terça-feira, 1 de maio de 2012

1º de Maio


Raiz
Canto a raiz do espaço na raiz
do tempo. E os passos por andar nos passos
caminhados. Começa o canto onde começo
caminho onde caminhas passo a passo.
E braço a braço meço o espaço dos teus braços:
Oitenta e nove mil quilómetros quadrados.
E um país por achar neste país.

Manuel Alegre

Até um dia destes.
Maria

23 comentários:

Olinda Melo disse...

Bom dia, querida Maria

Lindo este poema de Manuel Alegre que diz tanto deste país, pequeno em tamanho mas imenso quando se trata de medir a capacidade e os sentimentos das suas gentes: 'um país por achar neste país.'

Excelente escolha a ilustrar este 1º de Maio.

Saúde e boa disposição.

Beijinhos

Olinda

Maria disse...

Bom dia querida Olinda:
Se os nossos governantes, soubessem ler, eu acho que neste poema, iriam encontrar a solução para os nossos problemas.
Nós somos um país sem nada e com possibilidades de ter muita coisa.
Já fomos exportadores, hoje somos importadores.
Que tal, se procurassem, o tal "país por achar?"
Um bom feriado, apesar do mau tempo.
Beijinhos
Maria

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariazinhamiga

Boa malha!

Repito o que costumo dizer convictamente: o Manuel Alegre devia ser apenas Poeta. Iria intervindo na política, naturalmente, porque ele não consegue afastar-se da luta, mas na Poesia é um Grande.

Todos devemos aprender com este poema, sobretudo num dia em que cada vez mais se opta pelo supermercado - os 50% de descontos são um engodo... - em detrimento da verticalidade.

Obrigado, minha querida. 3abçs, bjs da Raquel e qjs para tu

Maria disse...

Henriquamigo:
Desde que li, pela primeira vez este poema, sempre pensei nele, como uma canção de revolta. É nestas coisas, que o Manel é bom. Poemas curtos, fáceis de ler e decorar.
Esta, na fase que atravessamos, tem um significado muito grande. Traduz-nos. Ensina-nos a solução (um país por achar). Só não nos diz como.
Abraços dos homens, beijinhos à Raquel e queijinho de Serpa para tu.
Maria

Vasco disse...

Sim, ainda hoje fui ao Pingo Azedo, e parecia que estavam a dar lá alguma coisa. Voltei de mãos a abanar, porque nem sequer entrei. Só penso é que a maioria das pessoas nem se apercebe do que está por detrás dos 50%...
Acabei por fazer as compras na habitual mercearia de bairro (à antiga portuguesa).

Um Jeito Manso disse...

Mary,

Que bela escolha a sua, que belo poema - e bem verdadeiro, bem oportuno. Um país por descobrir, por renascer, tanta coisa por fazer.

É um Manuel Alegre no seu melhor, sem dúvida.

Um beijinho, Mary.

Maria disse...

Corvo Vasco:
Se houvesse aqui, outro supermercado, não era eu que voltava ao Pingo Doce.
Tudo o que lá se passou, é muito grave. O chamariz dos 50%, as filas, um dia destes, vão-se ver, nos caixotes do lixo. Vai haver gente, que hoje gastou todo o dinheiro do mês e, vai apertar o cinto, quando acabarem as compras de hoje, ou forem para o lixo.
São atitudes porcas, engodo de ingénuos e crédulo.
Veremos se me engano.
Beijinhos
Mãe

Maria disse...

Amiga:
Toda a noite, batalhei com o poema.
O Manuel Alegre poeta, deixa-me sempre acordada, desperta para as tristes realidades.
Os poemas antigos do Manel, cada vez são mais actuais.
Só não sei, quem será o Vasco da Gama, que irá achar este país.
Beijinho, amiga
Mary

Kim disse...

Já gostei mais de Alegre!
Como poeta, continuo a gostar!
De ti, gosto de certeza!
Beijinho Petite Marie

Maria disse...

Kim, meu amigo;
Há que saber distinguir, entre o "político" e o "poeta". O poeta continua a ser grande. Tão grande, que a poesia de quarenta e tal anos, é actual.
Tu, és sempre o meu amigo Kim, de quem muito gosto.
Beijinhos.
Petite Marie

elvira carvalho disse...

Gostei do poema.
Gosto do Alegre poeta.
Um abraço

Maria disse...

Querida Elvirinha:
Este poema, consegue ser o retrato do nosso país.
Manuel Alegre, como poeta, estamos todos de acordo, é um grande poeta.
O que ele faz mais, ou deixa de fazer, nada tem a ver com poesia.
Se me perguntar se é um grande político, direi que não.
Acho que se devia dedicar mais à poesia.
Beijinho grande, minha querida.
Maria

Mariazita disse...

Querida Maria
Devo confessar que, como político,Alegre não me diz nada.
Também tenho que dizer que política é coisa que não me atrai, pelo contrário. Acontece que nos tempos do PREC apanhei uma overdose de política... e fiquei vacinada.
Voltando ao Alegre, como poeta tem muito valor. Para além do mais escreveu um livro que adorei - "Cão como nós".
Se não leste aconselho vivamente. Eu achei-o uma verdadeira delícia!

