sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Florbela e Eunice-Duas Mulheres Alentejanas

Este tempo cinzento, já começa a dar-me vontade de um chá e biscoitos, à tarde.

Convidei hoje, Duas Senhoras que muito admiro.

Por coincidência, as duas nasceram no Alentejo. Florbela em Vila Viçosa, corria o ano de 1894, Eunice na Amareleja, em 1928.

Florbela morreu nova, Eunice, felizmente vive e, é a grande Senhora do Teatro e da Televisão. Também declama, como vão ver.

Eu vou beber o meu chá e, perder-me a ouvir Eunice dizer alguns poemas de Florbela.

Laurinha amiga:

Hoje deixo-te apenas o nome dos poemas. São vários e levava muito tempo a passá-los

  1. 1Amiga
    2. De joelhos
    3. Sem remédio
    4. Fanatismo
    5. O meu orgulho
    6. Saudades
    7. Ódio?
    8. Versos de orgulho
    9. Rústica
    A um moribundo

Procura-os no livro, sim?

Eis o duo imbatível.




Bom Fim de Semana.
Até um dia destes.
Maria

10 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Um espantooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!

És uma verdadeira pagadora de promessas - mas com final muito feliz. Coisa linda, mai linda docatu, o que é quase impossível. Que o santo artista não saiba deste arrastar de asa... Bravo!!!! Bravo!!! Bravo!!!!

3abçs xeros da Kel e qjs aos montões para tu... e muitíssimo obrigadérrimo.

Maria disse...

Henriquamigo
Obrigadaaaaaa...........
Tem sido um prazer imenso fazer esta brincadeira. Adoro a Florbela, admiro muito a Eunice. Juntá-las foi um prazer.
Nunca pensei que me desse tanto gozo. Tanto que ainda andarei mais uns dias, mergulhada no mar da poesia, porque no outro, ninguém me faz mergulhar. É muito frio.
Haveras de ter visto como eu era em nova. Agora estou uma velhota gaiteira, agarrada aos tempos antigos.
Obrigada, mais uma vez.
Abrçs dos homes, beijinho à Raquel e queijinhos do Alentejo para tu.
Maria

Kim disse...

Podes continuar a beber o teu chá e a ouvir esta delícia.
Beijinhos Petite Marie

Maria disse...

Kim
Podes crer que foi o que fiz.
Beijinho
Maria

Alva disse...

Olá Maria

Já voltei!

Lindo, lindo, sempre lindos os teus posts.
A Florbela e a Eunice duas grandes mulheres para não mais esquecer...
Quanto à Florbela estive na sua terra há poucos dias, numa rua com o seu nome, em frente à casa onde viveu.

Beijinhos para ti
Da tua Pequenina

Maria disse...

Pequenina
Já fui a Vila Viçosa, já vi a rua e a casa onde nasceu. Deixei flores no túmulo e, vi no Turismo da Vila, o berço que, dizem ser o dela.
Conheço, em Matosinhos a casa em que morreu. É uma casa quadrada, cinzenta, fria, onde não se sente o espírito de Florbela.
Eunice, Mulher sensível, alentejana como ela, "sente-a" como ninguém.
E as Festas? Devem ter sido lindas, apesar das chuvas. Espero que te tenhas divertido.
Beijinho, amiguinha.
Maria

Alva disse...

Olá Maria

As festas foram espectaculares. No dia em que fui só a chuva da madrugada estragou um pouco os trabalhos. Mesmo assim admiro a união dos moradores de cada rua para transformar a sua na mais bonita. Diverti-me imenso.

Também passei por Marvão, terra onde enchi a alma de beleza e o corpo de frio (11 graus!!). E por Cáceres (Espanha) onde a História tomou conta de mim.

Beijinhos mil
Da tua Pequenina

Maria disse...

Pequenina
Já chamaram a Marvão "O ninho da águia". Já lá estive e, como tu, enchi a alma de beleza e corpo de frio. Fui em Janeiro, nunca tinha visto tanta neve, nem sentido tanto frio. Mas a beleza é tanta que faz esquecer o resto.
Segui as Festas sempre a ver, se te via. Mas era difícil descobrir uma flor entre tanta flor.
Beijinho
Maria

Alva disse...

Olá Maria

Quando fiz a mala pensei: Alentejo? Devem estar uns 40 graus! Ora, toca de levar as roupas mais frescas que tenho (calções, t-shirts, blusas de alsas, tops, enfim). Conclusão: cheguei lá apanhei umas 3 ou 4 molhas e tremiiii de frio.

A festas passaram na televisão??
Eu estive em Campo Maior, a 31 de Agosto... passei lá o dia.
Se calhar até viste uns cabelos castanhos ondulados a bailarem com o vento escondidos entre uma ou outra flor... hehehehe

Beijinhos
Da tua Pequenina

Maria disse...

Pequenina:
Entre as flores mais formosas
Que vi em Campo Maior
Fui procurar-te entre as rosas
E não te vi, meu amor.

Olhei todas bem de perto,
Escolhi com todo o cuidado
Eram lindas mas, por certo
Não olhei para o teu lado.

Beijinho
Maria