quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Ponto de encontro


Já há bastante tempo que esta ideia anda a martelar-me a cabeça: onde estarão as minhas primeiras colegas de escola? Que será feito delas?
Estou a referir-me às meninas que entraram para a 1º classe da Escola Primária de Além da Ponte em Outubro de 1951. A nossa professora era a Senhora Dona Emília Duque. Muitas de nós andámos juntas até à 4ª classe e no 1º ano no Colégio Nun'Ávares. Depois eu fui para o Porto e perdi-as de vista. Tudo o que me resta desse tempo, são lembranças boas, nomes dispersos : Jú, Lena, Gica, Eduarda, Elvira, Sofia, Mariana, Walda... Rostos de crianças como eu de bibes brancos. E um tesouro: 2 fotos tiradas na 3ª classe, durante um passeio à Batalha e à Nazaré.
Se alguém aqui se conhecer, peço o favor de me contactar. Depois eu direi quem sou. Só adianto que tinha umas grandes tranças, era boa aluna a História, bastante razoável no resto, tirando a desenho a que era péssima.
Como gostava de vos ver, meninas da minha escola! Quando vou a Tomar, procuro ver um rosto que me lembre alguma de vós. Ainda tentei encontrar algumas através da morada, mas nada consegui.
Apareçam por favor! Ai como queria ver-vos.
Até um dia destes.

10 comentários:

Anónimo disse...

Maria,
É bom reencontrar pedaços da nossa infância.
Já pensaste mandar as fotografias para um jornal local?
Eu encontrei colegas, e fui também encontrada neste espaço enorme que é a Net.
Muito provavelmente vai acontecer o mesmo contigo.
Boa sorte na tua busca.
Beijinho amigo
Nemy

Anónimo disse...

Nemy:
Deste-me uma boa ideia. Talvez tente.
Tenho saudades delas e de mim, naquele tempo.
Beijinho e obrigada
Maria

carla mar disse...

Querida, amiga...

É tão bom rever os amigos!
Fico a torcer por ti :)

Beijos dos 4!

Anónimo disse...

Carla:
Peço a Deus que sim. Para mim seria muito bom reencontrar aquelas meninas que viveram os primeiros anos comigo. Veremos o que acontace.
Beijos
Maria

Kim disse...

Mariazinha! Também eu já passei pelo mesmo, mas fui sempre eu a tentar encontrar os meus amigos e nunca ninguém tentou encontrar-me.
São formas de sentir a amizade!
Aqui eras mesmo a Petite Marie! Qual delas és?
Um beijinho

Anónimo disse...

Kim:
Numa das fotos nem eu sei onde estou. Na outra vê-se parte da cara e umas tranças enormes rematadas com laços.Tenho ao lado uma menina com um laçarote branco e quase à frente, outra de chapéu.
Já tentei ampliar, mas fica toda desfocada.
Vamos a ver o que dá.
Gostava de as ver, sabes? Era um bocadinho do passado que voltava.
Beijo
Maria

martim disse...

Bom dia Tia Maria :D

Tens aqui uma foto muito gira! só não consigo descobrir-te no meio de tantas meninas. Qual és tu?
Fico á espera.
Beijinho grande e um domingo muito feliz.

MARTIM

Anónimo disse...

Querido Martim:
Clica a foto de cima. Sou a da ponta, ao lado de uma menina com um grande laçarote. Na outra foto nem eu me consigo descobrir.
Beijinhos para os 4
Tia Maria

Anónimo disse...

Olá
Parabéns pelo blogue.
Se quiser publicar as fotos no jornal O Templário com o respectivo apelo, estamos receptivos.
Disponha
Saudações de Tomar
JG
Jornal O Templário
geral@otemplario.pt
www.otemplario.pt

Anónimo disse...

J.G.
Fiquei muito contente com o seu comentário, sobretudo por vir de quem vem.
Sou assinante do Templário há uns anos, estive aí há pouco tempo a pagar as cotas, comprei uns livros e, ao que sei, trocámos algumas palavras. Não me identifiquei, porque não quero envolver ninguém, nesta brincadeira que é o meu blogue. Não sei se me terá ligado a alguém, pois na minha ficha de assinante o meu nome está completo.
A sua ideia de publicar as fotos e o apelo no Templário, agrada-me muito.
Não queria no entanto, pelo menos de momento, identificar-me.
A razão que tenho para isso, é que não quero meter alguém que tem nome em Tomar e não só, numa coisa que nada vale, porque eu não lhe chego aos calcanhares. Orgulho-me dele. Por isso não o quero misturado, nas minhas escrevinhadelas.
Espero que compreenda.
Se o meu verdadeiro nome não tiver que aparecer, aceito muito feliz a sua ideia. Diga-me, por favor, o que terei que fazer.
Grata pela sua simpatia
Maria