sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Peregrinação


Isto hoje vai em estilo tragicomédia, ainda não sei em quantos actos.
1º Acto
Marido a caminho do posto do Posto de Saúde, várias sextas feiras às oito da manhã, para conseguir marcar uma consulta para a mulher. A semana passada conseguiu uma, com o nº 1.
2º Acto
Mulher levanta-se às 7 horas, para estar pontualmente no dito posto às oito horas.
3º Acto
Fila que dá volta ao quarteirão, formada por pessoas a bater os dentes com frio.
4º Acto
Afinal o nº1 era de uma lista nº não sei quantos.
5º Acto
Cento e tal pessoas dentro de um corredor e uma sala pequena dividida ao meio por um balcão, atrás do qual estão três amáveis funcionárias que explicam que tem que ser devagarinho, porque o Sistema Informático pifou.
A fila anda lentamente enquanto as pessoas começam a refilar com tudo e todos, a mulher incluída.
6º Acto
10 horas, lá entra a criatura, pede os medicamentos e sai.

Ora agora, que já brinquei com coisas sérias vem o resto.
O dito Posto há anos que não tem condições nem para um quinto dos doentes. Possui uma única casa de banho para homens e mulheres, em condições de higiene mais que lamentáveis. Suja, sem sabão para lavar as mãos, nem papel higiénico, nada.
O engraçado, é que na sala e corredores, as paredes estão decoradas com belos cartazes sobre os cuidados a ter com a famigerada gripe A e outros que explicam minuciosamente com imagens, como lavar as mãos. Pedido sabão, não há. Livro de reclamações, está em parte incerta.
Onde é este Posto? Não vale a pena dizer. Todos conhecem algum igual.
Só vos dou um conselho: se puderem, façam um Seguro de Saúde. Porque se estão à espera do médico da Caixa, é melhor não se darem ao luxo de estar doentes. Garanto que lá não se tratam e ainda trazem de brinde mais doenças e os nervos feitos num feixe.
Se querem animar-se vão ver os nossos belíssimos, caríssimos e cheíssimos, Estádios de futebol. Aí sim, há saúde, alegria, boas acomodações. É outro asseio. E claro, eram a prioridade máxima para o nosso povo. Bem empregados impostos.
Até um dia destes e façam o favor de ser felizes.

22 comentários:

Corvo disse...

Como tu bem sabes, hoje também fui a esse posto. Às 7:25, lá estava à porta, dentro do carro, esperando pelas 8 horas - horário de abertura do dito.
Não pertenço à àrea desse Centro, mas devido ao bom médico, lá continuei, e para não estar na bicha... ops, fila de carros, esperei à entrada do posto.
Quando, na boa fé, puxei o porta-moedas para pagar, a funcionária disse-me que, por estarem sem sistema, pagaria depois da consulta. Depois desta, não havia sistema; não paguei. Depois de sair, pensei: não é injusto as pessoas não terem pago as consultas; já pagamos tantos impostos, e para termos tantas faltas de condições, nem deveríamos pagar mais um rei!

Beijinhos.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Tendo a sorte de usufruir doutras regalias, acho que fui 2 ou 3 vezes a um centro de saúde para ter consulta.
A minha última vez foi, quando trabalhava e que tinha que ir buscar o que se chamava "a alta" depois de ter tido uma gripe e uma semana de baixa.
Fui atentida por uma médica - que foi escolhida por não sei quem como sendo a minha médica de família - que só levantou os olhos e olhou para mim duma maneira espantada quando respondendo à pergunta dela "vem prolongar a sua baixa?", eu respondi "Não Sra Dra, venho buscar a minha alta. Estou curada.". de facto, uma gripe cura-se em 5 dias.
Nunca mais precisei, felizmente, voltar a ir pedir uma baixa porque qual era a confiança que podia ter numa médica desta se ela fomenta o absenteismo no emprego ?

Estive sim bem atendida em urgências quando tive um choque anafiláctico (ou me davam uma injecção ou morria là...) e quando o meu filho partiu a cabeça.

