segunda-feira, 1 de março de 2010

Volta Primavera!


Estou farta de chuva, de frio, de vento, de tragédias, de fofoquices políticas e outras. Estou farta deste Inverno longo, estúpido, cinzento. Estou farta deste casulo onde me enfiei, qual crisálida. Quero rompê-lo, ser borboleta, voar pelo ar morno, cheirando a flores. Quero ir à minha terra, perder-me na Mata dos Sete Montes, entrar no Convento, vendo-o como se fosse a primeira vez. Quero sentir o cheiro do meu Nabão, ouvi-lo correr. Voltar à noite ao Convento para ver os “Fatias de Cá” representar uma peça, daquelas que correm o Convento e a Mata. O Convento à noite é mágico. Quero pisar o meu chão, ver a casa onde nasci, lembrar os amigos que lá tive. Tomar é sempre linda, mas na Primavera é mais bonita ainda.
E a minha terra faz hoje 850 anos. Obrigada D. Gualdim.
Como tardas Primavera! Volta depressa. Quero ver as andorinhas, o campo verde, o sol. Estou cansada de ser crisálida, quero voltar a ser borboleta.
Até um dia destes.

36 comentários:

Osvaldo disse...

Maria;

Deve ser um pecado imenso, mas confesso conheço mal Tomar.

Estivemos lá, já lá vão uns bons 20 anos. Temos que lá voltar e apreciar todas essas belezas que tu relatas com emoção. Deve ser uma cidade maravilhosa com belos parques e jardins, monumetos e muita cultura e história a transmitir ao visitante...
Quem sabe o GT não preparará uma visita a essa bela cidade e com a Maria como Guia Cultural.
Que achas da ideia?. Como é no Centro, até fica perto de todos...

bjs para ti Maria e abraços para o João e Vasco.
da Anita e Osvaldo

Laura disse...

Alinhoooooooooooooooooo, nem faço ideia se ainda andarei por este mundo, mas, alinhooooooo grita a laura sempre feliz, porque lhe cheira a passeio, a história e a amigos juntos, vivóoooooo, vamos no passeio para ver o Nabão da Maria, a terra da Maria a casa da Maria e por aí fora...

Beijinhos, muitos, a Neide já vai a caminho de N York, tem de ser..laura

Maria disse...

Osvaldo
Era uma belssima ideia.
Apesar dos "atentados" que tem sofrido por parte dos belos autarcas, Tomar continua a ser linda e a merecer visita.
Para ti tem o interesse das obras de arte. O Convento, o Castelo, o Aqueduto dos Pegões, as Igrejas, sobretudo a de Santa Maria (1ª sede dos Templários em Tomar), a de São João (manuelina com belos quadros), a Sinagoga das 8 bilhas, e muitas outras, lindas e únicas.
Vamos a isso. Mas só na Primavera ou no Verão. Agora está muito frio.
Abraços do João e do Vasco e beijinhos para a Anita e para ti da
Maria

Maria disse...

Aonde querias estar? Quero ver-te lá, no meio dos jardins, com a tua alegria.
Quantos dias demora a Neide? Espero que poucos para não ficares tristinha.
Beijinho
Maria

Laura disse...

Volta Primavera
que a gente cá te espera
semeando canteiros
fugindo do frio e do estio.

Volta Primavera
minha bela flor
onde nascem amores
depois de semear amor.

Volta Primavera
canção dos meus afectos
para que te guarde em mim
e te cante aos meus netos.

Volta Primavera
e deixa-me repousar em ti
que a vida é uma quimera
e sonhar já só te sonho a ti!

Maria querida Maria, foi escrita aqui e agora só para ti, com anseios de que ela chegue depressa e traga o calor que anseias.

Sexta chega o Nuno e sábado volto lá a buscar a Neide, foi só ver se gosta do ambiente e do local, e acredito que fique por lá, mas isso será em Junho!
Eu aproveito para por aminha vida e para esquecer que daqui em diante tudo irá mudar. Eu sei que é assim, só quero o bem deles e de todos, e, a vida será o que vai ser, nem mais, nem menos, a tua flor de linho não veio ao mundo para ser feliz, senão não seria Poeta!...Poeta vive em dor e do amor? só prova pequenas gotas,..laura

Laura disse...

