terça-feira, 15 de novembro de 2011

Não coma. Veja o Masterchefe


Num país onde a fome é cada vez mais, onde todos os dias se ouvem previsões catastróficas, sobre o dia de amanhã, onde fecham todos os dias, Restaurantes por falta de clientes e impossibilidade de manter os preços, onde as donas de casa fazem uma tremenda ginástica para por a comidinha na mesa, onde os carros do supermercado saem cada vez menos cheios, vindo a bolsa mais vazia, onde cada vez mais se recorre à sopinha dos pobres, há algo que aumentou nos écrans da TV: os programas de culinária. Sempre os houve, é verdade. Mas não havia comparação possível. Que saudades da Maria de Lurdes Modesto e das suas receitas simples, bem confeccionadas, usando ingredientes que, todos conheciam! Que saudades da Filipa Vacondeus, mais virada para a cozinha regional portuguesa, cozinha rica e saudável! Devo-lhes muito do que sei e, não cozinho mal, dizem. E houve o Mestre Silva, simpático, brincalhão que preparava bons pratos e petiscos.
Uma vez por semana, lá vinha a receita que, era escrita numa qualquer folha de papel, para uma próxima experiência culinária.
Agora tudo mudou. Para a gente não ter a mania de experimentar as “delícias” dos muitos Masterchef, alguns estrangeiros, estes aparecem trajados a rigor, usam linguagens estranhas, ingredientes estranhíssimos, caríssimos, de que nunca ouvimos falar, utilizam máquinas para tudo, numas cozinhas de sonho. Depois de muita correria, idas ao forno e ao fogão, alguns ao microondas, estafados, transpirados, ofegantes, aparecem com três pratinhos, maravilhosamente decorados e coloridos: uma entrada, um prato principal, uma sobremesa. Tudo em pouca quantidade, por causa da austeridade, acho eu. Devem querer mostrar que os olhos é que comem, será?
O facto é que no tempo dos outros, as senhoras corriam para a TV à hora da Teleculinária.
Agora se fossem fazer isso, ninguém comia, porque mal acaba um, num programa, logo começa outro no vizinho.
Será que os senhores da televisão, ouviram a frase da Maria Antonieta: “Não têm pão? Comam brioches”? o que no nosso caso se puderia traduzir para: “Não tens açorda, come Haute-cusine”.
Cada um come o que gosta e pode, mas não chateiem. Já chegam as telenovelas, a bola. Mas isso fica para outro dia.
Até um dia destes
Maria

33 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Se bater palmas muito alto espero que não te incomodes. Se os meus vizinhos tocarem à minha porta, explicar-lhes-ei o motivo dos meus aplausos exuberantes. Se a administração do condomínio manda colar nova regra nos elevadores no concernente a decibéis - que se lixe!!!

Tu ferras-me cada murraça no trombil que só estas exuberantes posturas (mau, isso era o que faziam as galinhas, quando as haviam???) me permitem salvação.

E já que falamos de gente da restauração (presumo que serão gajos como o João Pinto Ribeiro e os celerados, ops, conjurados), i.e., da comida televisada, deixa-me que te diga que conheço ambas as duas (isto hoje está a sair-me para a banda do tosco, do mau, do péssimo!) Senhoras.

E também o supracitado Chefe Silva . E o Michel, ainda quando puto, a passar férias avec ses parents et ses frères, tous en provenance du Maroc.

Hoje é mais o chacal, o lobo, o leopildo, perdão, o Koschina que kozinha, o abutre e outras aves de rapina.

Concordo, portantos (sem s) com [quase] tudo, porque no que concerne ao futebol...

Por este andar, vamos todos - ou quase todos - morrer de fome, mas babados em frente dos mais variados acepipes, ou seja, dos ecrãs das tevisões como dizia o meu João em miúdo e que agora vai fazer 18 anos.

