terça-feira, 6 de outubro de 2009

Para Alguém


Para Alguém que à tua sombra nasceu e à tua sombra repousa.
Para ti que tinhas a grandeza de alma que o Pico tem de altura.
Beijos para a minha irmã, sobrinhos e para teus irmãos.
Para ti, meu cunhado querido, toda a imensa saudade que sinto.

Até um dia destes.

33 comentários:

antonior disse...

Maria,

Saúdo, com amizade, mais uma vez, sempre, essa alma, esse perfil humano que se expressa tão recorrentemente nos afectos que se partilham na vida que vivemos e na melancolia da saudade.

Bem hajas, e que esse bem seja o retorno merecido de tudo o que dás.

Beijinhos

Maria disse...

António, amigo:

O meu cunhado, diria melhor irmão, foi um ser excepcional. Poucas vezes conheci uma alma tão pura, tão sem maldade. Era um homem inteligente, culto, mas de uma humildade enorme.
Ele e o João eram grandes amigos e eu gostava muito dele e conversávamos muito. Partiu faz hoje 12 anos, depois de meses de sofrimento, que suportou com uma resignação de santo.
Obrigada pela tua compreensão e um beijinho

Je Vois la Vie en Vert disse...

Sentindo muitos sentimentos fortes, saio na ponta dos pés para não estragar este momento de grande sensibilidade mas não sem deixar um beijinho verdinho a todos !

Verdinha

Maria disse...

Querida Verdinha:
Senti o teu beijinho e gostei desse miminho.
Estou triste hoje, sabes?
Beijinho amiga.

Osvaldo disse...

Maria;

Também eu e a Anita nos associamos a estes momentos de terna saudade que sentes de teu cunhado. O povo diz e com razão, que só os bons é que partem!...
Eu diria que eles não partem, apenas nos avançam para prepararem o jardim que um dia nos acolherá.

Um grande, muito grande beijinho de nós extensivos ao João.

da Anita e Osvaldo

Maria disse...

Osvaldo e Anita:
O meu cunhado foi Alguém muito especial para nós.
Sofreu muito fisicamente. Sempre resignado e crente, até ao fim.
Choro-o por mim, pela minha irmã e pelos filhos, a quem fez uma falta imensa. Eram ainda muito novinhos quando partiu.
Obrigados pelas vossas palavras amigas.
Beijinhos para os dois.

pico minha ilha disse...

Amiga, um abraço enorme para si e sua irmã, outro para seu irmão com votos de melhoras e ainda outro para o João e que tudo não passe de um susto.
As pessoas boas ficam sempre cá dentro.

Beijinho

carla mar disse...

um abracinho muito forte, para ti, dos 4.

c

Estrela d'Alva disse...

Maria,

"Querida Verdinha:
Senti o teu beijinho e gostei desse miminho.
Estou triste hoje, sabes?
Beijinho amiga."


Li este teu comentário e houve algo que não me agradou. Que se passa??
Olha, sempre que quiseres falar eu estarei aqui para te ouvir e tentar compreender, acredita.

Alguma coisa, manda um mail para bloguelisa.estreladalva@gmail.com

Um enorme beijinho para ti,
Estrela d'Alva

Anónimo disse...

A MORTE É A CURVA DA ESTRADA

A morte é a curva da estrada,
morrer é só não ser visto.
Se escuto, eu te oiço a passada
existir como eu existo.

A terra é feita de céu.
A mentira não tem ninho.
Nunca ninguém se perdeu.
Tudo é verdade e caminho.

Fernando Pessoa


Querida amiga,

Fernando Pessoa sabia!
Acho que ele tinha razão.
Beijinho carinhoso cheio de saudades

Maria disse...

Salomé:
Obrigada pelas tuas palavras tão simpáticas. A minha irmã foi aí uns dias, para ir à campa do marido. Quando voltar, dar-lhe-ei o teu abraço.
As coisas vão indo devagar.
Beijinhos para ti, minha picarota amiga.

Maria disse...

Carlinha:
O abracinho dos 4 é sempre reconfortante.
Beijinhos para os 4 da sempre amiga

Maria disse...

Estrelinha querida:

Hoje o dia foi triste. Há 12 anos perdi o meu cunhado de quem gostava muito. O meu irmão continua fraco e doente.
As tuas palavras fizeram-me bem.
Vou já escrever o teu Email. Um dia destes, vou pprecisar de ti.
Aproveita a tua juventude, pequenina. A vida às vezes é dura, mas é bela e vale a pena ser vivida.
Estou a atravessar uma fase má, que se Deus quiser, passará.
De toda a maneira, se precisar de desabafar, já sei que tenho a tua alminha sensível para me aturar.
Muitos beijinhos, minha Estrelinha.
Dorme bem.