Sim Maria, se depender do grupo, Osvaldo e aninhas, estarei lá de certezinha..Abraço da laura

Andre Moa disse...

EU que sou d(EU)s, quem me dera
(se isto não fosse uma peta)
poder dar-te a Primavera,
fazer de ti borboleta.

Tu não vás para o convento
de Tomar, que fica longe.
Se empreenderes tal intento,
podes crer, eu vou p'ra monge.
Abreijos
André Moa

Paixão Lima disse...

A nossa prima vera tarda em chegar. Compreendo a sua tristeza e depressão. É a rosa que reside em si que quer desabrochar e não pode. Thomar é cidade antiga e histórica. Doada à Ordem dos Templários, os Cavaleiros do Templo, pelo Rei Conquistador. Com o seu Convento de Cristo (uma joia) e a Festa dos Tabuleiros. Festa típica da cidade. A cidade está de parabéns pelo seu aniversário e a Maria também por ser filha da terra.
Beijinhos.

Corvo disse...

Tomar é melhor na Primavera.. No Inverno é muito frio, e no Verão muito quente. Quem ler o que acabei de escrever há-de dizer: "deve ser estúpido, pois haveria de ser quente no Inverno?!", mas Tomar é de extremos. No Verão é um calor insuportável.

Sou capaz de lá ir brevemente passar um fim de semana.


Beijinho para a crisálida.

Kim disse...

Boa idéia!
Tomar fica no meio de tudo. Também eu estou farto do Inverno, por isso vou apanhar um pouco de sol para bem longe daqui.
Estou contigo Maria, o inverno aqui é triste.
Beijinhos Petite Marie

Maria disse...

Laurinha querida
O tempo cada vez está mais na mesma. Outra vez alerta laranja.
E é dia de sacrífio: ir à cabeleireira. Não me apetece nada, mas lá terá que ser.
Mais uma poesia para a colecção. Obrigada.
Beijinhos muitos
Maria

Maria disse...

Querido André

Tomar não é assim tão longe
E no Convento de Cristo
Ainda há cela para um monge.
O pior de tudo isto

É que o convento de Iria
Está quase, quase a cair.
E lá ficava a Maria
Sem lugar para dormir.

Abreijos
Maria

Maria disse...

Paixão Lima

Sabe a melhor? Tenho duas primas chamadas Vera. Estão longe, nenhuma me anima.
Obrigada pelos parabéns a mim e à minha querida terra. Está velhinha e maltratada, mas a sua beleza resiste a tudo.
Tabuaço, Tomar, terras antigas com história e histórias.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Meu Corvo, meio pato-bravo.
O calor é muito em Tomar, mas nada que se não resolva com uma volta pela Cerca. Que tal uma soneca junto à Charolinha, como quando eras bebé? Se calhar não gostavas...
Beijinhos
Mãe

Maria disse...

Kim
Adoraria partilhar a beleza da minha terra com todos vós. Não é nada que não se possa fazer. Vamos ver se o tempo melhora.
Vais passear? Diverte-te, armazena um pouco de calor e sol para trazeres para a malta.
Beijinhos
Maria

jrom disse...

Amiga Maria!
Sempre ouvi dizer que um pouco de sol até na alma,gera felicidade.
Espero que esse "bendito" volte para avivar a belas cores do teu ser,para que esse cinzento que me transmites passe depressa.
Beijinho. Jrom

Laura disse...

Já me imagino no Nabão, mais o pessoal do GT,a aspirar os ares de Tomar. Conheço, o pai levou-nos lá a ver com olhos de ver os Monumentos da nossa História! Não era á toa que fui uma das melhores na 3ª e 4ª classe nessa Disciplina. Hoje? Está mais de metade esquecida, mas quando chegar a Tomar, volto a lembrar tudo, quem sabe.
Beijinho da laura

Maria disse...

Jrom amigo
Já te fiz uma visita no teu blogue.
Gostei. Vou lá voltar um destes dias.
O tempo está mau outra vez. Que inverno tão comprido! Não me lembro, em 65 anos, de ver tanta chuva.
Beijinho
Maria

Maria disse...

