terça-feira, 10 de novembro de 2009

Hoje é com os Patos Bravos




Fui descobrir esta velha revista no baú das coisas velhas.
Será que algum tomarense se lembra dela?
Ao que sei, só saíram três números. Tenho o nº 2.
Chamou-se “Tomar Cultural”. Faziam parte dos seus colaboradores e eram coordenadores, Carlos Carvalheiro, director, fundador e alma, do grupo “Fatias de Cá” e Alfredo Caiano Silvestre, do blog “Notas”, que muitos de vós conhecerão e colaborador de vários outros. Este maroto, abandonou todos os blogs, não responde a mensagens da Maria, que tem saudades das lindas fotos da nossa Tomar velhinha.
Então, alguém se lembra da Revistinha? É de Julho de 81. Vá lá, façam um esforço. Silvestre, responde lá, ao menos hoje.
Os que não são Patos Bravos, podem sempre tentar descobrir, o “Segredo do Gualdim Pais”. Não, não tem nada a ver com esoterismo e está bem à vista.
Até um dia destes e façam o favor de ser felizes.

22 comentários:

Laura disse...

Maria, como não sei nada do assunto, passo à frente e deixo-te miminhos, beijinhos e abraços e, amanhã volto..agasalha-te que o frio está aí e veio para ficar...não vás andar engripada lá mais prá frente, a Neide hoje ficou de cama com uma gripezita, já está medicada, vamos a ver se passa..jinhos, da, laura

Osvaldo disse...

Maria;

Ainda guardo as primeiras revistas e jornais com os quais colaborei. Sempre gostei disso e ainda hoje colaboro.
Foi algo que eu e o meu irmão Moa sempre fizemos.
Não sei se éramos Patos ou Gansos mas não éramos Bravos, apenas "gajos porreiros", como ainda hoje somos.

bjs, Maria e abraços para o João.
da Anita e Osvaldo

Maria disse...

Laurinha:

Estou mesmo em baixo. Vamos a ver o que diz o médico, na sexta-feira.
Mais exames, mais Ecos e as dores a moerem.
Espero que a Neide esteja melhorzinha.
Vou agora tentar dar a voltinha pelos blogs e, depois caminha.
Beijinho e as melhoras da Neide.

Maria disse...

Anita e Osvaldo

Esta revista só em Tomar foi divulgada. Teve vida curta.
Quanto a Patos Bravos, é um dos nomes que são conhecidos os Tomarenses, como eu. Este nome vem, ao que sei, dos muitos tomarenses que vieram para Lisboa trabalhar na construção civil. Foram eles, que construiram quase todas as Avenidas Novas. Começaram a chamar-lhes Patos Bravos e o nome pegou.
Abraços do João e beijinhos para os dois.

Luís Ribeiro disse...

Olá Maria!

Olhando atentamente para a estátua consegue-se ver o "segredo".
Mas claro, eu também já o conheço :)

Beijinho

Maria disse...

Claro Luís. Que Pato bravo que se preze, não conhece o segredo de Dom Gualdim?
Beijinho

Laura disse...

Bem, segredo de D. Gualdim, nem o sei, mas conheço os mais famosos Patos Bravos de que falas, o Moa e o Osvaldo, gajos porreiros e do melhor,estar junto deles é estar no céu com direito a todas as benesses, eu que o diga, são dois putos maravilha...
A Neide ja melhorou com as méziinhas da mamã.
E tu, melhora, os blogeus andam à chuva ehhh ma snão faz mal, nada de obrigações de comentar..dorme benzinho e acorda feliz..laura

Je Vois la Vie en Vert disse...

E eu a pensar que era conservadora...

Não sei nada deste assunto mas aprendi mais uma coisa, querida Pata Brava !

Beijinhos verdinhos e as melhoras !

Verdinha

Maria disse...

Laurinha:
Ora repara bem na foto. Aumenta-a e repara na estátua. Vais ver que descobres. Não te esqueças que D. Gualdim era cavaleiro e usava espada. Não digo mais. Adivinha.
As melhoras da Neide.
Beijinhos, Flor de linho.

Maria disse...

Verdinha querida:
Tenho aprendido imenso com o teu último post. Que forma divertida de aprender!
Espero que o teu marido esteja a recuperar bem.
Beijinhos da Pata Brava

Zé do Cão disse...

Maria. Pato Bravo? Não acredito. Patinha linda.

Não sei de onde lhe vem o nome, mas julgava que Patos Bravos, relacionava com os Tomarenses dedicados à construção Civil.
Construções à Pato Bravo. No fundo os patos e que patos, eram quem lhes chamavam patos bravos.
Beijocas

Frei Gualdim disse...

Nunca daremos Tomar por alcavala a alguém

http://charolinha.blogspot.com/

Sebastião Barros disse...

