinhos.

Sentei-me a ver o luar…


Sentei-me a ver o luar
Que entrava pela minha janela
Meti-me a vasculhar
Por onde entrará a lua
E por onde sairá ela?

Dizem que o sol e a lua
São inimigos mortais.
Olhai gentes
O que eu vi
E vós não vistes jamais
Nem nisso reparais.

Eu vi o sol de mansinho
A esconder-se devagarinho
Atrás das costas da lua,
Por isso ela brilha tanto
E nos alumia na noite escura.

Ele dorme docemente
Encostado suavemente
Protegido ardentemente
Pela divina lua
E por isso muitas vezes
Ela aparece inteira
E outras, é meia-lua
Lua cheia
Quarto crescente, Minguante.

E reparei nessa noite
Que mal o dia nascia
A lua fugidia
Embrenhava-se suavemente
E deitava-se a dormir

Mansamente, no regaço do rei sol
Que tinha uma luz tão forte
Que assim ninguém a via.
E muita gente ainda porfia
Que a lua e o sol
Nunca podem ver-se, de dia…

Osvaldo disse...

Olá Maria;

Quando acabei de ler esta tua belissima crónica dedicada à Lua, a nossa Lua, a Lua dos Namorados e devido a uma frase que contém esta tua c rónica, dei por mim a cantar uma antiga canção da Angela Maria que dizia:
"você tem o destino da Lua, a todos encanta e não é de ninguém..."

É verdade, à quarenta anos atrás e ainda com a TV a preto e branco, também eu vivi em directo como milhões de pessoas pelo mundo, esta aventura em que a Lua, a nossa Lua, perdeu a sua virgindade.

bjs Maria e abraços ao João
da Ana e Osvaldo

Maria disse...

Laurinha:
Obrigada pelos poemas lindos.
Estou levemente melhor, mas ainda estou longe de estar boa.
Beijinhos

O Bicho disse...

E o Sol préguntou à Lua
Quando havera amanhecer.

Maria disse...

Caro Osvaldo:
Quantas vezes cantei essa canção!
Adorava a Ângela Maria. Adoro quase toda a música brasileira.
Mesmo depois de perder a virgindade, a Lua continua a encantar todos sem ser de ninguém, amigo. Ela continua a reinar sozinha, lá no alto, a inspirar poetas e pintores e continua a fazer-nos sonhar.
Tive um primo, que quando era pequenino dizia: "ó lua deixa-me ir para ao pé de tu!" Depois começou a sonhar com aviões. No dia em que ia, finalmente, o brevet, o avião despenhou-se. Ainda hoje penso, que ele queria ir ter com a Lua. Não chegou lá.
Abraço do João, beijinhos para ti e Anita e obrigada por me teres lembrado Ângela Maria.

Maria disse...

Bicho:
À vista dos olhos teus
Que vem o sol cá fazer?

Que saudades de ouvir o Adriano cantar isto! Acho que vou ouvir.
Beijinhos

Luís Ribeiro disse...

«Cada um de nós é uma lua e tem um lado escuro que nunca mostra a ninguém» por Mark Twain

É bem verdade. Se nós quisermos vemos só o lado de luz, o lado bom de todos nós. E é tão fácil...

Beijinho para si Maria!

Maria disse...

Olá Luís:
Mark Twain tinha razão. Ninguém é inteiramente transparente, todos temos um lado escuro.
Quando voltas ao blog? Estás a fazer falta.
Está tudo bem contigo?
Beijinhos

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariazitamiga

Há 40 anos atrás, eu estava em Angola. Por isso, só vi a alunagem no cinema - algo que tanto me impressionou que jurei que haveria de rever o histórico acontecimento quando voltasse a Lisboa. E vi. E revi. E trivi.

O poster que tinhamos na parede do quarto dos rapazes (pouco recheio havia, as coisas estavam caras e difíceis), em Carnaxide, era uma reprodução do primeiro passo do Armstrong. Ainda hoje ele existe - no quarto dos meus netos, filhos do Paulo.

