domingo, 16 de agosto de 2009

Manhã de Verão



Gosto da madrugada no Verão.
É luminosa, doce e há frescura
Não há barulho ainda, cheira a pão
E ao café com leite da ternura.

As ruas estão desertas, tudo dorme.
Os cães procuram o seu raio de sol.
E eu sinto calma, uma calma enorme
De campos de papoula e girassol.

A brisa ainda fresca faz voar de leve
As cortinas da janelas já abertas
Deixando entrar uma frescura breve

Daqui a pouco o calor volta de novo,
As ruas já não ficam mais desertas
E a vida vai voltar como um renovo.




Até um dia destes e façam o favor de ser felizes.

20 comentários:

Je Vois la Vie en Vert disse...

Também gosto das manhãs de verão, aliás gosto sempre das manhãs, altura em que tenho mais energia.
Quando vou à Bélgica, apanho sempre o primeiro avião da manhã que sai à volta das 7horas, quer dizer que tenho que me levantar bastante cedo para estar no aeroporto a tempo mas é tão bom encontrar a 2ªCircular vazia....

Tomei nota dos teus conselhos sobre os livros do Miguel Torga a ler. Só durante as férias é que tenho tempo de ler, por isso vou ter que fazer uma escolha porque há tantos autores que gostava de ler...

Beijinhos

Verdinha

Maria disse...

Verdinha:

Por falar de manhãs, já leste "Manhã Submersa" de Virgílio Ferreira? Outro a conhecer.
Gosto da madrugada. Aquela luz difusa, o vento brando, o sossego das ruas, os cheiros subtis do ar, tudo me encanta.
Ao contrário, o fim do dia, que todos acham lindo, enche-me de tristeza, de medos. É bonito sim, mas triste, como tudo o que acaba.
A madrugada é como o nascimento de uma criança, de uma flor. Gostos!... como diria o Solnado.

Beijinhos

antonior disse...

Maria:
São assim mesmo os ciclos da existência. Das manhãs de verão, passamos às de Outouno, da calmaria à agitação e da melancolia à exaltação, ou a uma dose moderada de alegria....
Gostei de ler o teu belo soneto e de ver a imagem de uma janela aberta por onde entra luz e ar...

Desde a minha última visita, vejo abaixo o post do Torga e logo me lembro do Tenório, do Nero, do Morgado e do Ramiro e dos outros todos. Já fiz fotografias inspirado nessas figuras.

Gostei de ler a estória da pescaria. Guardar as sardinhas foi um acto de sensatez, mas não terem dito nada aos cavalheiros, foi um bocadinho mau....:-)

Beijinhos

Kim disse...

R quando essas manhãs são de férias, a luz e os sons parecem diferentes.
Também gosto de, ao raiar do dia já ir a caminho.
Por agora é apenas o descanso do guerreiro.
Beijinhos Petite Marie

Estrela d'Alva disse...

Maria,

É... lá nisso tens razão, as manhas de Verão são diferentes!
Principalmente para quem tem o direito de ver o mar, misturado com o azul do céu Algarvio, logo pela manhã... =)

Entendo a Verdinha, eu por aqui, quando vou passear fora do país, tenho que ir no primeiro avião para Lisboa...
Sabe tão bem ver o Sol a nascer por entre as nuvens, e ainda uma Grande Cidade a acordar...
É lindo, fantástico... trás uma Paz Interior indescritível! =)

Enfim... vou descansar, que não tenho dormido nada bem.

Beijinhos, muitos, daqueles que só eu sei dar e que ninguém se esqueçe,
Estrela d'Alva

Osvaldo disse...

Maria;

As manhãs são misteriosas porque não nos anunciam como correrá o dia, apenas nos dizem que é o momento de o começar. Mas gosto ds manhãs, aliás tenho tendência a acordar cêdo, mesmo quando em dias de descanso e em especial quando vamos até à nossa casa em Portugal em que bem cêdo já eu ando a jardinar...

Beijinhos Maria, um abraço para o João e...

da Ana e Osvaldo

Maria disse...

Antonior:

Sou, hoje em dia madrugadora. É a hora a que me sinto mais lúcida, mais dona de mim. Gosto da limpidez do ar ainda meio desperto, do sol a aparecer, da vida que acorda. Tal como as fases de um parto. Senti isso quando os meus filhos nasceram, o sabor de um começo.
Quanto ao Torga, amigo, é para mim alguém muito especial, que me ensinou muito, através dos livros.
Como hoje o sono parace ter fugido, vou buscar os "Bichos".
Obrigada pelo teu comentário.
Amanhã cedo lerei o teu post. Na hora da lucidez.
Beijinhos

Maria disse...

Kim:
Ainda não estou de férias. Tavez para o fim da outra semana. Tenho uma série de problemas para resolver. Até lá terei de me contentar com as madrugadas.
Beijinhos, amigo

Maria disse...

Estrelinha:

Serás tu que eu vejo no céu das minhas madrugadas?
Que tens amiguinha?
Ter insónias na minha idade, é normal, na tua não. Devias ainda dormir longos e calmos sonos de menina.
O Zeca Afonso cantava uma canção de embalar, com a qual adormeci os filhos e netos. Vou cantar-ta daqui, baixinho e vais dormir.

