terça-feira, 16 de outubro de 2012

Um ano de Saudade





Foto do nosso Kim

Faz hoje um ano que partiste, meu amigo.
Outros falarão de ti.
Eu limito-me a olhar esta foto e a lembrar a amizade que ela mostra.
Abreijos, André. Saudades.
Maria  

16 comentários:

Green Knight disse...

BONS AMIGOS

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

Machado de Assis

Para um amigo de pouco tempo,mas a intensidade da sua amizade, preencheu uma vida.
Beijinho Maria
Jrom

elvira carvalho disse...

Não conheci pessoalmente mas frequentei em tempos o seu blogue e admitava-o pela sua coragem, pela alegria, pelo carinho com que falava dos familçiares e amigos e também pelos seus poemas.
Deixo um abraço de solidariedade com a sua dor.

Maria disse...

Muito bonito o poema de Machado de Assis. Parece feito para o nosso André. Ele era Amigo de verdade. Deu-nos muito, em pouco tempo. Ensinou-nos tanto com o exemplo da sua coragem, da sua força.
Sinto-lhe a falta, como se o tivesse conhecido a vida inteira.
Abreijos para ti e Mariana
Maria

Maria disse...

Elvirinha querida:
O André era um Senhor. Tinha cultura, sabedoria da vida, amor para os seus, amizade para os amigos, que eram (são) muitos.
Foi ele o elo de ligação entre alguns de nós.
Estimo-o muito e sinto-lhe a falta.
Abreijos (termo que ele usava).
Maria

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Lembro-me de ter lido a sua postagem,
de quando seu amigo André faleceu. Na foto, a gente sente a ternura, no sorrisos e olhares de ambos. Bonita homenagem, nesta saudade que completa um ano.
Um beijo, Maria.

Maria disse...

Querida Lúcinha:
Se você tivesse conhecido o André, teria conhecido alguém muito especial. Ensinou-nos a todos, a Arte de viver paredes meias com a morte, com uma grande dignidade. Ela não o conseguiu vencer sem luta. Era um guerreiro. Enfrentou-a sem medo nem angústia. Continuou a ser alegre, animado. No dia em que tiramos esta foto, a 6 de Dezembro de 2010, juntámos-nos num grande almoço. Ele cantou, recitou, dançou, foi a alma de toda a festa.
Foi a primeira e única vez que o vi. A nossa amizade começou aqui.
Ainda hoje recordo com uma grande saudade, os comentários que trocámos, em prosa e verso.
Quando partiu, o grupo que formámos, quase se desfez. Perdemos o Elo principal.
Obrigada pelas suas palavras ternas, como sempre.
Beijinho de sua irmã portuguesa
Maria



Verdinha disse...

Quem conheceu o André Moa nunca conseguirá esquecê-lo e eu tive a felicidade de partilhar muitos momentos de alegria, de amizade, de cultura com ele. Ele é que me fez descobrir a poesia portuguesa, ele é que me ensinou o que é a coragem, ele é que foi o elo de ligação do GT.
Foi pena, Maria, não teres partilhado connosco estes momentos de amizade, que nunca se repetirão, nos nossos encontros do GT. Este GT não acabou, não está desfeito, não, pelo contrário. Este último nosso encontro cimentou mais ainda esta amizade muito especial que sentimos, que nem se consegue explicar, parece que somos amigos de infância, com toda a descontracção duma longa amizade. Claro que sentimos saudades dele mas mesmo ausente, ele conseguiu se juntar à nós nesse encontro !
É com o sorriso que se vê na foto que gosto de te ver, minha querida !
Não houve sorriso entre nós na última vez que estivemos juntas, não precisamos de palavras, o nosso olhar uma para outra chegou para transmitir uma à outra todo o desgosto e pena que sentíamos a ter que nos despedir do nosso amigo Moa. Mas é a vida e temos que a aceitar por mais que custa.
Muitos beijinhos, minha amiga !

Verdinha

Maria disse...

Tens razão Verdinha. O nosso último encontro foi no dia do funeral do André. Cantaste com lágrimas e fizeste-mas correr.
Tenho muitas saudades vossas.
A minha vida não tem sido fácil. Estive muito doente e os problemas amontoam-se.
Não tenho saído muito de casa.
Neste momento, não tenho vontade de sorrir.
Abraço grande
Maria

Olinda Melo disse...


Querida Amiga


Lembro-me bem desse dia e do seu sofrimento e da saudade desse seu grande amigo.

Passado um ano aqui me tem, fazendo-lhe companhia e constatando que podemos ser eternos, libertando-nos da lei da morte, quando se tem amigos como a Maria. Bem haja!

Beijinhos.

Olinda

Anónimo disse...

TAMBÉM EU GOSTEI DO QUE VI... E DO QUE LI, PORQUE NAQUELA CARA EM SORRISO A AMIZADE É DE FACTO TÃO AUTÊNTICA QUE...
RV/MM

Maria disse...

Minha querida Olinda:
Que lindo comentário!
O meu amigo faz-me uma falta enorme.
Foi (é) um grande Senhor.
Teve uma coragem de herói, lutando até ao fim. Conseguindo ter alegria e alegrar os outros. Era um ser excepcional.
Obrigada, minha amiga.
Abraço
Maria

Maria disse...

Anónimo:
Ele era assim. Amigo sincero, homem do Douro, forte e são, como ele.
Agradeço o comentário
Maria

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Maria é muito triste quando alguém de quem gostamos muito se vai. Deixo aqui o meu beijinho muito especial e os meus votos de que as coisas melhorem e de volte a ter vontade de sorrir. Fique bem, amiga e olhe..hoje o sol apareceu; foi para a convidar a sorrir. Até breve, amiga! Um beijinho
Emília

Maria disse...

Emília amiga:
Este mês é muito duro para mim. Perdi tantos amigos, tantas pessoas que amei! O sol não me consegue alegrar nem aquecer.
Amanhã será pior. Há onze anos que perdi o meu Pai, o 1º e um dos maiores amores da minha vida. Sinto-me perdida e triste.
Obrigada pela tua ternura.
Um abraço grande
Maria

Kim disse...

É verdade Maria!
Felizmente eu tenho umas centenas de fotos como esta.
A saudade é enorme!
Abreijos petite Marie

Maria disse...

Kim:
As fotos ainda fazem mais saudades, mas gosto de vê-las.
Obrigada por esta. Gosto muito dela.
Beijinho
Maria