Há coisas que ficam para a eternidade. E, se calhar, o cartaz a preto e branco também... Que maluquice!...

Abs ao Neil, digo, João e qjs para Vossa Insolência

Maria disse...

Henriquamigo:

Foi uma coisa inesquecivel. Por aqui o dinheiro também não abundava.
Tinhamos uma velha televisão em segunda mão, com uma imagem péssima. Como também não havia sofás, sentámo-nos na cama, acompanhados das eternas bolachas Maria e a garrafa de Porto e ficámos pregados à Tv. Quando o módulo alunou, fui buscar os dois mais velhos (o Corvo ainda não existia) e embirrei que eles tinham que ver aquele momento único. Coitadinhos dos meus filhos, uma com um ano, outro com dois, que não têm culpa nenhuma de a mãe não bater bem. Ele, durante uns dias, ainda se lembrava do senhor aos saltos, depois esqueceu. Ela, nem se dignou a abrir os olhos.
Henrique, acho que os meus filhos sempre acharam que os pais não eram muito normais. Os pobrezinhos até tiveram que gramar comícios e tudo. Estás a ver a cena?
Abraço do João, beijinho para a Raquel e queijinhos de Tomar, prque hoje faz quarenta anos que o homem foi à Lua.

carla mar disse...

estou na LUA há 40 anos :)


Beijos da tua LUA ♥

c

Maria disse...

Carlinha:
Há quem diga que eu vivo no mundo da Lua, desde que nasci.
Dos muitos nomes que me deram, um foi Maria da Lua.
Estou bem acompanhada, já vejo.
Beijinhos para os 4

Kim disse...

Eu vibrei. Tu vibraste. Todos vibrámos. Foi Lindo!
Apesar do avanço da ciência era para mim inimaginável o homem chegar à Lua.
Tinha eu acabado de fazer dezoito anos quando tal aconteceu. Foi uma noite de alerta, já que a emoção era muita.
Linda a tua lua e todas as luas. Até as de mim!
Não é Petite Marie?

Laura disse...

Ah, poesias ou luas de mim, brilham todas...
E bem diz o Kim que foi aos nossos dezoito anos que o homem foi à lua... Lembro-me,e stava em Luanda e foi um acontecimento impar...e como sempre, os Americanos lá iam sendo os senhores do Mundo..beijinhos e melhora...laura.

Corvo disse...

Talvez queiram conquistar a Lua, porque já quási conseguiram dar cabo da Terra. Mas, se conseguissem criar condições no satélite terrestre (e com a pequena dimensão do planeta), nem todos nós poderíamos partir para o "novo mundo". Mais uma vez, seria motivo para despoletar guerras e imperar a "lei do mais forte".

Beijos.

Corvo disse...

Osvaldo,

Tenho discos e outras gravações (antigas) de Ângela Maria. É pena estar já um pouco esquecida. Já procurei CD's, e não encontro.
Tinha uma voz incrível!

Um abraço!

Maria disse...

Kim:
Eu era um pouco mais velha. 24 anos precisamente, a cabeça cheia de ilusões e sonhos. Perdi alguns pelo caminho, outros ainda resistem.
Ainda agora fui espreitar à janela a ver se via a Lua. Está encoberta, mas está lá. Como há 40 anos. Como sempre.
Todas as luas são bonitas, sim. Até as nove luas em que esperamos um filho. Até as Luas de mim. Até as Luas de Mel. Até as de papel dos chineses.
Beijinhos da
Petite Marie

Maria disse...

Laurinha:
Penso que nesse dia, não me lembrei que os homens eram americanos. Achei que era uma conquista do Homem. A Lua dos poetas continua lá, brilhando sobre o mar de Luanda, sobre o Tejo, sobre o Douro, sobre a minha Ria de Ovar, que parece de prata, sob o luar, até o meu Nabão pequenino fica ainda mais lindo.
Estou melhor, mas estou com uma espertina daquelas. Já viste a que horas estou a escrever? Isto é da Lua.
Beijinhos

Maria disse...