Mas quando oiço as conversas das horas passadas a espera para tirar uma senha para depois esperar meses para ter uma consulta, penso que tenho muito sorte em não ter que passar por estas experiências !

Bom fim de semana

Beijinhos

Maria disse...

Corvo, meu ingénuo filho:
Se estás convencido que não vais pagar, podes tirar o cavalinho da chuva, não vá ele apanhar a gipe A.
Para a próxima, esmifras os carcanhóis, que é como ginjas.
Ou tu pensas que há borlas?
Quanto ao rei, sou como sabes republicana convicta e de nascença.
Beijinhos e não gastes o dinheiro da consulta porque vais pagá-la.
Mãe

Maria disse...

Verdinha querida:
Tive durante anos a sorte de nunca pôr os pés nos ditos postos. O emprego do meu marido tinha serviços clínicos muito bons e contractos com Hospitais e médicos particulares. Das vezes que estive internada, foi sempre em hospital particular. Não sabia nada de Postos de Saúde até há 7 anos. Agora aprendi tão bem, que já tenho Seguro de Saúde para o meu marido e para mim. Pago, mas não estou horas nas Urgências a ver espectáculos degradantes, que me fazem lembrar um livro do russo Soljenitsin. Espero ter ido hoje pela última vez, aquele lugar. É degradante demais.
Beijinhos, minha querida.

Laura disse...

Minha querida Maria, isso é em quase todo o lado, vá que a minha médica é um amor e as empregadas ja me conhecem e arranjams empre maneira de me atenderem, marcarem o que for...Pena que estando tu doente, fosse preciso o João ir tartar de tudo e aind apor cima...Há centros de saúde a menos e nós somos gente a mais, enfim...Os impostos, ora pois, futebóis? ai não que não, achas que os homens davam a frente a centros de saúde? ahhhhhh..
Esperei por ti toda a noite para ouvires o fado, e, nem apareceste...que pena..Beijinhos , laura

jrom disse...

Maria gosto da imagem.
Que saudades tenho daquele grande carneiro bem armado,que eu gostava de provocar quando tinha os meus 8 anos.
Eu sabia que ele dava muitos passos para trás,mas quando investia eu tinha de ser mesmo toureiro.
Por isso é que já não se vêem os carneiros.
Só andamos para a frente nem que seja a lamber sabão.
Restam as ovelhinhas e pronto.
Bom fim de semana e um beijinho amigo.
As melhoras

jrom disse...

Será que a Dolly tinha algo a ver com tudo isto?
Coitados dos carneiros.

Maria disse...

Laurinha querida:

Eu sei que é assim em quase todos os lados. É isso que me aflige. A saúde no nosso país está doente. Quem a cura? Não sei, ninguém sabe.
Aqui já estava mau, mas num ano piorou.
Ninguém adoece com hora ou dia marcados. Urgências Hospitalares? Que é isso? Horas à espera de morrer na sala de espera, à espera de ser visto a correr.
Já não me queixo por mim, nina.
Felizmente com o seguro, consigo consultas quando estou doente, exames quase na hora. É claro que pago. Mas os que não podem e são a maioria? O médico que tinha na Caixa, o meu médico de família, vai reformar-se. Já são mais as vezes que não aparece, do que as que vem. Para mim, acabou. Não vou estar mais à espera de uma consulta meses. Mas os outros?
São eles que me provocam esta revolta.
Desculpa, amiga. Hoje estou naqueles dias, em que me apetece mudar o mundo. Sei que não posso, mas como queria!
Beijinhos

Maria disse...

Olá Jrom, benvindo.
A imagem dos carneiros deu-ma a maneira resignada com que as pessoas esperavam uma coisa a que tinham direito.
Mete-me medo a passividade do nosso povo. Aceitam tudo, com algumas palavras de protesto em voz baixa, não lutam por aquilo que é um direito adquirido.
Lembrei-me do filme "O Silêncio dos inocentes" daí a foto.
Tudo isto mexe comigo. Esta aceitação da falta de assistência e outras, mete-me medo.
Não estamos a pedir luxo, estamos a pedir um direito.
Bom fim de semana e um beijinho.
PS Acho que a Dolly também foi vitima.

