quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

SALVADOR

Deram-te um nome predestinado
Destinado
A uma vida de Poeta ou Santo.
E no entanto,
Tu foste o Cavaleiro, que por sorte,
Tentou vencer a morte.
Ela venceu-te, dura, traiçoeira,
Da maneira
Que vence tarde ou cedo todos nós.

Mas não foste nunca, em nada, um vencido.
Convencido
Que a tinhas enganado ainda viveste
E escreveste
O livro que deixaste a todos nós,
Contando em viva voz
Como se vive com ela à cabeceira.
E foi deste maneira
Que nos deixaste o eco do teu nome.

Não conheci Salvador Vaz da Silva pessoalmente. Mas segui a luta titânica que travou com a morte.
São para ele, estes pobres versos. Ele merecia uma Epopeia.
Que ele nos sirva de exemplo a todos.Até um dia destes.

10 comentários:

Anónimo disse...

Salvador Vaz da Silva: "Até já!"

Beijo amigo, querida amiga
Nemy

Anónimo disse...

Beijo Amiga.
Maria

carla mar disse...

Acredito, que encontrou a paz, minha amiga.

Um beijinho, para ti, Maria

Anónimo disse...

Um Homem como ele encontra sempre a paz. Fez tudo para merecê-la. Pena ter sido tão cedo.
Beijo
Maria

Kim disse...

A Fénix renasceu das cinzas, tal como o Salvador renascerá das mesmas.
A sua coragem serviu de exemplo a muitos desanimados da coisas pequenas. Só por isso, Salvador é já um Salvador.
Beijinho Marie

Anónimo disse...

Kim:
Estou à espera do livro que encomendei, para ficar a conhecer melhor o Salvador.
Esta morte mexeu comigo. O que sei dele, através do blog é pouco.
Pessoas como ele não morrem. Simplesmente, ausentam-se, permanecendo na nossa vida como exemplos.
É isso que os torna iguais à Fénix.
Beijo
Maria

Kim disse...

Marie!
Eu tenho o livro e quando o comprei já sabia o seu conteúdo. São os posts do Salvador e os comentários aos mesmos.
Mas vale a pena lê-lo pela coragem e fé que em demonstra em cada página.
Estava à espera dum encontro com ele para mo autografar. Tal já não aconteceu.
Fica o que sinto por ele.
Beijinhos

Anónimo disse...

Kim:
Espero ir hoje buscar o livro.
Vou deixar os dois que estou a ler em lista de espera, para ler o dele. Li os posts, convenci-me que ele tinha sido o vencedor, na luta desigual que travou. De uma certa forma foi, porque ele é "Um dos que ficou para além da morte". Não foi um vencido, foi um lutador e eu, que sou de uma certa maneira, uma lutadora, quero aprender com ele, a coragem, o denodo, a maneira optimista que ele teve de lutar com o sofrimento, que é o único contra quem eu não sei lutar. Sobretudo o dos outros. A morte, sendo inevitavel, nunca me meteu medo. Não tenho pressa, não a desejo, mas não a temo. O sofrimento é que é o meu calcanhar de Aquiles. Tenho pavor dele, para mim e mais ainda para os outros. Já o vi de perto muitas vezes, em mim e em pessoas que amei. Talvez o Salvador me ensine, como se resiste.
Beijo
Maria

Anónimo disse...

Não conhecia o blog e o livro fiquei a saber no dia de seu funeral quando na tvi passou um pouco nas tardes da Júlia, era um pouco do programa do ano passado onde ele ali tinha estado.O livro por aqui não encontro de certeza.Vou continuar a ler pelo blog.Beijinho Maria
pico minha ilha
Salomé

Anónimo disse...

Salomé:
Vale a pena ler o livro.
Vou dar-lhe alguns elementos que talvez a ajudem a consegui-lo.
Chama-se "Catedral"
A edição é da "PrimeBooks"
www.primebooks.pt Ou
marta abreu@primebooks.pt
Talvez assim o consiga.
É uma enorme lição de vida.
Beijo
Maria