terça-feira, 30 de agosto de 2011

"Fim" de Mário Sá Carneiro por Luís Represas

Outro poeta meio esquecido e pouco divulgado. Hoje é Luís Represas quem o apresenta.
Em baixo segue o poema por escrito.




Fim
Quando eu morrer batam em latas
Rompam aos saltos e aos pinotes
façam estalar no ar chicotes
Chamem palhaços e acrobatas
Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à Andalusa
a um morto nada se recusa,
eu quero por força ir de burro. 
  Mário de Sá Carneiro
Até um dia destes
Maria

15 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

Estás cada vez mais tsunâmica. Mário Sá Carneiro é, para mim, um dos maiores Poetas da Língua Portuguesa. E a adaptação musical é excelente, como o é também a voz do Represas. Mais um ponto pró Lisgás, como se dizia quando eu era puto. Uma vez mais, e como dizia o Tenreiro, só tenho um adjectivo: obrigado...

3abs, bjs da Kel que não te reconheceu ao telefone e qjs para tu

PS - Tento saber quem é o fdp do blogger que me tenta f..., tramar de quando em vez

Maria disse...

Henriquamigo

Em matéria de poesia sou muito versátil. Não tenho um Poeta, tenho todos desde que valham a pena. Gosto do Camões, do Bocage, dos grandes clássicos mas, também gosto de poesia mais moderna.
O Mário é mesmo, um grande poeta. Pena ter acabado tão novo e tão mal.
Obrigadinha, sou eu.
Este trabalho tem-me dado água pela barba mas, também me tem dado muito gozo.
Vou continuar até me fartar, o que é difícil.
Abrçs dos homens, beijinhos para a Raquel e "um grande bem haja" para tu. (nunca percebi muito bem esta frase mas, é bonita)
Maria

Laura disse...

De certeza que não foi de burro nem o burro ajaezado...mas porque não nos cumprem as últimas vontades?

leio pouca poesia
lia antes
mas depois perdi os livros
na enchente
e nunca mais comprei
e agora escrevo eu
e alguma coisa deixarei..

beijinhos querida Maria, este dia parece Inverno, chove, está frio, até calcei as botas para ir à rua..até o almoço vai ser invernal..alheiras, bróculos e batatas, uma pinguinha e lá vamos indo.

beijinhos da

laura

Maria disse...

Laura querida
O tempo aqui está frio e chuvoso. O Verão este ano fez férias. Poucos dias quentes, pouco sol, chuva qb.
Bom almoço, amiga!
Beijinhos
Maria

Pascoalita disse...

Olá, Maria :)*

Fiquei na dúvida se a Maria que me visitou era a autora deste cantinho que embora dele ande afastada, me recorda algumas boas leituras. Isto porque o "rasto" que deixou me levou a um caminho desconhecido. Felizmente mantive este endereço e é sempre com agrado que a leio.

Um beijo da Pascoalita

Maria disse...

Olá Pascoalita
Sou eu, sim. Tenho andado ocupada com os nossos poetas.
Espero que alguns sejam do teu agrado.
Beijinho
Maria

Je Vois La Vie en Vert disse...

Querida Maria,

Duvido que o meu amigo que vai ser enterrado amanhã queira tambores e fanfarras mas de certeza que terá uma belíssima missa na igreja onde era sacristão. Quem me dera puder cantar para ele como ele o fez para a minha mãe...
Amanhã far-lhe-ei a minha homenagem no meu blog, visto não poder ir até a Bélgica para me despedir dele e não terei vontade nenhuma de festejar...

Beijinhos
Verdinhos

Maria disse...

Verdinha Querida
Lamento que mais um desgosto, te tenha magoado.
Cada um deveria ter o funeral que entende. Mário Sá Carneiro queria assim.
O teu amigo terá o que escolheu e, ainda bem.
O meu pai não quis flores, nem crianças e foi cremado, tal como sempre desejou.
Atendendo, a que é uma homenagem ao morto, devíamos cumprir a sua vontade.
Vou ver o teu blogue.
Beijinhos
Maria

Je Vois La Vie en Vert disse...

Obrigada Maria, pelos tuas palavras no meu blog, e são estas manifestações de carinho que ajudam nos momentos mais penosos. Senti o teu abraço como se eu estivesse mesmo dentro dos teus braços. És muito querida.

beijinhos
Verdinha

Maria disse...

Amiga Verdinha
É quando temos desgostos que conhecemos os amigos.
Ser amigo, é partilhar, não só as alegrias mas as dores.
Sou muito tua amiga.
Outro Abraço grande
Maria

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Atender ao ao pedido de alguém, no momento final, deveria ser lei, devia-se sempre se cumprir.Não peço nada, para mim...Gostei do "Fim" de Mario Sá Carneiro...será, que foi cumprido?
Estou gostando de ver, Maria, sua versalitidade, como respondeu ao Ferreiramigo. À cada postagem, mais me encanto!
Beijinhos
P.S. Chegue lá, na Cadeirnha, acho que vai gostar, do que lá está...

Maria disse...

Lucinha amiga
Acho que não fizeram a vontade ao poeta.
Ele suicidou-se em Paris. Nem sei se o corpo ficou lá ou veio para Portugal. É um poeta mal-amado pela maioria dos portugueses. Eu pertenço à minoria.
Este e o António Botto são os poetas malquistos, por causa das suas tendências sexuais. Nunca percebi porquê, pois há outros que têm as mesmas tendências e nada sofreram com isso. Acho que não lhes tirou o talento, por isso...
Beijinho
Maria

Kim disse...

Petite Marie!
Lembrei-me muitas vezes deste enorme poeta, nas minhas deambulações de tristeza parisiense. Eu sei o que terá sentido.
Sei que o seu caixão não foi transportado por um burro, como era seu desejo.
Despedir-se do mundo aos 25 anos é muito triste.
Beijinho amiga

Kim disse...

O poeta repousa no cemitério du Pére Lachaise em Paris, aquele que eu já varias vezes aqui afirmei ter desejos de lá entrar (vivo).
Aqui não é um cemitério mas sim uma lição de HISTÓRIA!

Maria disse...

Kim
Pobre Mário! morreu novo demais.
Ia ver agora à Wikipédia onde, teria ficado sepultado. Quando voltar a Paris(?), irei por-lhe uma flor.
Fiz isso no Panthéon. Levei um grande ramo de flores que, distribuí por todos os meus escritores, poetas, artistas, heróis.
Eu que me sinto mal em recintos fechados, não queria sair de lá.
Sentia-me com a minha gente. Foi preciso dizerem-me que eram mais que horas de almoço, para sair contrariada. Eu queria lá saber do almoço! Queria ficar ali para sempre.
Hoje à tarde sai outro poeta.
Deu-me a febre da poesia. Dá-me um gozo enorme, lembrá-los aqui. Ainda faltam tantos!
Beijinho meu amigo.
Maria
,