domingo, 7 de março de 2010

Pastorinha do olhar de bruma


Li há dias na revista “Visão” uma crónica de António Lobo Antunes, que me deu volta à cabeça.
Dedicada à mãe com 90 anos, gira à volta da história de uma foto dela em nova, com uns versos de António Sardinha, chamados “Vesperal”. A crónica chama-se “Ó Pastorinha do olhar de bruma”.
Grosso modo, conta que um fotografo tirou a fotografia à mãe e expô-la na montra. Um estudante apaixonou-se pela foto e conseguiu que o homem lha vendesse. Dias depois, o pai da menina não vendo a fotografia, exigiu ao fotografo a entrega da mesma. O estudante devolveu-a com a dita poesia por trás e a sua assinatura. O pai apagou a assinatura, mas a foto foi guardada até hoje. Aqui entra a parte que eu admiro em Lobo Antunes: a facilidade com que entra no pensamento e sentimentos femininos.
Aquilo que ele imagina à volta da fotografia, em princípio, só uma mulher a conseguirá ver.
Qual a mulher que não tem uma foto com uma história de amor não vivida, mas muitas vezes sonhada? Qual não guarda uma carta de um amor passado, um bilhete, um desenho ou tão só, uma lembrança? Pus-me a pensar, onde estaria a minha “pastorinha”.
As cartas de amor que tenho guardadas, são todas do meu marido.
Fotografias tenho muitas. Mas é este Retrato, que ele diz inacabado, que me faz sonhar ainda. Fê-lo quando eu tive a minha filha. Que recordações lindas me traz desse tempo! E é ele que já hoje me faz sonhar com tanta coisa linda. Olho-o e olho-me. Pergunto: Eu era assim? Era assim que o meu amor de então e de hoje, me via. Para ele, eu era assim. Não, não era a “Pastorinha do olhar de bruma”. Era a mulher dele, a mãe dos seus filhos. E ele era e é ainda, o amor que sonhei um dia e que mesmo nos dias piores, me dá alento. O amor que foi tão conseguido, que não preciso de nenhuma “Pastorinha de olhar de bruma” para sonhar ainda.
Leiam a crónica do Lobo Antunes. Esqueçam as lamechices serôdias da Maria.
Até um dia destes.

41 comentários:

Corvo disse...

Li a crónica. O retrato à mãe de Lobo Antunes, que foi tirado num fotógrafo e comprado por um estudante que se sentiu fascinado.
Talvez seja antiquado, mas faz-me confusão (embora com todo o respeito e admiração pelo Dr. Lobo Antunes)que fale desse admirador da mãe com toda essa naturalidade, e mesmo - chamemos-lhe - compreensão pelo sentimentos da mãe. Talvez esteja a confundir alguma coisa, mas, expôr isto não me parece correcto. Estará, porventura, a esquecer-se do respeito que deve ao pai?

Corvo disse...

Continuando:

Este retrato aqui publicado, é da minha mãe, desenhado pelo meu pai. Não me faz confusão.
O maior admirador do retrato é o próprio marido, não é outro qualquer, mesmo anterior ao matrimónio.
É bonito e até digno de ser mostrado. Até eu o mostraria.

Maria disse...

Meu Corvo
Porquê falta de respeito pelo pai?
Ciúmento, tu. Sempre. Achas que a maioria das mulheres, sobretudo as que não sentiram muita ternura da parte do marido, não sonham às vezes, com amores que nem chegaram a sê-lo? É por isso que eu admiro Lobo Antunes. Sendo homem, consegue entender os sentimentos das mulheres. Ai filho, se eu te contar algumas histórias (não minhas) de pessoas que conheceste bem, talvez percebesses melhor.
Lê lá a crónica outra vez, meu velhinho quimino.
Beijinhos
Mãe

Maria disse...

Corvo
Para tua informação, este retrato teve mais admiradores. E esta, hein?
Beijinho
Mãe

Corvo disse...

Já a li e reli, e não mudo de opinião.

Beijinho

Anónimo disse...

Querida Maria,

Ainda não li a crónica do Lobo Antunes.
O Vosso (teu e João) amor é lindo. E único... E fantástico... E verdadeiro...
Realmente, querida amiga, qual de nós não guarda uma carta, uma fotografia, uma memória num cantinho do coração?