Meu Corvo:
A lua servirá para ponto de paragem para tentar atingir outros planetas. Nunca será habitada. Ficará em Paz, lá no alto, visitada de vez em quando, mas erma de vida. Talvez os homens gostassem de para lá ir. Mas ela não deixa. É muito independente e gosta de estar só. Só os poetas lá moram.
Com que então, o menino tem discos da Ângela Maria? Ainda não os ouvi.
Isso faz-se à mãe?
Não te perdoo. Quando for aí a casa, tenho que os ouvir.
Beijinhos
Mãe

Anónimo disse...

Maria, minha amiga,
Eu tinha 13 anos quando o homem pisou a Lua pela primeira vez. E estava em terras longínquas no sul de Angola.
O Rádio Clube da Huíla fez uma emissão um pouco mais prolongada para tentar dar cobertura ao acontecimento. E juntou-se a vizinhança a tentar apanhar qualquer coisa em "ondas curtas".
E eu sonhava poder ir lá também um dia. Quanto sonho, quanta ingenuidade!
Não vi! Ouvi, e construí o meu imaginário.
O meu Pai ofereceu-me um livro da colecção "Ver e Saber" da Verbo, que se chamava "A Lua". Devorei-o. Ainda o tenho. Como era diferente o saber de então...
Querida amiga, cuida de ti. Deixas-me preocupada.
Beijo amigo de saudades
Nemy

Anónimo disse...

Laurinha,
Os teus poemas fazem sonhar. São lindos!
O que está dentro de ti tem que ser bonito e verdadeiro.
Beijinho amigo
Nemy

Maria disse...

Querida Nemy:

Eras uma menina, como de certa forma, ainda és. És como ela. Ela irradia luz. Tu irradias Paz. Até a tua voz é doce.
Não te preocupes, eu para já estou melhor. Voltei à velha "Furadantina". Ando um bocadinho enjoada, mas nada de mais. Pelo menos as dores passaram.
Eles teimaram para o médico cá vir, foi a conversa de sempre. Acabei eu, por me tratar.
Ai que saudades de João Semana e do teu Doc. Já me tinham tratado.
Beijinhos, minha Rosa Chá.

mariabesuga disse...

Pois Maria, no dia preciso em que eu fiz 8 aninhos aconteceu este... acontecimento... para festejar...

Pois foi muito importante sim senhora... pois foram os americanos mas se foram os portugueses que descobriram a América...

Ah "entrando" no teu texto apetece-me fazer o que fazia quando era uma menina e ficar ao serão sentada no muro da parte de trás da casa onde era mais escuro e ali ficva eu a observar a lua. Dizia-se que tinha dentro um homem com um saco às costas e eu via-o lá dentro em todas as suas formas.

Naquele meu dia de aniversário nós ainda não tínhamos televisão mas um casal amigo que às vezes me levava a estar um ou dois dias com eles levaram-me a assistir a esse acontecimento. Lembro-me do entusiasmo das pessoas todas, da emoção, de não se falar noutra coisa. Foi de facto um entusiasmo para tantas pessoas que não fazim a mínima ideia de se seria bom ou mau ir à lua. Mas era a ida à lua e pronto.

Como dizes, ela continuará lá a deixar-se ver em todas as suas fases, mais ou menos visíveis e nós continuaremos cá de baixo a emocionarmo-nos ao apreciá-la.

A lua continuará lá e as gaivotas aqui apaixonando-se por ela raras vezes a conseguindo "convencer". Mas às vezes conseguem, ela deixa.

Mas esta é uma outra estória que te contarei qualquer dia.

Beijinhos Maria e "aquele abraço"
Dia feliz para vocês (desejo de Girassol) e espero que estejas melhor.

Maria disse...