Lembro-me perfeitamente da revista e conheço muito bem toda essa rapaziada. Agora a questão do Gualdim só é segredo para turistas. Os verdadeiros tomarenses até já repararam que ele tem o escudo a proteger-lhe o posterior, que está virado para a câmara. Ele lá sabe porquê.
Para contactar o Caiano Silvestre se calhar convirá procurar algures em ACR SANTA CITA. E mais não digo.

tomaradianteira.blogspot.com

Maria disse...

Amigo Zé do Cão:

Tens toda a razão. O nome vem, dos construtores de Tomar, que fizeram as Avenidas Novas. Se os Alfacinhas julgam que nos ofendeu o nome, enganaram-se. Alguns "Prémios Valmor" são obra dos Patos Bravos.
Eu, Pata Brava de Gema, trazida para Lisboa (que adoro), sinto orgulho nos Patos Bravos da minha terra.
Beijinho da Pata Brava e já velhota.

Maria disse...

Frei Gualdim:

Enquanto houver um Tomarense, Tomar será sempre uma terra com personalidade própria.
Teremos sempre os Cavaleiros do Templo a defender-nos. Neste momento, dáva-nos jeito uma ajudinha deles, para impedir alguns desmandos e disparates.
Com os meus cumprimentos para tão ilustre personagem.
Maria, a Pata Brava

Maria disse...

Amigo Sebastião:

Dom Gualdim lá terá as suas razões para pôr o escudo em tal sítio.
Espero que continue de espada em riste, para todo o sempre.
Obrigada pela informação que me dá.
Quanto à Revista, é muito curiosa.
Fala de muita coisa de Tomar. Além do segredo do D. Gualdim, fala de uma Festa dos Tabuleiros que nunca foi feita. Da comissâo faziam parte alguns amigos, entre eles o meu pai. O único que ainda vive e espero que por muito tempo, é o Dr Augusto Tamagnini, a quem pessoalmente, devo muito. Foi o meu pai quem me deu a Revista e, guardo-a religiosamente.
Obrigada, mais uma vez pela informação. Vou tentar.

Zé do Cão disse...

Mariazinha.

Velhata? Qual velhota.? Não a vi nem a senti por aí.

Velhota, uma ova, idosa, lúcida como uma miuda de 18 anos. Tomar...
a, muitas ninas de 18 anos ter a lucidez e desembaraço desta "Pata Brava" orgulhosa das suas origens.

Bekijokitas

Maria disse...

Amigo Zé,
A Maria só está velhota por fora. Por dentro, às vezes, volto a ter 8,16,20. Outras, sinto-me uma velhinha de 90. Mas passa depressa.
Beijinhos e obrigada.

Alfredo M B Caiano Silvestre disse...

Olá e boa noite.

Penso que já trocámos impressões sobre esse jornal. Foi um jornal da Comissão Cultural da Nabantina. Foram apenas publicados três números, que, por acaso, tenho em arquivo.

Foi um projecto que, pouco tempo depois, se extinguiu na Nabatina tendo dado origem ao "Fatias de Cá - Associação Cultural", de que Carlos Carvalheiro foi impulsionador e mentor, e que contava ainda comigo, com a Júlia Ceríaco, hoje no Canto Firme, com a Isilda Duarte, com o Luís Thomar, penso que na Barraca, etc, etc., e à "Associação Canto Firme".

O "segredo" do Gualdim Pais era apenas o primeiro das três coisas "interessantes" de Tomar, a seguir estava a montra da Gráfica e a famosa "Casa das Ratas".

Quanto ao resto.

O "Notas" está extinto. A minha colaboração com o "ACR de Santa Cita" finou-se, o blogue das "Festas de Santa Cita" está vivo mas em estado comatoso.

Eu ando por aí às vezes. Quando tenho acesso à internet não deixo de visitar os amigos.

Se não tiverem outro remédio, portem-se bem.

Um beijo, Maria.

Maria disse...

Alfredo
Aqui para nós, já estava a desesperar de ter notícias tuas. Puz o post para ver se reagias, mas passados tantos dias, já me sentia abandonada por ti.
Foste dos meus primeros amigos em Tomar e não quero perder-te.
Sim, já tinhamos falado na Revista, por isso me servi dela, para ter notícias tuas.
Obrigada por teres respondido.
Beijinho sempre amigo.
Vai dando notícias.

Alfredo M B Caiano Silvestre disse...

Olá Maria.

Podes sempre usar o:

caianosilvestre@gmail.com

passo por lá regularmente para ver o correio.

Beijo.

Maria disse...

Amigo
Obrigada. Creio que já te dei o meu, mas cá vai outra vez:

magaejoao@netcabo,pt
Beijinho