Pobretes, mas alegretes

3abçs e qjs esfomeados

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Maria, amiga-irmã

Aqui é tal e qual a tudo que está
nessa sua crônica-desabafo. Nada difere...Não aguento mais, está numa sala de espera de um consultório médico (que atualmente tenho frequentado muito)e sempre lá está, uma tal de Ana Maria "Praga", vestida de mestre-cuca a ensinar receitas caríssimas...e tantos outros... na maioria franceses.

Nossa cozinha regional, quando é apresentada, é no Globo Rural, às 6 horas da manhã quando poucos ligam a tv, ou saem para o trabalho.

Como o Ferreiramigo, bato palmas para minha irmã portuguesa.

Beijinhos,
da Lúcia

Leonor disse...

Muito, muito bem observado.

Maria disse...

Henriquamigo:
Hoje só posso dizer como a Amália: Obrigada...Obrigada...Obrigada.
Estou com uma neura desgraçada. Datas, a minha mania das datas. Dias que me marcaram para toda a vida, bem ou mal. Como já deves ter percebido, hoje é péssima. Queria dar a volta e não consigo.
Não tenho cabeça para nada.
Abrçs, beijinhos e queijinhos
Maria

Maria disse...

Lucinha querida
Estes programas estão a tornar-se uma praga. Aliás, a tv é uma praga.
Notícias, telenovelas, concursos em que se vê a falta de cultura dos portugueses, bola, programas de bola, big brothers de todas as qualidades, anúncios, filmes de 3ª categoria, culinária. Já quase não ligo a televisão. É da maneira que tenho mais tempo para outras coisas.
Beijinho, querida
Maria

Maria disse...

Leonor
Obrigada e volte sempre.
Maria

Green Knight disse...

Maria, para além daqueles pratinhos que muitas vezes, o que se vê é uma folha de hortelã.
A arte culinária em concurso, define bem a violência sobre quem quer um trabalho e o quer pôr em prática.Tenho visto algumas vezes o João Baião a mostrar aos portugueses como se deve comer.
Para quando um programa, com os que comem tudo? Vou esperando!...
bjs
jrom

Je Vois La Vie en Vert disse...

Minha querida Maria,

Hoje não posso concordar contigo.
Não é sobre os programas de televisão que também acho serem uma seca - é por isso que estou neste momento a frente do meu computador a escrever-te... mas com a televisão ligada onde deito um olho de vez em quando estando desta vez, ligada a TV5 onde passa um filme que não vi de início, por isso, não percebo patavina.
Onde não concordo contigo ? Na comida. Gosto da comida portuguesa, habituei-me a ela mas tens que reconhecer que não tem nada de requintado, nem a sua confecção nem a sua apresentação : gosto da feijoada, do cozido à portuguesa, das favas, do bacalhau, do polvo à lagareiro, das sardinhas mas nenhum deste prato é bonito de se ver.
Nada me pode agradar-me mais do que saborear comida francesa. Também como com os olhos e prefiro um prato mais pequeno e bem apresentado, com originalidade, do que comida à farta.
E gosto de comer coisas diferentes, misturar sabores, fruta com carne, por exemplo, gosto de molhos ligeiros, de massa(folhada) envolvendo comida tenra e cremosa por dentro e crocante por fora. Também acho que faltam muitos legumes na comida portuguesa - ou são sempre os mesmos : feijão, couves, salada...
Um simples bife vem com batatas fritas (normal) e arroz (2 hidratos de carbono ???) e 1 folhita de alface. Gosto dum prato com 3/3 : proteínas, hidratos de carbono e legumes em porções iguais.
A base da comida portuguesa é o refogado. Cada vez que o Leo come fora de casa, tem problema de digestão por causa disso. Em casa, não faço isso, utilizo cebola e alho mas só alouradas - normal, sou loura...;)LOL
Já chega de falar de comida porque já estou a salivar e ainda por cima estou em dieta. Tenho que perder uns quilinhos que vieram se instalar no meu corpo sem me pedir licença e as minhas roupas recusam-se em fechar-se. A situação não permite agora refazer o meu guarda-roupa, por isso, a solução é perder peso...;) LOL

Beijinhos, minha amiga
Verdinha

P.S. Se eu não estivesse já mais que farta de cozinhar durante todos esses longos anos, até te convidava a comer umas coisas requintadas na minha casa mas até eras capaz de nem gostar...por isso não o faço...;) LOL

Maria disse...