Minha Flor de Linho
Vim agora do raio da cabeleireira, o João está a ver a bola, e estou farta de chuva.
Vê se assim que a Primavara chegar, dás flores para animar a Maria, que está farta de chuva.
Beijinhos e espero que o Nuno chegue bem e tudo corra bem à Neide. Tens dois filhos fora de série.
Maria

Andre Moa disse...

Tu não me puxes pela língua,
ó minha Soror Maria,
não irás morrer à míngua
no convento da Iria.

Nesse ou noutro qualquer,
seja lá onde é que for,
eu não te deixo, mulher,
sem cama nem cobertor.

Poderás dormir quentinha,
que eu já resolvi a trama:
tu no colchão deitadinha
e eu debaixo da cama.

Posso acordar todo torto,
com reumatismo, uma íngua.
Poderei acordar morto...
tu não me puxes pela língua.

Abreijos
André Moa

Maria disse...

Caro Moa. Tu no chão?
Gelavas que o chão é frio.
Em Tomar há um colchão
Para deitar a Maria.

A pobre Iria, coitada
Por ser muito séria e santa
Viu a garganta cortada
E a sangueira era tanta

Que se atirou ao Nabão
E foi pelo rio levada
Por um frade bem ladrão
Por quem não quis ser amada.

Conseguiu ser virgem pura,
Mártir, santa, para quê?
Morreu no meio da tortura
E nem soube bem porquê.

Se fosse hoje, Santa Iria
Com a vida como ela está,
De certeza que faria
Não era Santa, nem má.

Fazia ao frade a vontade,
Ficava viva e fagueira.
Mas lá ficava a cidade
Sem a Santa Padroeira.

Coitadinha da santinha, que não tem culpa de que eu seja maluca.
Abreijos
Maria

Paixão Lima disse...

Pois é, Maria!
As primas fazem jus ao nome. São mesmo beras!
Um beijinho vero não bera, para levantar o ânimo.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Quando cheguei em Portugal em 1974 (para casar), apresentaram-me um país de sol, e calor, com pouca chuva.
O que aconteceu a este país ????? Sinto-em defraudada..... ;-)

Volta Prima Ver-a, volta ! É a tua prima Ver-dinha e toda a família Ver que te pede !

clique aqui

ou aqui

ou ainda aqui


Este tempo também está a tornar-me maluca, querida Maria, já somos 2 !

E...alinho, claro para visitar Tomar que não conheço com a riquíssima da companhia do GT que, felizmente, conheço !

Beijinhos

Maria disse...

Obrigada amigo Paixão Lima.
Um beijinho para si também.
Maria

Maria disse...

Querida Verdinha
Já ouvi as três músicas e são lindas.
Obrigada minha amiga.
Beijinho
Maria

Laura disse...

Ai o que me ri com o Moa, só ele para versejar em desfilada e sempre malandro ai moço Moa, que rapaz não devias ser nos anos sessentas setentas e oitentas e ainda és!...



Se já nos rimos á janela
enfeitada com vasos de manjerico
e uns pézinhos de alecrim
porque não riremos nela
o nosso riso sem fim.

Ao menos valha-nos isso
que já nos dá tão bom rir
que Deus te dê muita saúde
e fique por lá a sorrir.

Porque o meu riso era tanto
e como estava sozinha
deixei-me rir á vontade
já que não haveria ninguém
para me chamar alarve.

Moa, Moa meu amigo
meu irmão ou meu amor
quero estar sempre contigo
e que a nossa janelinha
seja sempre o nosso abrigo!

É lá que me ouves os ais
e toda a treta que deixo
ouvimos musicas tais
poesias do Aleixo. (rima)

Maria, ora vê se aprendes a entrar no chat e falamos plos cotovelos, é bom...Beijinhos mil da laura

Laura disse...

Ora, santas tardes querida Maria!
Já fui ás aulas, já fui tomar café com as meninas, andei por aí e voltei para casa...feliz da vida, amanhã vem o Nuno e depois, a Neide e assim, sou só dentes...Beijinhos mil da tua flor de linho, laura

Laura disse...

Pelos vistos por aí, nem dentes nem dentuça...a menina anda mesmo de mal com o frio, temos de resolver isso, acho que vou resolver o problema... ora deixa lá ver o que se arranja!...beijinho da flor de linho que te ama muito, muito, laura

Andre Moa disse...