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

Nemy querida:
Mesmo sem assinatura, creio que és tu.
Gostei do poema e da intenção. Obrigada.
Também tenho saudades.
Beijinhos.

Anónimo disse...

Maria, querida amiga,

Esqueci-me de assinar.
Desejo-te um dia tranquilo.

Abraço bem amigo
Nemy

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mariadorada

Nestas coisas és impar. De tão sentido este teu texto, quase penso que conheci o teu cunhado.

Como sabes não acredito nem em céus, nem em infernos; purgatórios e limbos - esquece. Mas, onde quer que ele esteja - estará por certo a ler-te comovido; mas satisfeito.

És a maior, minha querida

Triabs um bj para a tua irmão e para tu qjs

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Volto, apenas para dizer que é tua irmÃ. Às vezes, até me admiro com as gralhas (que dou...)

+ comprimentos e larguras

Maria disse...

Henriquamigo:
Este meu cunhado foi padre, esteve em África na guerra como capelão. Era um homem excepcional.
Um dia conheceu a minha irmã, largou a batina, casou e teve dois filhos.
Continuou a ter uma crença inabalavel. Se ele não fez o meu ateu marido acreditar, ninguém o fará. Eram muito amigos. Eu gostava de falar com ele, pois era senhor de uma cultura invulgar.
Tolerante, bom, meigo com todos, conquistou toda a familia, ateus e católicos militantes.
Era Açoreano do Pico, terra de muitos padres e despadrados.
Abraços, beijinhos e queijinhos para dividir como de costume.

Laura disse...

Maria, todos aqueles de quem muito gostamos, partem para outro lado, partem e esperam-nos, ois aqueles que se amaram, retornam sempr eao amor que os unia...
Tambem tenho uma querida cunhada,a mulher do meu irmao ja falecido.. adoro-a, mas, ela e os 3 filhos vivem muito longe,la na Africa do Sul...
O teu cunhado era boa pessoa como dizes, e, passados estes anos todos, deve estar a sorrir a ver a Maria a escrever sobre ele com tanta ternura...Beijinhos, o meu teclado nao tem acentos til, etc, e o do Nuno que chegou hoje, o meu pcla anda,avariado de todo..laura

Maria disse...

Laurinha querida:
O meu cunhado, se há céu, está lá.
Conheci poucas pessoas tão merecedoras de uma outra vida, sem os espinhos da que viveu.
Deixou muito cedo a minha irmã, os filhos, o pai e todos nós que gostávamos muito dele.
Estou em baixo de todo. Sinto-me triste, apreensiva e, ainda por cima meia adoentada. Acho que deve ser reacção à vacina da gripe. Dá-me sempre isto.
Amanhã estarei melhor.
Beijinhos minha Flor de linho.

mariabesuga disse...

Aquele nosso abraço minha Amiga Maria.

Tu, como só tu para nestes momentos, nestes pequenos grandes sentidos fazeres a vénia merecida a quem respeitas ou respeitaste...

Acredito que no respeito que também nitriria por ti, na sua qualidade de "irmão" e crente, muito crente, assim o sentias, há-de estar rezando para que sossegues e as dores da vida não te pesem tanto.

Beijinho minha querida e o nosso abraço apertado.
Beijinho ao João.

Kim disse...

Certamente que ele estará a zelar por ti.
Todos temos um Pico nas nossas vidas. Se o usufruirmos ficaremos mais fortes e imunes a todas as gripes.
O livro do Raul vai ajudar-te a levantar essa mágoa.
Beijinho Petite Marie

Maria disse...

Querida Girassol:

Creio que onde está, a santa alma do meu cunhado deve velar por todos nós, a sua família de adopção.
Afeiçoou-se a todos. Os meus filhos ainda hoje falam dele com muita ternura, porque ele era muito paciente com eles.
Tenho saudades das longas conversas que tinhamos, donde saía sempre mais rica.
Aquele abraço para ti..
Beijinho do João.

Maria disse...

