domingo, 16 de outubro de 2011

Dorme meu amigo, dorme



Não consigo escrever nada que te defina. Ofereço-te esta canção que te ouvi cantar um dia.
Até um dia destes, André Moa, meu poeta, meu amigo
Abreijos
Maria

33 comentários:

Kim disse...

Petite Marie
Lá longe ele continuará entre nós, já que o pensamento é levado pelo vento.
Chegou ao fim o seu calvário.
Dorme meu menino!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Maiamiga

Não o conheci - mas li o »Mau tempo anal». Escrevi-lhe no blogue por várias vezes, dando-lhe o que podia dar: a minha solidariedade. Mas, não sei bem porquê, nunca me respondeu. Também lhe disse que o admirava muito. Porém, águas passadas não movem moinhos.

Acabou o seu calvário, como diz e muito bem o Kim.

E a tua lembrança é, como sempre, excelente. Dorme o sono dos sofredores mas também dos valentes. Associo-me a quem sofre também com a sua ausência.

3abçs & qjs

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

OUTRO ASSUNTO

O nosso Fonseca Filho voltou a atacar... rsrsrs

Agora falta a Maria dos Alcatruzes; volta que estás perdoada.


+ qjs

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mais uma coisa

Com o seu a tua permissão:
O nosso Kimamigo esqueceu-se do caminho para a Travessa e nunca visitou o Pulhitica. Talvez, um dia, com GPS, lá volte e/ou vá. Uma certeza tenho: não o tratei mal, não o ofendi, não o insultei. Mas, a esperança é sempre a última coisa a morrer...

+ qjs e abç para o Kim

Maria disse...

Kim
Estou incapaz de pensar. Só o ouço cantar esta canção.
É a minha homenagem a um Homem que, tinha muito de menino.
Abreijos
Maria

Maria disse...

Henriquamigo
Ia agora mesmo, mandar-te um Email.
Tu já sabes.
Olha, meu amigo, sem desprimor para ninguém, amigos e amigas, dos homens que admiro nos Blogues, falta um de três. Esse trio era: Henriquamigo, Kim, André. Todos diferentes, todos com um igual lugar no meu coração. Ficas tu e o Kim, para aturar a chata da Maria. Preciso de vós.
Abreijos, como ele dizia.
Maria

Maria disse...

Henriquamigo
Eu volto, um dia destes. Prometo!
Abreijo
Maria

Kim disse...

Ao Henrique apenas digo:
Ao Pulhitica nunca irei e fiz questão de to informar quando criaste o blog. Não estou mesmo nada interessado em falar ou discutir política.
Quanto à Travessa, já assim não é, apesar de achar que tens muito tempo para passatempos e desafios, coisas para os quais eu não tenho. De resto nunca disse ou escrevi que me tenhas tratado mal. Também é certo que ainda és mais distraído do que eu, pois já me disseste que não tinhas visto comentários mesmo quando eu próprio te indiquei onde os fiz.
Eu até te entendo, quando a gente tem muito tempo leva aquilo que faz até ao limite. Quando o não tem, como eu, até publica posts à pressa com falta de letras e imprecisões. É esta a diferença que nos separa. Nada mais.
Tenho imensos amigos que vão regularmente ao meu blogue e raramente comentam. E isso não interfere com a nossa amizade.
Frontalidade é isto?
Abraço Henrique

Maria disse...

Kim e Henrique
Por favor, hoje não.
Guardem as trocas de palavras, para outro dia, noutro lugar. Gosto dos dois e, não Quero, ser metida em coisas que me desagradam, muito menos, hoje.
Acalmem-se.
Estou triste, vocês também, acabem com estas picuinhas.
Abreijos e toda a amizade da vossa
Maria

Green Knight disse...

Amiga Maria
Hoje estamos tristes porque estamos a perder.
O nosso amigo Môa também nos deixou muito da sua herança.
Amizade, cultura e a particularidade de não nos sair da memória.
Os meus pesames à família e todos os seus amigos/as
Eterno descanço
beijinho do jrom

Maria disse...

Jrom
Estamos todos muito magoados. O André vai fazer uma falta enorme.
Estou a ganhar coragem, para ir à Igreja de Benfica. É muito difícil, pois foi lá que, velei a minha mãe.
Sinto-me atordoada. Só me apetece, encolher-me a um canto e, não ouvir nem ver nada.
Abreijos
Maria

Vasco disse...

Estive duas ou três vezes com ele. Pelo que conheci, era um Homem que nunca parava, tinha sempre coisas para fazer, mesmo já bem doente.