Faz um milagre, ó Iria,
que não me falte um colchão,
nem a mim, nem à Maria,
na princesa do Nabão.

Dormir no chão dá vertigem,
chão é duro para amar,
por isso, morreste virgem,
padroeira de Tomar.

Ânimo, querida Maria, que o Inverno está a passar e a Prima Vera não tardará a chegar.
Abreijos.
André Moa

Maria disse...

Minha Flor de Linho
Compra a "Visão" desta semana, e lê a crónica do Lobo Antunes. Chama-se: "A Pastorinha do olhar de bruma", e é lindo de morrer. Talvez revejas um pouco, a história de muitas mulheres. Repito: Vale a pena ler e reler. Faz sonhar e pensar.
Beijinhos da Maria, ainda gelada.

Maria disse...

A linda Iria, coitada!
deitou-se ao rio sem saber
Que a água estava gelada
E mais valia ceder.

Tinha ficado quentinha
Do amor sabia o gosto
Não ficava geladinha,
Tomava banho em Agosto.

Abreijos
Maria

Andre Moa disse...

Banhos de amor, ó Iria,
nunca tomaste, pois não?
Preferiste, quem diria,
afogares-te no Nabão.

Nem sabes o que perdeste!
Águas de amor, sem sabão,
são melhores que as que bebeste
na corrente do Nabão.

Quem te mandou atirar
vestida e tudo ao rio?
Se te querias afogar,
afogavas-te no cio

do pobre frade que, crente
nas virtudes teologais,
sentiu em si, de repente,
que tu valias bem mais.

Mas tu não. Tola, fugiste
aos rogos do coração.
Viste o que perdeste, viste?
Não te serviu de lição?

Diz às virgens nabantinas
de quem és a padroeira:
«vós não me imiteis, meninas,
não caiais na mesma asneira,

que alma sem corpo é nada;
corpo sem alma também.
Fica a alma consolada
se o corpo se dá a alguém»

As águas fundas do rio
teu corpo hão violado
quando o viram, belo e frio,
morrer virgem. Tal pecado!

d(EU)s pecador, com gosto, me confesso.
Abreijos.
André Moa

Laura disse...

Pobre Iria tão pura e casta
deitou-se ao rio pensando
que amar era pecado
precisava apenas, de ter provado.

Mas deve ter sido ensinada
que o amor era pecado
e não ousou trair
quem tanto lhe tinha ensinado.

As mães de outrora ensinavam
ás filhas a não pecar
enquanto elas esbracejavam
e ao amor se entregavam.

E a pobre da Iria
apenas isso sabia
preferiu deitar-se ao rio
e morrer assim de frio.

Pobre e querida santinha
que não ousou pecar
com medo de ao fogo do inferno
ir parar.

Mas atentar contra a vida
é um grandissimo pecar
e do lado de lá decerto
já teve tempo para pensar.

se Deus diz que o amor
é para amar
e se prazer trás
é para gostar!...

Maria disse...

Querido André
Vou-te contar, à minha maneira, a lenda da santinha. Só espero que nenhum devoto da santa leia, porque sou capaz de ir fazer companhia à Iria e não me apetece nada.
Em versos de pé-quebrado, cá vai.

Estava Iria sentada a bordar
A uma janela virada para o rio,
Passa um cavaleiro com fome e com frio
Que pede pousada e onde deitar.

Foi ter com o pai, ele disse não.
Tornou a pedir e o pai lá deixou.
Mas o cavaleiro se apaixonou
E a quis roubar, crime sem perdão.

Ela não queria, fugiu, esperneou,
Era assim que a tia lhe tinha ensinado.
Mas o cavaleiro que era malvado.
Lá agarrou dela, dali a levou.

Então, pobre Iria, que queria salvar
A troco de tudo, sua virgindade,
Atirou-se ao rio e só por maldade,
O mau cavaleiro inda a foi degolar.

Depois lá foi ela em longa viagem
Do Nabão p’ró Tejo, onde foi parar
Junto a Santarem se fez sepultar.
Ele foi p’ra frade e fez muito bem.

Abreijos
Maria

Corvo disse...

Hiiiiiiiiiiii!

Maria disse...

André
Esqueci-me de te dizer que tens a minha versão da lenda de santa Iria no post anterior.
Beijo
Maria