Girassol:
Como vocês são novos ao pé de mim!
Oito anos fizeste nesse dia e eu já tinha vinte e quatro e dois filhos.
Entre as muitas histórias que me contava a minha avó, estava essa do homem doo saco na Lua. E a Lua tinha olhos, boca e nariz.
Quando eu tinha 8 anitos, a iluminação pública era escassa em Tomar. A corrente era 110 volt. Mesmo nas casas iluminava pouco mais do que um candeeiro de petróleo. Não havia televisão, nem frigorifico, o fogão trabalhava a lenha ou carvão. O céu, à noite, era de um azul profundo. A lua brilhava, ora cheia, ora quarto minguante, ora lua nova (não se via), ora quarto crescente. As estrelas viam-se todas. Era lindo o céu da minha infância. E fazia sonhar com mares, rios e lagos de prata.
Parabéns atrasados, querida. Não sabia o dia do teu aniversário.
Espero que tenhas tido um bom dia, que tenhas só bons dias.
Abraço do João e beijinhos muitoooos, para ti.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Há 40 anos ? Eu ainda não tinha nascido !!!
Mentira... mas andava precisamente na lua... tinha 15 anos, altura de paixonetas, de descobertas mas de estudos também!
Tenho em casa o Tintin "On a marché sur la Lune".

Querida Maria,
Li que estavas um pouco murchita e que comias pouco.
Se deixares de fumar, vais ver como o apetite volta. Às vezes, eu gostava de fumar porque toda a comida me atraí !
Mas também não gostava de ter o Bin Laden no meu prato !

Um beijinho verdinho

Às melhores !

Verdinha

Laura disse...

Nemy, eu sou verdadeira e não engano em nada, e por ser assim tão verdadeira é que me tentam cortar as asas, mas, nem te preocupes, eu não deixo..Angola Huila? ahhh o meu manel nasceu em Nova Lisboa...e eu conheço também, vivi em Luanda mas andei a saltitar por muitos lugares.. Beijinhos menina dangola..adorei saber..
Poesias da lua já escritas há dois anos... laura

Maria, tu cuida-te, agora acho que vou começar a fumar se dizem que emagrece, é para já ehhhhhh..e tu deixas que precisas de ração de engorda... bebe cerveja preta com gemada, é bom e enche que se farta...
Beijinhos, dorme bem e deixa-te de cházinhos...e bebe leite com chocolatinho..laura..

Je Vois la Vie en Vert disse...

Chocolatinho de preferência...belga mas também há o suiço do nosso amigo Osvaldo !

Desejo que a esta noite seja melhor do que a anterior e que aproveites a influença da lua para te pôr boa !

beijinhos

Verdinha

Maria disse...

Verdinha:

!5 anos, Verdinha querida. Fui infeliz, porque vi a minha mãe quase morrer, passei meses com ela, numa casa de saúde. Feliz porque ela se salvou, nasceu o meu 1º sobrinho, tinha a cabeça cheia de sonhos e a vida toda à frente.
Passaram depressa. Desde antes disso que fumo. Só parei quando engravidei e algumas vezes que tentei e deu mau resultado, porque depois fumo o dobro. Geralmente nem fumo muito. O pior é quando estou nervosa, o que diga-se de passagem é frequente.
Quanto a comer, não me preocupo muito. Com 64 anos já não tenho grande necessidade de comer muito.
Mas descansa que eu vou comendo qualquer coisita.
Obrigada, querida verdinha.
Beijinhos e até logo.

Maria disse...

Laurinha:
Não comeces nada a fumar. É conselho que não dou a ninguém. Dizer que deixo de fumar também não digo porque não sou mentirosa.
Então que tal o passeio ontem? O tempo ajudou? Daqui a nada vou Às résteas, e fico a saber tudo.
Não te preocupes, porque estou melhor,
Beijinhos e até logo.

Laura disse...

Nina Maria, bom dia pa ti. Ainda não falei sobre ontem, porque aguardo as fotos da maquinetaa d aminha amiga e o filho ainda ia formatar no pc o cd para poder passar as fotos para lá... Tem lá um poema para a estrelinha dalva uma nina muito querida com quem falo no MSN...beijinhos, melhoras e um dia bom..hoje com o tmepo fechado, vou costurar, adoro nestes dias de chuva, cerrados ao sol, sentar-me ali a costurar..beijinhos.