Meu querido Corvo, quando o Amor (com A grande) é verdadeiro, não há faltas de respeito. Há sim, uma serenidade e uma cumplicidade imensas.

Beijos de saudades para os três
Nemy

Maria disse...

Minha Nemy
Lê a crónica do Lobo Antunes. É linda. Uma das mais lindas que até hoje li.
Como estás, minha amiga? Sinto a tua falta.
Espero que os problemas já tenham melhorado.
Beijinhos e fico sempre à tua espera.
Maria

Laura disse...

Corvo, não é assim! é uma verdade é um tema fascinante esse, não há nada de mal em algo que se passou e é digno de ser relatado dessa forma, porque são casos únicos pelo mundo! Achei lindo, amei este post Maria, ah, que graça, que poesia na tua prosa, beijinhos,
Não há falta de respeito,e stá escrito de modo a parecer natural, porque os ocasos da vida, são naturais..beijinho corvo amigo, compreende que, o estudante também merecia ter a sua parte apaixonada! Gostei, laura

Laura disse...

Xi, bem me pareceu que eras tu a menina do retrato, e se és feliz e foste feliz com o teu João, mas que lindo, lindo, nem todas têm a suprema ventura de amar e serem amadas, Amei. Beijinho da tua flor de linho, encantada pela perfeição do desenho, mas que Arte com letra grande..

Laura disse...

nemy, olááááá querida Nemy, gosto de te ver aqui, é raro mas reparo logo. É verdade, mas eu não tenho as cartas de amor,a té porque nunca amei tão a fundoa ssim, ah, acho que apesar de tudo, ainda estou a tempo. Maria, que amor lindo. Beijinhos ás duas..

Corvo, calma filho o ciume não é bom companheiro a mãe é linda e devia ser vista plo mundo todo, ahhhhh..laura

Paixão Lima disse...

Não são lamechices Maria, e muito menos serôdias. A sua narrativa, tão interessante e até comovente, retrata bem a sua alma sensível e o espírito sempre jovem que habita no seu corpo dorido de mulher.
O caminho é difícil. O sobe e desce constante. Por vezes o caminhante pára para descansar, mas retoma sempre a caminhada com vigor reforçado. Parar é morrer e não cansa quem alcança.
A jovem Maria do Retrato, a jovem Mãe, inspirou o Artista por amor. Retrato inacabado pressupôe a falta de algo. Mas o quê?! Se está lá tudo?!

Andre Moa disse...

Cara Maria,
Li e gostei, como sempre, da crónica do António Lobo Antunes. Tens razão no que dizes. Não admira que os leitores mais assíduos do Lobo Antunes sejam as mulheres e os homens femininos como eu.

Sobre o retrato feito pelo apaixonado João, retrato que mal o vi me inspirou um poeminha, nada direi, para não provocar escusados ciúmes ao Corvo e ao João, homens que muito estimo e admiro. Mas que é lindo, é.
E que tu és linda, és. E que o retrato é belo, é.

Pastorinha, olhar de bruma,
Maria, olhar de espanto,
bonita como nenhuma,
Maria, mulher de encanto.

Abreijos
André Moa

Maria disse...

Querida Laurinha
Pensei em ti enquanto escrevia. A necessidade de amor da mulher não passa com os anos, é eterna. Às vezes concretiza-se, outras não. Mas está sempre latente, sempre vivo. Umas assumem-no. Outras, por educação, por falta de sensibilidade, tentam esquecer.
É isso que geralmente os homens, com raras e honrosas excecepções, não entendem em nós.
Beijinhos, minha Flor de Linho.
Maria

Maria disse...

Paixão Lima
O meu marido nunca acha nada do que faz perfeito ou acabado. Eu também acho que está tudo.
Por causa disto, já deixei de aqui publicar alguns desenhos dele que adoro, mas ele não quer. Este é meu, por isso nem pedi licença.
Este amor velhinho de quase 44 anos, tem tido altos e baixos, a vida deu-nos muito empurrão, mas está vivo e são. Ainda ontem, lendo cartas que me escreveu de Mafra, chorei, lembrando o principio díficil, do nosso namoro.
Obrigada pelo seu comentário.
Beijinho
Maria

Maria disse...