Jrom amigo
Reparaste bem. Esqueci-me da folhinha de hortelã que, enfeita doces e salgados. Eu que passo a vida a dieta, por causa dos estômago, tenho que levar com aqueles pratos malucos.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Querida Verdinha
Eu nem sequer posso dizer que, não gosto da nouvelle cuisine. Como muito pouco. O que eu já não suporto, é a quantidade de programas de cozinha.
Quanto à TV, vejo o Mezzo, a TV 5 e a portuguesa "Memória" que, dá programas antigos de que me lembro.
Prefiro ler. Troco tudo por um livro.
A comida cá em casa, mais peixe que carne, é quase toda cozida ou grelhada, além de sopas. Pouca gordura, poucos temperos, pouco sal. Mesmo assim, o meu estômago refila. Tenho mesmo de comer pouco.
Quanto a comida estrangeira, gosto da francesa, da japonesa, de longe em longe, detesto pizzas e toda a espécie de massas. Quase não como pão e não bebo bebidas alcoolólicas. Bebo muita água, chá e 2 cafés por dia.
Já gostei de doces, hoje não gosto.
Obrigada pelo convite.
Abraço
Maria

Um Jeito Manso disse...

Maria,

Hoje vou discordar um bocadinho.

Gosto muito de culinária e gosto de ver programas de culinária, especialmente estes novos programas.

A gastronomia pode ser vista do ponto de vista científico e artístico.

Gosto de ver o cuidado, o requinte, a criatividade quer do Sá Pessoa, quer do Oliver, quer do Master Chef (seja o que cá tivemos, quer o australiano). Inspira-me, dá-me ideias ou, simplesmente, distrai-me.

Claro que é, em regra, uma comida que não é a de todos os dias. Mas mostra que, com os mesmos ingredientes, havendo imaginação, podem fazer-se coisas fantásticas.

Mas, claro, tem que haver paz de espírito, disposição e apetite...

Um beijinho.

Alva disse...

Olá Maria

Sempre pensei que a culinária, o paladar, os gostos das pessoas têm mais que se lhe diga. Muitos deles derivam da forma como se cozinha em casa.
Esse sabor típico da comida da mãe ou da avó fica marcado para que no futuro se prefira um ou outro prato.

Peço desculpa porque fugi ao assunto do teu post.

Muitos beijinhos,
Da tua Pequenina

Maria disse...

Um Jeito manso
Tanta e tão variada comida, quase parece um insulto a quem nada tem para comer.
Segui e gostei, a viajem do Olivier por Itália, mais pelas paisagens, as gentes, as diversas formas de cozinhar de cada região.
Mas levar todo o dia, a ver os Master, candidatos a Master etc. è demais para mim. Assim como gosto de uma boa telenovela de época, bem feita, bem adaptada, com bons actores me agrada e, detesto as dúzias delas que, nos dão. Tudo tem limites e, o que é demais enjoa.
Talvez eu tenha exagerado na crítica que fiz. Cada um é livre de gostar do que quer.
Nunca me canso de programas e entrevistas com ou, sobre escritores. Há poucos e, é pena. Por mim, seriam todos os dias. Já vi 3 vezes a entrevista ao João Lobo Antunes e, gosto sempre. Gostos!...
Vou agora dar a voltinha pelos blogs amigos.
Gostei da sua crítica. É isso que fazem os amigos. Não concordam sempre.
Obrigada e um beijinho
Maria

Maria disse...

