sábado, 3 de janeiro de 2009

Ano Novo

Aonde ficaram as esperanças de que este ano seria diferente? Ainda agora começou e já as bombas caem, morrem crianças inocentes, a terra volta a tremer na Indonésia, as notícias escorrem sangue e terror.
Há três dias tudo era festa e alegria. Um ano terminava e todos festejavam o Ano Novo cheios de ilusões. Mas ele quis-nos mostrar logo de início que o que nos esperava era mais do mesmo.
Estou amarga hoje. Dói-me a alma. Não consigo alinhavar nada de jeito. Não consigo sentir nem dar esperança.
E tremo. Como tremo pelos mais novos, aqueles que vão viver neste mundo que não entendo.
Hoje sou uma péssima companhia. Estou triste, sem esperança, sem fé, sem confiança.
Vou tentar dormir. Talvez amanhã o céu já esteja azul e eu volte a ter essas três coisas que me fazem falta como pão para a boca.
Até um dia destes.

11 comentários:

carla mar disse...

Bom descanso, amiga.
Fica, aqui, um miminho e uma beijoka, dos 4 :)

O menino azul

O menino quer um burrinho
para passear.
Um burrinho manso,
que não corra nem pule,
mas que saiba conversar.

O menino quer um burrinho
que saiba dizer
o nome dos rios,
das montanhas, das flores,
— de tudo o que aparecer.

O menino quer um burrinho
que saiba inventar histórias bonitas
com pessoas e bichos
e com barquinhos no mar.

E os dois sairão pelo mundo
que é como um jardim
apenas mais largo
e talvez mais comprido
e que não tenha fim.

(Quem souber de um burrinho desses,
pode escrever
para a Ruas das Casas,
Número das Portas,
ao Menino Azul que não sabe ler.)

Cecília Meireles

Anónimo disse...

Quem me dera ter um burrinho, mesmo que não fosse azul.
Em troca mando-te "Pus o meu sonho num navio", da Cecília Meireles, também.

Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
- depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.

Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

Cecília Meireles

Beijos para os 4
Maria

Anónimo disse...

Maria,

Eu acredito no BEM!

Para Ti, para a Carla e para todos os que aqui fazem questão de se encontrar um Bom Ano Novo cheio de:


ESPERANÇA

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Mario Quintana


Beijo amigo
Nemy

Anónimo disse...

Para que serve um Ano Novo num Mundo Velho.!?

Anónimo disse...

Nemy:
Hoje não há sol que me aqueça, nem nada que me dê esperança.
Estou triste, magoada. O ano começou mal: guerras, abalos sísmicos. Esperemos que isto mude.
Beijinho pela poesia. É muito bonita.
Maria

Anónimo disse...

Anónimo:
E onde está o Mundo Novo?
Se souber, diga-me para me mudar para lá.
Maria

Kim disse...

Como eu te endendo Marie!
Infelizmente tudo vai continuar na mesma e temo que possa vir a ser pior.
Beijinho Petite!

carla mar disse...

Hoje, estamos cansados e com muito soninho.

Fica o miminho, para ti, Nemy e para o senhor... que está por cima de mim ;)

Mapa de anatomia: o olho

O Olho é uma espécie de globo,
é um pequeno planeta
com pinturas do lado de fora.
Muitas pinturas:
azuis, verdes, amarelas.
É um globo brilhante:
parece cristal,
é como um aquário com plantas
finamente desenhadas: algas, sargaços,
miniaturas marinhas, areias, rochas, naufrágios e peixes de ouro.

Mas por dentro há outras pinturas,
que não se vêem:
umas são imagens do mundo,
outras são inventadas.

O Olho é um teatro por dentro.
E às vezes, sejam atores, sejam cenas,
e às vezes, sejam imagens, sejam ausências,
formam, no Olho, lágrimas.

de Cecília Meireles


Boa noite. E bons sonhos :)

martim disse...

Beijinhos, dos 4 para tia Maria :D

MARTIM
DIOGO
MARIANA
MÃE

Anónimo disse...

Kim:
Já começa a ser rotina esta coisa de estarmos sempre de acordo.
Cada vez tenho mais medo deste mundo. Não por mim, mas pelos mais novos. Em que inferno irão viver? Cada vez me sinto mais impotente e mais petite, para mudar alguma coisa.
Beijo
Maria

Anónimo disse...

Martim:
Boa noite e beijinhos para os 4 da
Tia Maria
Adorei esta promoção a tia.
Maria