Dorme meu menino a estrela d'alva
Já a procurei e não a vi
Se ela não vier de madrugada
Outra que eu souber será p'ra ti

Outra que eu souber na noite escura
Sobre o teu sorriso de encantar
Ouvirás cantando nas alturas
Trovas e cantigas de embalar

Trovas e cantigas muito belas
Afina a garganta meu cantor
Quando a luz se apaga nas janelas
Perde a estrela d'alva o seu fulgor

Perde a estrela d'alva pequenina
Se outra não vier para a render
Dorme qu'inda a noite é uma menina
Deixa-a vir também adormecer.

Letra e música de Zeca Afonso.

Agora tenta dormir e ter sonhos bonitos.
Um beijinho e uma festinha no cabelo, como eu fazia aos meus meninos.

Maria disse...

Caro Osvaldo:

Hoje a madrugada tranformou-se em noite e o sono não vem.
E eu não gosto de estar acordada de noite. Todos os medos voltam, os problemas aumentam de tamanho, as lembranças más chegam aos montes.
Mas não tarda a madrugada, cheia de magia e já verei tudo mais claro e fácil.
Abraço do João e beijinhos para a Anita para ti.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariamiga

B-r-i-l-h-a-n-t-t-e!!!!!!!!!

Um soneto destes não é um soneto: é um cancioneiro - inteiro. Só tu me fazes rimar...

Tento ultrapassar um desalento que não uso habitualmente. Obrigado pela vossa ajuda. Os Amigos têm de ser para as ocasiões. O João e tu são.

Olha querida Maria

Fica com o teu «café com leite de ternura». É lindooooooooooo!!!!!!

A Raquel também vos manda beijinhos; eu, porém, continuo cus qjs

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

ADITAMENTO:

Para o João vão abs. Livra!!!... Eram barbas a mais...

Maria disse...

Henriquamigo:

Só a tua amizade pode achar todas essas coisas bonitas de um poemazinho feito em 5 minutos. Saiu!
Sabes que podes contar com a nossa amizade. SEMPRE.
Acho que este calor, está a fazer-nos mal a todos. Eu estou em baixo (sabes porquê), tu estás em baixo (sabemos porquê), os outros estão em baixo (eles lá sabem porquê).
Esperemos que a má onda mude e que daqui a uns dias, tudo entre nos eixos.
Abraço grande do João, beijinhos para a Raquel e queijinhos para ti.

Laura disse...

Madrugar nas rimas de uma manhã
Andar pelos campos a vadiar
Espiando se a velha romazeira
Já tem uma romã para apanhar...

Seguir caminho através das folhas
Das árvores ainda em flor
colher uma rosa fresquinha
Para ofertar ao nosso amor ...

Correr para casa, feliz
Sabendo que ele está
À nossa espera...

Ter o coração aos pulos
Porque ele já acordou
E a amar, nos convidou !...


Foi escrito agora, tendo uma visão de casa campestre, pquenina, linda e de um amor, o meu amor de amanhã, que ficou a dormir, enquanto me esgueirei e vim uma romã colher, uma flor para lhe ofertar, mas, são sonhos apenas..Beijinhos Maria, muitos...

pico minha ilha disse...

Beijinhos Maria.Gostei deste soneto.Até depois

Maria disse...

Laurinha:

Obrigada pelo poema.
Continuo na mó de baixo.
Se vejo tudo passado, ainda julgo que é mentira.

Beijinhos, flor de linho

Maria disse...

Salomé amiga:

Obrigada.
Ando meio abananada com o calor e problemas.
Um beijinho grande.

Laura disse...

Bem, abananada com o calor, ainda acredito, mas, recompõe-te ó Maria, minha querida maria, mau, deixa as doenças no lugar delas, os problemas também, e vê se entras a todo o vapor porque esta vida são dois dias e...precisamos todos da nossa Maria..beijinhos meus, às tantas é a falta do cházinho...Logo já to venho trazer, e hei-de fazer uma mistura que te porei KO e vais dormir toda a noite..jinhos de luz..laura.

Laura disse...

Irra, peguei no púcaro do chá de camomila, sem a pega e...irra, queima pa caraças... mas vou deixá-lo na janela a arrefecer e daqui a nada tomas uns golitos e ficas fina pra dormir e recomeçar um belisimo dia, amanhã de manhãzinha...
Fic abem, descansa e nem te canses a pensar...não vale a pena, tudo será como já tem de ser..asism, aceita e acalma-te ELE saberá o que faz falta..jinho meu, laura.

Maria disse...

Laurinha:

Obrigada pelo cházinho. Dseta vez não vai lá, nem com chá, nem com Xanax.
Só a tua amizade me fez bem.
As doenças não são minhas, antes fossem. Tenho as minhas traves mestras atacadas (o meu irmão e o meu marido). Eles são grande parte da minha força e tinham que ficar os dois doentes, ao mesmo tempo. Se os vejo bons, volto cheia de força. Vê-los sofrer é pior do que estar eu doente, mesmo quando estou cheia de dores. Se pudesse passar tudo para mim, passava.
Só a vossa ammizade me tem ajudado e muito.
Beijinhos, flor de linho e uma promessa: Logo que os veja bem, escrevo uma carta grande.
Mais um beijo para tu.