Pascoalita disse...

Estava eu aqui tão distraída, quase feliz por ter conseguido esquecer o mundo cruel em que vivemos, gozando um belo fim de semana que desta vez até nos presentearam com um bónus de 1 horita a mais, e olha só para o que ma havia de dar ...

Vir dar uma espiadinha à Maria que me fez dar um trambolhão e cair de truz na realidade!

Menina, era tema para ficar a noite inteira a manifestar a minha raiva pelo mundo injusto que nos impingem e contra quem nada podemos, mas é melhor engolir a raiva e aproveitar o tempo para dormir, já que mais nada podemos fazer contra os Vampiros e Abutres.

Se esse POSTO fosse único, aí sim valia a pena mobilizarmos e faria uma directa para ajudar a tornar o mundo melhor.

jinhos

Kim disse...

Coitada da Petite Marie!
Oh Maria, se já andavas desanimada com os problemas de saúde do teu irmão e do João, agora chegou a tua vez para ajudar à festa. É que, só o facto de estar horas à espera numa fila deixa qualquer pessoa doente mesmo que o não esteja.
Felizmente que têm sido muito poucas as vezes que já fiz de carneiro mas nunca se sabe o que está para vir.
Bem podemos morrer!
Beijinho!

Maria disse...

Pascoalita:

Só a raiva que seenti, me levou a este acto de revolta, tão pouco de acordo comigo e com o que geralmente escrevo.
Como já disse noutro comentário, só me conseguia lembrar o livro de Soljenitsin. Aquela fila, aqueles rostos doentios e parados, a dor de alguns, por momentos, levou-me longe, ao "Pavilhão dos Cancerosos" do dito escritor.
Felizmente para mim, foi a última vez. Só arrastada me voltam a apanhar lá. Benditos Seguros de Saúde! Mas os outros? Os que não têm dinheiro para eles? Quanto tempo vão continuar esta via sacra? Onde estão os belos Centros de Saúde prometidos? Que fazer? Naturalmente continuar à espera. Sem revolta, no "silêncio dos inocentes" e dos resignados.
Dormimos mais uma hora, hoje. E ficamos felizes.
Meu povo amado, tão resignado, tão paciente, que vai continuar a morrer em silêncio e a esquecer tudo assistindo na televisão a jogos de futebol, com uma garrafa de vinho ordinário ao lado!
Desculpa, Pascoalita. Esta cena fez-me mal. Ressuscitou por uns dias a "Passionéria" que eu julgava morta no meu coração, a revoltada que afinal ainda sou.
Beijinhos

Maria disse...

Kim, meu amigo:

Coitados dos outros. A Petite Marie é das felizardas que tem Seguro de Saúde e poucas vezes passa por isto.
Eles não. Alguns passam dias, à espera de uma consulta, de uma receita, de um papel.
Eu se preciso de um exame qualquer, pego no telefone, marco o exame ou a consulta de especialidade para amanhã. Pago mais, mas tenho a certeza de ser atendida. E eles? Uma consulta de especialidade, demora meses, quando não anos a marcar. Os exames a mesma coisa. É justo? Nõ andamos uma vida inteira a descontar para termos assistência?
E as taxas moderadoras? E os medicamentos? Onde vão alguns (muitos), buscar dinheiro para eles?
Eu saio pouco, mas vejo muito. Tenho debaixo dos olhos a vida da minha empregada, que trabalha como uma moura, com 68 anos, cheia de doenças, com remédios para aviar, alguns nada baratos. Já a tenho apanhado sem eles. Tento ajudar. Mas eu não sou o Estado, nem sou rica. A ajuda que dou é pouca. Chamo a esta "O meu senhor António", por causa de uma velha históia do Alçada Baptista. Tomei-a sob a minha proteção. Mas sinto, que não é o suficiente. Depois, tal como digo à Pascoalita, volta a Maria Revoltada, que pensou um dia mudar o mundo e o vê cada vez pior.
Durante uns dias, isto vai-me andar a dar cabo da cabeça. Depois, com os problemas que continuo a ter e dia a dia aumentam, volto a olhar para meu umbigo e "esqueço" o que vi.
É sempre assim, amigo. As minhas fases de revolta acabam depressa. A seguir vem a fase do "não posso fazer nada".
Beijinho da Petite Marie, ainda em fase de revolta.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Petitá Mariá