Querido André
As crónicas do Lobo Antunes são sempre um encanto. Tenho-as guardadas. Tenho os livros dele quase todos. E ao contrário do que muita gente diz, não os acho complicados. É tudo questão de sintonizar a linha de pensamento dele com o nosso.
Gostei da quadrinha e da apreciação. Tal como disse a Paixão Lima, não ponho mais desenhos dele aqui, porque ele não quer.
Quanto ao lado feminino nos homens, acho que muitos o sentem, poucos o confessam. Para mim é o seu lado melhor.
Beijinhos meu amigo.
Maria

Laura disse...

Maria, um feliz dia de hoje, porque nenhuma mulher se completa se não tiver um bom Homem a seu lado!...
beijinhos mil.

Corvo, Corvo menino de amores mil, um beijinho para ti também, o dia é da mulher mas que seria d enós sem vós? ahhhh, abraço apertadinho da laura

mariabesuga disse...

...pastorinha de sonhos...
...menina mulher mãe...

um beijo em ti e o meu abraço carinho

Maria disse...

Laurinha querida
Um dia feliz para ti.
Ligo pouco aos dias de... Acho que são todos dias do comerciante.
Dia da mulher, devia ser todos os dias.
O machista do Corvo manda beijinho.
Beijinho meu para ti
Maria

Maria disse...

Minha querida Girassol
Valeu a pena a "Pastorinha", só para saber que ainda me vens ver.
Tenho saudades tuas, amiga.
Aquele abraço
Maria

Laura disse...

Claro Maria, é um comércio, muitas vão jantar fora a ricos restaurantes, recebem prendas que sei lá, mas, são infelizes, outras, mais pobres mas com amor dentro de si, ah, que mais faz presentes se amar é o melhor presente do mundo?
Beijinho e um dia menos frio..laura

Corvo querido

meu menino de oiro
és cá um tesoiro
tens o sol em ti
e o teu coração
são pedaços da maria
e do João!

Beijinhos para ti, da, laura amiga

Dad disse...

Que linda crónica de amor, que linda fotografia!!!
É bom quando se pode olhar para o passado e ter recordações tão maravilhosas!

Beijinho grande,

Maria disse...

Dad amiga
Obrigada pelo teu comentário. O autor do retrato também agradece.
Beijinho
Maria

Estrela d'Alva disse...

Lindooooo, lindo, lindo está lindo!
Que mais dizer? ADOREI o teu post!

Beijinhos, enormes,
Estrela d'Alva

Anónimo disse...

Maria, minha amiga,

Hoje está um dia lindo! Frio, mas lindo!
Hoje sinto a alma aquecida pelo sol...
Beijinho de saudades
Nemy

PS- Laurinha, beijinho carinhoso para ti.

Laura disse...

Nemy, pois está, o sol brilha e nem será o frio que nos vai estragar o dia...Um beijinho e abraço apertadinho para ti da laura

Maria disse...

Minha pequenina
Gostava de te desejar um amor igual ao meu! Hoje as coisas são diferentes, até o amor é diferente.
Mas tu, Estrelinha com toda essa sensibilidade, vais amar muito e a sério. E vais ser feliz. Entretanto, brinca, goza a vida e continua a dizer coisas lindas à Maria.
Beijinhos pequenina.
Maria

Maria disse...

Nemy querida
Estive na marquise a apanhar sol e fumar um cigarrinho. O sol aqueceu-me e deu-me esperança de melhores dias. A Primavera está a chegar daqui a dias, hoje quase acredito que ela volta.
Beijinhos amiga
Maria

Laura disse...

Olha ela com o cigarrinho, olha ela! ai o chinelo!...
Beijinhos mil, laura

Maria disse...

Sabe tão bem depois do café!
Tenho estado todo o dia sem água. Estou fula da vida.
Beijinho
Maria

Laura disse...