Kim:
Este Pico foi realmente um marco na minha vida.
O primeiro padre que vi largar a batina, para ser marido e pai.
Dantes, no Pico padre que deixassse de o ser, perdia o respeito dos outros. Ele conseguiu continuar a ser respeitado e amado por todos, incluindo os outros padres. A minha irmã vive na terra dele e ainda este ano, todos se reuniram para festejar o seu aniversário de nascimento. Vê tu, que espécie de homem era.
Estou a gostar do livro do Solnado. Outro ser de excepção.
Se o mundo tivesse muitas pessoas como estes dois, seria bem melhor.
Beijinho, meu amigo.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida maria,

Espero que a tua tristeza já tenha passado.
O teu cunhado merecia e merece ainda toda a consideração de todos porque Jesus disse "Amai-vos..." e se ele deixou a batina, não deve ter sido de ânimo leve. Fez o que lhe dictava o coração e não "sujou" a batina ! Foi honesto com Deus.
Acho que aqui em Portugal acontecia muitas vezes as famílias decidirem do futuro eclesiático dos filhos, por imposição, e não há nada mais desesperante do que ter uma actividade pela qual não há vocação, daí as "derrapagens" constantes dos membros da Igreja e a crítica dela resultante.
Peço desculpa por não estar tão presente mas recomeçaram as minhas actividades todas - escolhidas por mim ! - e já não tenho muito tempo para estar na blogosfera...não querendo dizer que não penso nas pessoas !

Beijinhos amigos da

Verdinha

Laura disse...

A farda do padre foi-lhe imposta pela Sociedade, e o Homem querendo submeter o homem a si proprio, criou os padres, enfim, asneira atras de asneira, porque todo o homemd eve ser livre para amar, e nao e a forca-lo a uma escolha sem volta atras...como quase sempre foi..como diz a verdinha, mais vale serem Pastores, podem casar ser pai dos filhos que sao deles pois a igreja catolica esta cheia de filhos sem pai, porque o pai era padre, mais vale deixar a batina e ter a sua mulher e os seus filhos...conheci homens que foram padres e deixaram de o ser, e padres com fihos tambem conheci, ja estao do outro lado...beijinhos e nao chores, tem forcas maria, forcas para aguentar com tanta coisa que tens em ti...laura

Maria disse...

Querida Verdinha:
Creio que não te enganaste quanto ao facto de as famílias imporem aos filhos serem padres. Sei que o meu cunhado era um verdadeiro crente e continuou a sê-lo. Penso que os padres deviam casar. Saberiam entender melhor os problemas dos outros. Ele acreditou até ao fim, com uma Fé sem limites.
Sabes? A minha irmã pôs na campa dele uns versinhos que lhe fiz quando morreu. Acho que o definem bem:

Chamou-te Deus hesitaste
Chamou-te a vida, viveste
E mais te santificaste
Nos dois filhos que tiveste

Chamou-te o amor, tu amaste
Amaste tudo o que viste
Chamou-te a dor, tu sofreste
Chamou-te Deus e, partiste

Maria 1998

Beijinho

Maria disse...

Laurinha querida:
Um dia irei contar a história de um irmão do meu avô que foi padre e tinha montes de filhos.
Vais ver que te ris. Fica à espera.
Beijinhos

Anónimo disse...

Minha amiga,

Já fazem falta as histórias da família.
São sempre engraçadas, e tu sabes contá-las como ninguém.

Beijinho de saudades
Nemy

Maria disse...

Nemy:

Este mês de Outubro não acaba mais.
É um mês triste. O dia de anos do meu pai e de mais pessoas já desaparecidas, as datas da morte dele e mais uns quantos, as doenças, os ossos a moer-me, problemas meus e dos outros, fazem-me ficar sem vontade de escrever.
E o fim do mês ainda tão longe.
Hoje vou ver o meu irmão. Talvez quando voltar, tenha paciência para fazer alguma coisa.
Logo mando-te um Email e conto mais.
Aqui não dá.
Beijinhos Rosa chá.

Laura disse...

Maria, este mês também o meu querido irmão mais novo fazia anos, mas já não está entre nós...é a vida, é a nostalgia...Beijinhos meus e fica bem, é fim de semana e há aquele mistério de ser fim de semana, sair, tomar um copo com os amigos (espera que já lá vamos...)dançar com o nosso amor, enfim, tanta coisa boa, não remoas que a vida é em frente..laura, nem te vim deixar o cházinho de sempre, andamos todos cansados e desanimados, ahhhh. laura

Maria disse...

Minha Flor de Linho:
Hoje tive um dia bom. Os exames do João estão normais e o meu irmão estava menos apático. Conversamos muito.
Ainda falta muito para tudo entrar na normalidade, mas está tudo a melhorar.
Só estou preocupada com a Soledade.
Não quero telefonar, porque ela fica assustada, mas não tenho resposta aos Emails. Se souberes alguma coisa, diz-me por favor.
Beijinhos nina.