Minha Pequenina
Sempre sensata, deste no alvo. Não há comidinha que se compare à comida com que fomos criadas. Essa é sempre a melhor.
Ninguém cozinha como a minha mãe, a não ser eu e a minha irmã. Ninguém faz sopas como a minha sogra.
Depois, gostamos daquilo que nos faz lembrar esses gostos que, nos educam o paladar.
Muitos beijinhos da tua
Maria

Green Knight disse...

Maria, assim como assim,sempre é melhor ver a culinária numa passagem de página dum livro, do que ter de ouvir a toda a hora, tanto catedrático dos mais diversos problemas que nos afectam.
Depreendo que as pessoas certas andam no lugar errado, analizando os resultados.Nem vou falar dos programas com mais audiência, porque posso apanhar alguma infecção.
Aprecio o valioso trabalho da culinária,já não gosto da violenta, ou desumana competição dos concursos,assim como a verborreia utilizada para pressionar.
As pessoas necessitam de paz e não de stress, projectado para os domícilios.Bom fim de semana
bjs Maria
jrom

Maria disse...

Jrom
Acho que estou mesmo farta de tudo o que diz respeito a políticos,escândalos, desonestidade à farta. Por isso já não vejo noticiários, nem programas de entrevistas. Menos conversa e mais trabalho, é o que eles precisam.
Bom fim de semana, se o tempo deixar.
Beijinho
Maria

Kim disse...

Olá Petite Marie! Já que falamos de haute cuisine, petite Marie vem mesmo a calhar, n'est ce pas?
Pois, eu entendo o que queres dizer sobre esses programas, mas, como já se percebeu, são esses programas que vendem audiência. C'est comme ça la vie!
Por acaso eu gosto muito da cuisine française, mas se tivesse que escolher entre uma e outra preferia a portuguesa. Sou beirão e bom garfo!
E eu que acabei de chegar do lado da pior cozinha do mundo. Nada é pior que aquilo.
Beiinhos

Maria disse...

Kim, amigo
Ao contrário de ti, sou um péssimo garfo mas, segundo dizem, sou boa cozinheira. Até gosto de experimentar pratos novos. Gosto da cozinha francesa e da japonesa, não gosto da italiana, nem da espanhola e, muito menos da americana.
o meu grande problema com a comida, são os inúmeros programas de TV a metralhar-nos a toda a hora, em todos os canais. Não percebo como num país em crise, que até tem comida boa, fácil de confeccionar e relativamente barata, se fala tanto de pratos exóticos, difíceis, caros e com ingredientes desconhecidos e importados. É só isso. Num momento em que deviam apelar ao bom senso e bom gosto ( não tem nada a ver com literatura), da volta à sã cozinha portuguesa, dão-nos receitas de pratinhos que, deveriam existir em restaurantes, ditos de luxo. Quem gosta vai lá comê-los, paga um balúrdio e fica muito contente. Quem não gosta ou, não tem dinheiro, fica em casa a roer carapaus fritos (que por acaso também não ficam lá muito baratos) com açorda ou arroz, ou uma simples saladinha.
Enfim! Há gostos para tudo.
Hoje o almoço é bifes e batatas fritas/com ou sem ovo.
Beijinhos
Maria
A

Olinda Melo disse...

Querida Maria

O seu post é excelente, leva-nos a pensar no que se passa à nossa volta e tentar compreender ou vislumbrar donde vem tanto dinheiro, pelo menos no que diz respeito aos programas nacionais, para tantos programas e concursos tanto de culinária como outros...Tanto despesismo faz-me impressão!

Dos programas de culinária gosto do Olivier e da Nigella porque procuram fazer pratos de forma simples e de modo a serem feitos na nossa cozinha, com o que temos à mão...e então eu que não sou grande especialista :))

Dos nossos pratos tradicionais gosto de todos tirando um ou outro, sarrabulho, por exemplo, e que nunca provei :)).

Bom domingo

Beijinhos

Olinda

Maria disse...