Discordo. Totalmente. Há oito postos, oito (como nos cartazes das corridas de toiros) que funcionam ferpeitamente. Felizmente espalhados por todo o País, adito. Até nas ´Regiões Autónomas. Donde, não te é permitido generalizar: 0,008% funciona bem e 0,001% muito bem. Não se pode ter tudo: ou cartazes ou instalações.

É por este tipo de línguas viperinas e maledicentes, como é a tua, que Portugal não anda para a frente. Bom, nem para trás. Como diz a Proença e outros manos brasucas, faz que anda mas não anda.

Temos de ter paciência, resignação, temperança, esperança, fé e caridade. Ops, estas últimas não sei se. Verá-se, cumo diz o ceguinho.

Mete a mão na consciência, Mariaindamiga. E penitencia-te. Ou, no mínimo, contricta-te (???). Em verdade, em verdade, te (vos) digo que mais depressa um multimilionário entra no Tavares, do que um cidadão comum, vulgar de Lineu, entra nos protestos contra os postos.

Assim, não vamos a nenhum lado. Aliás, só quase uma vez o fizemos: à Índia. Mas, em contrapartida, saiu-me uma goesa. Foi a vingança de Calecute. É muito bem feito.

Vivam, pois, os cartazes!!!

Triabs e desejos de melhoras para todos, incluindo ti, e também para tu qjs com tamiflu.

Maria disse...

Henriquamigo:
Tu já devias saber que a Maria não é boa da cabeça. Este e outros Centros de Saúde? mexem comigo. Ver pessoas, que mal podem arrastar-se, chegar ao fim de horas ao balcão e ouvirem dizer que o senhor Dr. não vem, que não dá mais consultas, que só daqui a um mês, é muito para mim. Ninguém escolhe o momento para ficar doente.
Quando ouço dizer que o Estádio de Aveiro, que custou milhões e gasta milhões na manutenção, vai ser demolido, não sei se chore se ria (de Aveiro). Amigo, eu quero que o país vá para diante, mas isso passa por uns Serviços de Saúde decntes. Sem luxos, sem grandes coisas, mas com instalações próprias para gente. O veterinário da Câmara trabalha em melhores condições.
Não te zangues comigo. Eu às vezes sei que a revolta dos 20 anos, toma conta desta mulher de quase 65. Nada posso fazer. A tipa é revoltada de nascença.
Abraços, beijinhos e queijinhos como é hábito.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Petitá Mariá

Olha lá, ó minha descarada: eu cá nã estou chamando-te nomes, comadri!!!! Kisto fike beim claro, como tinto de Borba e de Pias. Se não fora o Santo teu esposo, até matirava a tu - e de cabeça. Tá dito, só nã tá feito, por causa deles - o John maila Rachel.

Nã viu vomecê keu tava brincando, pôçaras?!?!?! A comadri ainda teim a massa cinzenta - escura. Nã vá por vielas estrêtas, neim por caminhos ínvios.

O mê Centro de Saúde é ainda o da Lapa e fiquê lá porque é porrêro e o Dr. Eduardo Conceição é bué da fixe e salazarista. Semos amigos. Mas tenho ido aqui ao do Lumiari e tambeim é porreiraço. As enfermêras são muito boas.

Mau, dêxe-se vomecê de franziri o cenho. São boas - profissionais; e dão esmolas aos pobrezinhos e até fazeim parte da Pia Conferência de Sã Vicente de Paula.

As melhoras para tu e para os outros, keu tenho uma dôri de lombo que nã sê se te diga, se te conte. Mas isto com uma açorda dalho e uns pezinhos de cuentrada (com o, com u era da SIDA) irá-se compondo comadri. Vá por mim quê cá ando acertando no alvo.
Abs triplicados e bêjs pra vomecê

Maria disse...