Tão Maria, não choveu a potes ou a cântaros para aí? credo, e ainda dizes que não tens tido água, vá lá, serviria quando muito para mergulhares a tua cigarrilha, ahhh marora, pois se sabe bem não sei, mas um dia começo a o que já devia ter feito á muito, fumarrrrrrrrrrrrrrrr.
Beijinho da laura
a anónima é sempre a mesma e quando ela não pode,as amigas substituem-na,cada uma com sua escrita, enfim...

Je Vois la Vie en Vert disse...

Olá Maria,

Peço desculpa por não ter aparecido aqui mas as dores não me permitam estar muito tempo no computador e até ando com pouca vontade. Já sentiste isso e sei que me entendes.

Um beijinho da

Verdinha

Maria disse...

Laurinha
Aqui esteve sol ontem, e hoje parece também estar. Faz um frio de todo o tamanho.
A água só veio quase às 2 da manhã e está barrenta. Chuva parece não haver hoje.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Verdinha querida

Que tens tu? Os ossos outra vez? Este malvado tempo dá cabo de nós.
As tuas melhoras rápidas e um abraço devagarinho, para não te magoar.
Maria

Laura disse...

Nina, ontem fuia Sol, muito murcha muito triste,desaniamda, mas, ja faz 7 meses de marido hospitalizado, é demais, valha-nos...
deu para estarmos juntas umas horitas, foi bom..
ela escreveu no restias, sempre com a boa disposição, e a alma a sofrer..Beijinhos mil e ainda nos queixamos nós que está frio...ai maria, dor, dor é assim, aquele viver sem esperança e sem tempo..um xi da laura.
Já foste ler a biblia ao resteas?

Maria disse...

Laurinha
Estiveste com a Sol. Ainda bem. Tu animas as pedras do chão. Farto-me de pensar nela. Pobre amiga que cruz tão pesada carrega! Tens razão, andamos sempre a queixar-nos de tudo, quando ela é que tem a pior parte. Não consigo imaginar o que lhe dá forças, mas tenho muito medo que ela não aguente muito mais.
Obrigada pelas notícias e beijinhos
Maria

Laura disse...

Falai no diabo, a Sol mandou poesia, ou travessuras para ti está no resteas, logo vai lá porque dá com o que escreveste, ainda não sei como ela consegue, está um must!...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Petitamiga

Cucu, cucu, arrivei, ámos. Óspois falazaremosemos. Abs aos masculiníssimérricos e qjs Amunia de Cavassolim para tu

PS (???????) - Cada vez gosto menos do escritor Lobo Antunes (que se esqueceu que fomos companheiros de carteira no Lyceu Camões). Os primeiros livros adorei-os. Os últimos abomino-os. Das crónicas sou fã. Desta - nem tanto assim. Ponto. Tenho de ir VER a Raquel a abrir as malas...

Maria disse...

Henriquamigo:
Até que enfim voltaste! Isto anda mergulhado em chuva, lama e gente que quer sangue. Mete nojo, na verdade. Mas é o que temos.
Quanto ao Lobo Antunes, como escritor gosto dele, leio-o e geralmente gosto. Como pessoa, só troquei duas palavras com ele, na Feira do livro, não sei que espécie de homem é, e talvez prefira não saber.
VER desfazer malas deve ser divertido. Desfazê-las não tem graça. Dá uma trabalheira maior do que fazê-las. Eu sei. Cabe-me sempre essa parte. Além de tudo, dá-me uma saudade enorme dos dias passados.
O Appio está em vias de commpleto restabelecimento. Eu menos. Estou cada vez mais magra e cansada. Farta de remédios e de médicos, com os nervos em farrapos e sem vontade para nada.
Abraços dos homens, beijinhos para a Raquel e queijinhos para tu.
Maria

Laura disse...

Maria, mais um sábado mais dias e dias e vamos indo...
Um abraço apertadinho da flor de linho..laura

Laura disse...

Anda tudo a dormir ou a aproveitar o sol que tem dado cá um esplendor, mas, o frio continua a bater na gente..Beijinhos e um dia bom, laura

Maria disse...

Bom Dia Laurinha
O sol brilha, mas está frio. No sábado fui ver o mar. Soube-me bem sair, mas fiquei estafada.
Passeia muito, mas agasalhadinha.
Beijinhos
Maria