Olinda
Até que enfim, alguém percebeu a minha embirração pelos ditos programas!
As duas senhoras a quem me refiro, chegavam a ensinar a aproveitar sobras, o que hoje em dia era útil.
Faz-me confusão, a quantidade de comida que se deita fora. Dava para alimentar muita gente.
Está a chegar o Natal, altura de grandes desvarios comestíveis e outros.
Afinal, onde está a crise?
Beijinho e obrigada.
Maria

Laura disse...

Ai Maria, Maria, eu detesto esses programas estúpidos mesmo, onde tratam mal os jovens, exigem tudo a tempo e causa mau estar..deixei de parar nesses programas, e se virmos bem,aquilo alimenta alguém? tem algum jeito os palavrões? ou seja, o speed já chegou à cozinha, gosto de cozinhar com calma, acho que se fizesse parte desses programas, como aprendiz, em vez de chorar dava com alguma frigideira na cabeça do cheff, podes crer...

Mas agora andam todos a correr a empurrar as pessoas para trabalharem mais produzirem mais, mas, graças que isso em breve vai acabar e viveremos melhor do que sempre, porque os déspotas e manda-chuvas, vão ser erradicados do Planeta... e vamos comer sem precisar de matar animais e por aí fora...

tens razão, é pecado mostrar tanto luxo e mãos largas nas cozinhas,quando há quem nem pão tenha...

Beijinhos da flor de linho.

laura

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Olá Maria. Desculpa só hoje vir aqui, mas prometo que virei mais vezes. Olha, sou alérgica a cozinha; não gosto de cozinhar, embora seja eu a preparar as refeições todos os dias Faço-as do jeito que a minha mãe me ensinou e sai sempre uma comidinha saborosa. Nunca vejo esses programas e lembro-me muito bem da Maria de Lurdes Modesto e digo-te que até a minha mãe aproveitava as dicas que ela dava sobre cozinha. Era muito diferente e esses pratos que hoje apresentam, se queres que te diga, muitos dos ingredientes nem os conheço. Mas há gostos para tudo. Um beijinho e parabéns pelo post. Voltarei, +podes ter a certeza. Uma excelente semana para ti, com comidinha saborosa de preferência.
Emília

Je Vois la Vie en Vert disse...

Sabes, querida Maria, só vi de vez em quando este programa feito na Australia, acho que é o chamado Master Chef, os outros programas, não conheço. Como te disse já, só o vi de relance porque vejo pouco televisão. Ela fica acesa mas como música de fundo...
E não gosto de cozinhar, principalmente a cozinha de todos os dias. Dantes gostava de receber e apresentar pratos originais (do género que se vê neste tal programa...) mas fiz isso de mais (era mais por obrigação) e fartei-me...
Quem escolha os programas nas diversas televisões não pensa na crise, pensa nas audiências, e oferece-nos concursos de talentos ver aqui, telenovelas a toda a hora, casas de segredos - altamente intelectual ! :( - e outros programas de grande "classe"... Está cada vez pior...
O programa que mais me chocou foi o passado na selva.
Beijinhos, minha amiga.
Verdinha

P.S. Acabei de ver a preparação dum soufflé de ruibarbo e amoras que me deixou a salivar...

Maria disse...

Querida Flor de Linho
Adorava ver-te dar com a frigideira na tromba do outro. Alguns devem ter essa vontade.
Quanto a comida, sou um pisco e, para ajudar, passo o tempo a dieta, por causa do estômago. Gosto de fazer comida para os outros. Dá-me prazer ver comer bem. Agora, apanhar a toda a hora, com programas de cozinha, já são outros 500. A TV satura-me. Quase sempre está no Mezzo ou no Memória. Notícias? fujo delas.
Prefiro um livro, qualquer livro.
O Manel está melhor?
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Emília
Antes de mais: Benvinda ao meu cantinho.
Eu gosto de cozinhar mas, detesto comer. Ainda por cima, só como cozidos e grelhados. Faço comida com gosto para os outros. Nesses programas, o que me irrita, além da frequência, é a falta de oportunidade. A Lurdes Modesto, aparecia uma vez por semana, fazia pratos baratos, saborosos, nossos.
O primeiro livro de culinária que dei à minha filha, foi um livro dela.
Agora, só nos dão coisas esquisitas, com uma linda apresentação mas, que parecem artificiais.
É comida a mais, para um povo com fome.
Obrigada pela visita e volta sempre, amiga
Beijinho
Maria

Maria disse...