Era das pessoas mais admiradas pela minha mãe, Maria.

Acabou-se o seu sofrimento, e agora já está perto de Quem dizia não acreditar.

Um abraço, Moa, e até um dia.

Para ti, Maria, minha mãe, um beijinho.

E coragem para toda a família e amigos mais chegados.

Vasco (do Corvo)

Maria disse...

Vasco, meu filho
Por mim agradeço-te. Não admirava, admiro, o meu amigo André.
Vou admirá-lo sempre.
Abreijos
Maria

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Maria,

Voltei agora da Igreja de Benfica onde vi o nosso amigo Moa a dormir sossegadamente e rodeado de amigos, como ele gostava.
Foi e é um momento triste mas a minha consolação é que ele já não sofre mais.
Dorme nosso menino !

Beijinhos
Verdinha

Maria disse...

Querida Verdinha
Não consegui ir à Igreja. Foi nessa Igreja o velório da minha mãe e, por duas vezes que tentei lá entrar, senti-me mal.
Amanhã irei ao funeral.
Eu sei que ele me entenderia.
Está em Paz, o nosso "menino".
Estive todo o dia a ver o Blogue dele e, a ver o Filme "Não te exaltes Isaltina". Querido amigo!
Abreijos, amiga querida.
Maria

Alva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alva disse...

(...)

Marcou-me.

... hoje não consigo dizer mais nada...

Maria disse...

Pequenina
Marcou-nos a todos.
Já tinha pensado em ti, querida.
Só consigo repetir-te o que estou farta de me dizer: Ele está em Paz.
Beijinho, minha pequenina. Temos mais uma estrela no céu, menos um amigo na terra.
Tua
Maria

Alva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alva disse...

Obrigada pela música Maria.

Toquei para ele. Foi o nosso último momento.
Descansa-me pensar que possa ter ouvido... Rest in Peace

Beijinhos,
Da tua Pequenina

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Maria, irmã lusa querida...
..mesmo sem ter conhecido seu amigo André Moa, compartilho com a sua tristeza, pela perda.
Estive com a Verdinha, que também sofre a partida do amigo.
Conformação,é o que há de vir...

Meu fraterno abraço
Lúcia

Mª Soledade Alves disse...

Querida Maria;

Já comentei em vários blogues a partida do nosso Môa.Como deves calcular sinto uma enorme revolta por ter sido mais uma vez essa, a morte, a vencer. O Môa lutou, lutou, lutou e...perdeu!!Já lhe dei muitos beijinhos(sinto-me pertinho dele) apesar da distância geográfica.Fui apanhada de surpresa, pois convenci-me que estava melhorzinho...que estúpida fui...mais uma vez...Mas,quando soube pela Laura que tinha ido ao encontro em Setembro fiquei tão feliz!Pensei:O Môa vai vencer...Se reparares com atenção, só mesmo ele, hoje me traria a este espaço. A Blogosfera...Senti que por ele, tinha que voltar.É uma das 'quenininhas homenagens que lhe ofereço...

Agora, apenas quero pensar que ele está a dormir...nada mais...

Môa,o meu beijinho...
"Dorme meu Amigo,dorme"...

Para ti minha kida, um beijinho do tamanho do Mundo...

*****Lá vai o meu nome, porque já não consigo entrar d'outra forma...

Maria disse...

Pequenina
Alivia muito fazer algo para quem perdemos. Foi lindo o que tu fizeste. Ele ia adorar.
Abreijos,
Maria

Maria disse...

Lucinha querida
Estamos todos muito magoados. Cada um à sua maneira, fomos muito marcados por este grande herói.
A morte levou-o mas, nunca conseguirá apagar a forma como viveu, sofreu, resistiu, até ao fim. Também não apagará da nossa alma, a herança cultural e as palavras sábias que lhe ouvimos.
Vamos ficar sem um grande homem.
Obrigada, maninha brasileira
Abraço
Maria

Maria disse...

Minha Sol
Só o Moa te fez voltar e, por uma razão tão triste.
Dentro de horas, tudo terá acabado e, teremos que seguir as nossas vidas, mais pobres sem o nosso Moa.
Sol, minha Sol, como estás? Tens-te tratado?
Abreijos
Maria

Osvaldo disse...

Maria;

Obrigado....

Osvaldo

Osvaldo disse...

Até sempre, IRMÃO...



Zé, é verdade, nunca me habituei a te chamar de André Moa, embora gostasse do nome. Sempre foste o Zé, porque foi assim que me pediste para te chamar quando em Lisboa no Ministério do Trabalho já lá vão alguns anos, nos conhecemos.