Henriquamigo:
A Maria tem dias não. Aquele foi um. Lembra-te do que te contei ao telefone. Estou a atravessar uma fase de revolta, que a mais pequena coisa me pôe de armas na mão. Quero lutar contra os canhões e não consigo, porque isso ia arranjar-me problemas. Por Email explico-te o resto.
Quanto aos Postos de Saúde, ou de doença, mantenho o que digo.
Andas mal das costas? Tem cuidado com isso. Se bem, meu amigo, não te esqueças que chegámos à idade do condor. Dor nas costas, dor nos rins, dor aqui, dor ali. O pior é que por dentro também há dores e essas são as piores. Não há Voltaren, nem remédio nenhum para as tirar. Dão cabo de um gajo ou gaja, num instante.
Abraços, beijinhos e queijinhos.

Laura disse...

Céus, a menina de armas na mão, ó balham-nos, fuuuuujam cá maria dá um tiro e se na falhar a pontaria, amanda-nos pra junto daquelas ovelhas da foto, xiça, penico, chapéu de coco...
Já disse à menina que faça ouvidinhos moucos a muita coisa, que faaç de cega para fingir que não vê, pois a realidade é esta...Vá que no meu centrod e saúde não tenho grandes problemas e vou andando benzita...
beijinhos a ti nina maria e gostei de ver o jrom de novo por aqui..laura

Maria disse...

Laurinha querida:
Ando em baixo física e moralmente.
Vim agora de fazer duas Ecos. Segundo parece o estômago está em mísero estado. Nem com Omprazol e dieta, melhora.
O resto está na mesma. Sabem o que é, não mata, não sabem que mais experimentar, chateia que se farta.
Estou até aos cabelos com problemas. O meu irmão cada vez mais na mesma, e problemas de um tipo que não vou falar aqui. Um dia destes, conto.
Estou estafada, detesto andar em Lisboa aos dias de semana.
Vamos a ver se hoje consigo dormir, sem sonhos parvos.
Beijinhos nina.

Osvaldo disse...

Maria;

Eu já tiha passado por aqui e pensei que tinha comentado, mas vejo que não...

Realmente contas aqui situações que eu, felismente para mim, desconhecia. Mas quando é que esse povo deixa de ser "béu-béu" e reage?... Mas, de acordo com as sondagens e consequentes votações, parece que o povo está contente, que tudo está bem e que afinal, os que ralham, não têm razão...
Cada vez mais me convenço que o povo português é como mulher de malandro,... quanto mais apanha, quanto mais leva,... mais gosta.

Pobre país,... é o meu país!!!

bjs, Maria, abraços para o João. Como vai o mano?.

bjs,
da Anita e Osvaldo

Maria disse...

Amigos Anita e Osvaldo:

É isto que temos. E se alguns com um pouco de sacríficio, conseguem pagar um médico ou Hospital Particular, com no meu caso, outros há que nem para os medicamentos os têm.
Passamos uma vida inteira a pager impostos, a fazer descotos, para isto.
Pobre de quem precisa! Fiquei tão revoltada que me meti a falar de coisas, de que fujo de falar.
Abraço do João e beijinhos para os dois.

Zé do Cão disse...

Eu não quero acrescentar lenha para a fogueira, porque sei onde existem, centros de saúde bons com médicos bons, que as pessoas não têm de se queixar (queixam sempre).
Sei que são poucos, mas esses poucos são mesmo bons e o pessoal é de primeira.
Sobre as casas de banho nos Centros de saúde, conto esta.
Há talvez 10/12 anos foi inaugurado um Centro de Saúde novo em Braga.
Carandá de seu nome.
Tinha casas de Banho para os doentes. Tinha casa de Banho exclusiva para o Director, tinha casa de Banho para o pessoal de Secretaria e para os Médicos era a mesma do publico em Geral.
Portanto a mijinha dos médicos eram feita no mesmo sitio onde OS DOENTES, também fazia.
Para democracia não está mal, pois não?

beijokitas