Até sempre, amiga,
Beijinhos

Maria disse...

Querida Mariazita:
Já aqui disse, que quando ponho um poema do Manuel Alegre, é porque gosto muito dele, enquanto poeta e escritor.
Como político, acho que ele devia ser só poeta e escritor. Creio que me faço entender.
Conheço o "Cão como Nós", conheço todos os livros dele.
Não gosto de um escritor, pelas ideias políticas. Gosto porque gosto.
Se fosse gostar deles, pelas ideias políticas, se calhar, não gostava de nenhum.
Também apanhei a minha overdose, mas safei-me a tempo.
Sei o que é bem e mal. As confusões em que eles se metem, não me interessam.
Dói-me ver o meu querido país, neste triste estado. Dói-me a fome dos outros, a falta total de valores morais, a que chegámos. O resto é paisagem, minha amiga.
Como estás?
Espero que as coisas estejam melhores contigo.
Beijinhos e a amizade da
Maria

Anónimo disse...

BENDITA É A MULHER,(foi assim que chegou ao meu conhecimento) digo, Mary:

Em primeiro lugar desculpas pelo atrevimento, mas penso conhecermo-nos através de UJM.Li o que hoje escreveu lá e deixei-lhe um beijo, mas queria dar-lho pessoalmente e dizer-lhe: Seremos injustos connosco próprios julgarmo-nos e culpabilizarmo-nos por actos e decisões tomadas no passado fruto das circunstâncias e condicionamentos do momento em que os tomámos, sem dúvida as que considerámos ser as mais acertadas.
Nada de remorsos e não acabar cada dia com a penosa sensação de que é culpada.
Beijinho carinhoso de admiração.

E tenha dias felizes
Leanor formosa e segura

Anónimo disse...

BENDITA É A MULHER,(foi assim que chegou ao meu conhecimento) digo, Mary:

Em primeiro lugar desculpas pelo atrevimento, mas penso conhecermo-nos através de UJM.Li o que hoje escreveu lá e deixei-lhe um beijo, mas queria dar-lho pessoalmente e dizer-lhe: Seremos injustos connosco próprios julgarmo-nos e culpabilizarmo-nos por actos e decisões tomadas no passado fruto das circunstâncias e condicionamentos do momento em que os tomámos, sem dúvida as que considerámos ser as mais acertadas.
Nada de remorsos e não acabar cada dia com a penosa sensação de que é culpada.
Beijinho carinhoso de admiração.

E tenha dias felizes
Leanor formosa e segura

Maria disse...

Leonor Formosa e Segura:
Sabe quantas vezes me apeteceu responder-lhe no blogue que referiu?
Acho-a sempre segura, acertiva, sabendo do que fala.
Afinal, foi a Leonor, que me encontrou.
Ainda bem, porque gostava mesmo de a conhecer.
Obrigada pelas suas palavras tão simpáticas.
Tem razão no que diz. Como dizia a minha avó "Não vale a pena, chorar sobre leite derramado". Mas a verdade, é que ainda penso muito nisso.
Obrigada pela compreensão, pelo beijinho, por me ter encontrado.
Um bom fim de semana, Leonor formosa e segura.
Beijinho
Maria

Maria disse...

Minha amiga excelente poema para comemorar o 1º de Maio.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Olá Maria, daqui Maria.
Antes de mais, vou-lhe explicar esta frase estranha.
Tenho uma amiga de infância, com o mesmo nome que eu. Quando uma de nós telefona, é sempre esta a senha.
Lembrei-me disso agora, e brinquei consigo.
Tenho passado pelo seu belo cantinho.
Fico sempre, de olhos e alma lavados, com tanta beleza.
O poema, pareceu-me feito para o dia e a época que atravessamos.
Beijinho Maria da
Maria

Alva disse...

Olá Maria

Um beijinho apenas e peço desculpa mais uma vez pela demora e pela visita tão curta... tenho tido muitos trabalhos para fazer.

Da tua Pequenina

Maria disse...

Querida Pequenina:
Faço ideia do trabalho que tens. O 3º período é curto.
Não te canses muito.
Bom trabalho, Pequenina.
Beijinhos
Maria

Olinda Melo disse...

Querida Maria

Hoje, Dia da Mãe e em todos os dias da sua vida desejo-lhe muitas felicidades ao lado da família.

Um Domingo muito bem passado, com muito Sol e alegria.

Muitos beijinhos

Olinda

P.S.

Sobre o poema (completo) do meu pai: o caderno está com um dos meus irmãos de modo que estou à espera que me envie o poema por e-mail. Mas esquecido como ele é vou esperar sentada... :)

Mais beijinhos.

Maria disse...

Olinda querida amiga:
Foi muito bom, abrir o computador e ver a sua mensagem! Você não existe!
Obrigada minha amiga e feliz dia, também.
Vou almoçar a casa do meu filho mais velho, com ele, a nora (filha), o filho mais novo e o neto.
A filha está longe, mas vai telefonar.
Obrigada pelo sorriso, que me pôs no rosto, logo de manhã.
Felicidades, minha amiga, hoje e sempre.
Maria