Não esquecerei a caminhada que fizemos até ao Marquês e aos Registos Centrais onde eu tinha um encontro com a responsável dos Registos e na caminhada aproveitamos para recordações das familias e nos conhcermos melhor.



A partir daí foi uma subida constante até se atingir o expoente máximo que um ser humano pode sentir, que é a amizade pura, sincera, natural e nisto tu foste um verdadeiro professor porque por onde andaste e com quem conviveste sempre soubeste partilhar a tua disponibilidade de amizade, simpatia e solidadriedade.



Hoje os teus amigos estão mais pobres, porque perderam o seu COMANDANTE, mas bem mais ricos com tudo o que "armazenaram" de ensinamentos para a vida vindos de alguém que como tu sentiu o sabor amargo de ter comido por vezes do pão que o diabo amassou, mas sempre agradeceu o que de bom a vida nos deu,... o Amor da Familia, o Carinho dos Amigos e de partir com o sentimento de ter fechado uma Enciclopédia de Vida inscrita com letras d'ouradas como dourada é a terra que se sente honorada de te ter recebido. Hoje a tua Enciclopédia entra para sempre na Biblioteca Eterna, porque só os Grandes têm lugar em lá existirem e tu não foste apenas Grande, caro irmão,... tu foste ENORME como enorme foi tua amizade.



Sabes caro irmão Zé, Cristo nunca prometeu milagres, nunca prometeu nem vendeu ilusões, apenas prometeu o que hoje descobriste; A Vida Eterna. E aí terás o teu lugar tão merecido o descanso do guerreiro, o descanso dos justos, porque como Aristides, também tu foste um Justo da Humanidade.



Repousa em Paz, Zé, Repousa em Paz Moa, até sempre dr. José Guilherme Macedo Fernandes, até um dia, meu irmão.



Osvaldo

Maria disse...

Queridos Osvaldo e Anita
Tenho pensado muito em vós. Aì, longe devem ter sofrido muito.s
A cerimónia foi muito simples e bonita.
No fim, todos batemos palmas. A Verdinha cantou muito bem.
A Teresa está um fiozinho de mulher. Muito magrinha e transtornada de tanto sofrimento. A Susana não consegue chorar, o que não é nada bom, sei-o por mim. O António e a Cândida, muito abatidos.
Ele estava ali presente e, sempre ficará presente em todos nós.
O nosso Imortal, partiu. Vai ser difícil acreditar nisto.
Estou preocupada com o pequenino. É muito difícil explicar a uma criança, que alguém partiu e não volta.
Até para nós, é difícil.
Como estão vocês a reagir?
Abreijos
Maria e João

Olinda Melo disse...

Querida Maria

Venho juntar-me à homenagem ao seu amigo. Penso que em momentos desses não há palavras que possam expressar o que vai na alma.
Muito obrigada por ter estado no Xaile a mensagem deste seu desgosto.

Beijinhos

Olinda

P.S. Tenho tido dificuldades em postar comentários.Por causa disso, a minha demora em visitá-la.

Bjs

Maria disse...

Querida Olinda
A morte do meu amigo, foi "uma morte anunciada". Sofreu anos e horrores.
Conto-nos isto, num livro chamado "Mau tempo no Anal". Ali, vem a descrição pormenorizada, de parte do seu sofrimento, que ele trata com um grande sentido de humor e grande coragem.
Tornou-se o Elo mais forte, deste grupo, unido pela Internet. Perdemos o nosso Líder, além do amigo. Partiu, ao som de palmas e algumas lágrimas.
Deixa uma família linda e unida.
Obrigada minha amiga, pelas suas simpáticas palavras.
Beijinho grande
Maria

Zé do Cão disse...

Maria

Foi um terrível calvário
Todos choramos por ele

abraço

Maria disse...

Zé, amigo
Foi muito doloroso, sim.
Tenho andado completamente abanada. Ainda por cima, completam-se hoje 10 anos, da morte de meu pai. Outro lutador como o nosso Moa.
Sinto-me vazia mas, por eles, irei reagir.
Abreijos
Maria

Je Vois La Vie en Vert disse...

Querida Maria,

Tentei encontrar a música "Paz Señor" de Passoni que cantei para o nosso amigo Moa e a seguir para todos os familiares e amigos no dia do seu funeral mas não encontrei.
Terás que ficar com a música e a lembrança no teu coração...
Gostei de lhe deixar esta homenagem, acho que ele gostou e isto me deixou com serenidade face ao seu desaparecimento de ao pé e nós.
Beijinhos
Verdinha