Querida Verdinha
Como te disse, não vejo programas de culinária, por falta de paciência.
Já gostei de cozinhar pratos de cozinha antiga, portuguesa. Fiz umas vezes, "A perdiz à convento de Alcântara", prato difícil, trabalhoso mas, saiu-me muito bem. Tem que se tirar todos os ossinhos, rechear as perdizes com foigras, feito em casa, com vinho do Porto, enfim, uma trabalheira mas, vale a pena. Em matéria de caça, sou perita, mesmo não gostando de saber que matam os animais.
Nunca vi o Master chef da Austrália.
Abraço
Maria

Laura disse...

Maria; notícias nem é comigo, além de nem as ouvir, ah, faço de conta, enquanto for sobre o que nos roubam e continuam a roubar, não interessa, depois são desgraças,acidentes, porque não as trocam pelas cosias boas que acontecem no país? os jornalistas estão a ficar preguiçosos, ora vão à cata delas...

Cozinhar, adoro, adoro e ter coisas boas para fazer, que bom...

Podes crer que nenhum chefe me tratava assim como fazem na TV só o fariam uma única vez...

Beijinhos.

laura

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

¡Hola!
¿Qué pasa? ¿Te estuvo incomodando? ¿Te he golpeado? No lo creo, juro que no. Espero que me digas que no pasa nada. Estoy muy preocupado contigo: no dices nada. Quizás no me entiendas en Portugués, por eso te escribo en el más puro Castellano. A ver si lo comprendes…

Publico una frfkstrc(*) en mí Travessa sobre rqytgxv(**); tu, nada. Publico un lkhjqndm(***) sobre tetas. Y tu, nada, nada, nada. Todavía si fueras de nadar, lo entendería mejor; pero tu lo haces como si fueras un clavo. Así que la más grande preocupación se me ha invadido.
¡Joder! ¡Coño!

Sigo esperándote en Travessa y Pulhitica, por supuesto sentado. A ver lo que pasará…

3abzs y quesitos para tu

(*) Historia
(**) Extraterrestres
(***) Testículo con x

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Olá, mana Maria, Querida.

Beteu forte, a saudade. Vim trazer
um abraço apertado e bem carinhoso e convidá-la a ir sentar-se 2 minutinhos na Cadeirinha...Creio que vai apreciar, o que lá postei. Tem tudo a ver com você. GARANTO!!!

Beijinhos,
da brasileira mana, Lúcia...

Maria disse...

Henriquamigo:
Desta vez, deu-me forte e feio. Além do estômago que piorou muito, os rins entraram em greve. Estive de molho, alguns dias, encharcada em comprimidos. Agora, já me vou levantando mas, como quase não como, estou sem coragem para nada. Quase não tenho mexido no computador.
Hoje já te respondi.
Abrçs. beijinhos e quijinhos
Maria

Maria disse...

Lucinha irmã:
Peço-te que leias, o que respondi ao Henriquamigo.
Logo que me sinta com coragem, vou dar uma volta pela Cadeirinha.
Abraço grande
Maria

Green Knight disse...

Amiga Maria, questionei-me várias vezes se o devia fazer por respeito à tua intimidade: Perguntar pelo teu estado de saúde. Então!...que se passa minha amiga!?...
È urgente elevar esse astral.
Desejo rápidas melhoras, Maria amiga.
Bjs do
jrom e Mariana

Olinda Melo disse...

Querida Maria

Vim até aqui deixar-lhe um beijinho e vi que tem estado doente.
Desejo-lhe melhoras e que se recupere depressa.

Cuide-se. Não é preciso responder, pois sei que lhe custa.

Voltarei.

Muitos beijinhos.

Olinda